sábado, 11 de outubro de 2014

Análise e opiniões - Alpargatas e Grendene - Conclusão

Esta é a terceira e última parte da postagem referente à análise e opiniões de Alpargatas e Grendene, importantes empresas do setor calçadista listadas na bolsa. Se você não leu a primeira parte, clique AQUI.
Lembrando que as informações prestadas nesta postagem não são suficientes para que você tome a decisão de comprar, vender ou manter alguma destas empresas. No entanto, está aberta a possibilidade de discutirmos informações relevantes sobre seu desempenho ou perspectivas futuras do setor ou de determinada empresa.

Lembre-se: é apenas uma opinião. Todas as informações prestadas até aqui foram retiradas de fontes abertas. A partir deste momento deixarei minha consideração, mas não baseie seu investimento por ela.


Alpargatas – Vendendo mais por menos
Levando em consideração o histórico de crescimento dos lucros e de patrimônio, a Alpargatas vem mostrando maior disposição. A prova disso é a diferença entre as duas empresas, que paulatinamente diminui.
Analisando friamente os números, é possível deduzir que a Alpargatas assumiu uma postura mais agressiva, o que vem refletindo em suas operações.
Peguemos o exemplo das margens. Conforme vocês observaram na parte 2 desta postagem, a margem bruta das empresas são semelhantes, estando na casa dos 40%. Como muitos de vocês sabem, a margem bruta é o resultado da divisão entre o lucro bruto e a receita líquida da empresa. Margens brutas indicam o impacto do custo de produção da empresa, ou seja, quanto maior a margem, menores são os custos que a empresa está incorrendo para produzir. Como a margem bruta das empresas são semelhantes, conclui-se que o custo das empresas para a produção são semelhantes.
Entretanto, o cenário muda quando observamos as margens líquidas, com Grendene possuindo cerca do dobro da margem líquida da Alpargatas. Como (1) a margem líquida é calculada pela divisão do lucro líquido pela receita líquida, (2) o lucro líquido representa a receita líquida subtraída dos custos de produção e das despesas que representam o esforço para vender os produtos, como por exemplo os honorários da administração, publicidade, propaganda, marketing, comissões, gratificações, dentre outras, e (3) os custos de produção das empresas são semelhantes, podemos concluir que a Alpargatas está tendo maiores dispêndios justamente nos esforços necessários para vender os produtos (marketing, honorários, comissões, etc).
Temos então que investigar se estas maiores despesas são fruto de uma ineficiência/incompetência da empresa (afinal de contas, a outra empresa tem menos despesas) ou se efetivamente há algum reflexo nas vendas. Olhando os gráficos, é possível observar que de fato houve importantes avanços na receita líquida e nas vendas de pares. Em 2003 eram a quantidade vendida era praticamente igual entre as duas empresas. Mas 10 anos depois a Alpargatas destacou-se. Outros fatores, como por exemplo o lucro líquido e patrimônio líquido também deram resultado. Em 2003 estes eram bem superiores na Grendene, mas em 2013 esta diferença cai substancialmente devido aos avanços da Alpargatas.
Devido a maior agressividade da empresa, é possível notar também indícios de outro sinal. Podemos observar em seu histórico um interessante incremento no número de pares vendidos e a manutenção do lucro líquido referente a cada par. Isso mostra que, pelo menos no período analisado, a empresa tem focado em aumentar seus lucros principalmente pela venda numérica e não pela margem que cada par representa. Significa vender mais por menos.

Grendene – Vendendo menos por mais
Apesar de menos agressiva, a Grendene tem mantido lucratividade (em relação a receita líquida e ao patrimônio) maior do que Alpargatas. Considerando as margens, o nível de endividamento e a distribuição de dividendos, a empresa mostra que é possível crescer de forma saudável retendo pouco dividendo.
Além disso, é importante frisar que historicamente a empresa possui um caixa robusto, o que transmite maior margem de segurança para o acionista. Esta combinação de endividamento saudável, distribuição de dividendos e alta lucratividade tem agradado muitos acionistas.
Na ponta oposta da Alpargatas, A Grendene tem apresentado um tímido aumento da venda total de pares, mas um aumento relevante no lucro líquido que cada par vendido, o que mostra que sua estratégia, até o momento, é lucrar atribuindo maior valor agregado em cada par vendido, mesmo que isto signifique manter a quantidade de vendas. É, em outras palavras, vender menos por mais.

Tag Along é importante, não é Alpargatas?
O que não pode passar despercebido é o fato das ações preferenciais da Alpargatas não contarem com Tag Along, enquanto suas ações ordinárias contam com Tag Along de apenas 80%.
Tag Along é um dispositivo protecional estendido a nós, pequenos acionistas sardinhas, em caso de transferência de controle da empresa. Nestes casos, caso as ações estejam imbuídas deste direito, o novo comprador é obrigado a realizar uma oferta aos sardinhas, com valor relativo ao percentual do Tag Long da ação.
Por fazer parte do novo mercado, a Grendene assegura aos acionistas um percentual de 100% de Tag Along. Ou seja, em caso de alienação do controle, os minoritários terão as mesmas condições do majoritários. Infelizmente as ações PN da Alpargatas não tem Tag Along e as ON possuem Tag Along de 80% que, apesar de ser melhor que nada, o pequeno investidor ainda permanece em uma situação periclitante.
Não pense que é impossível uma empresa do porte da Alpargatas ser comprada por outra. Conforme mostrei na postagem introdutória, há players globais de porte bem maior que as duas empresas que estamos analisando. Quem sabe algum dia a Nike (ou seus pares) considere que a adição da marca e produção das Havaianas seja um passo estrategicamente importante...

Opinião sobre o Preço

Considerando que o valor de mercado das duas empresas é o mesmo, mas que a Alpargatas é uma empresa que possui um patrimônio um pouco menor e lucra bem menos, não é difícil concluir que a Alpargatas está sendo negociada a um patamar mais caro, o que é confirmado pelo seu maior nível de P/L e P/VP.
Isto não quer dizer que não devemos comprá-la. Operacionalmente, a empresa obteve nos últimos anos maiores avanços que a Grendene e por enquanto não houve sinais de que este avanço está ameaçado. Por isso, o mercado requer, então, que novos investidores paguem um pouco mais.
Caso a empresa continue com uma performance semelhante a experimentada nos últimos 10 anos, é provável que passe a Grendene em termos de lucros, distribuição de dividendos e patrimônio.
Caso aconteça algum arrefecimento, o mercado poderá avaliar a empresa com os mesmos múltiplos da Grendene, ou seja, o mercado não estará disposto a pagar este "bonu$" para ser sócio.

Veredito
É de se esperar que os cenários comentados acima não aconteçam no estalar dos dedos. Devido a isso, independentemente de qual posição o investidor queira assumir, o monitoramento contínuo de seu investimento deve ser realizado. Diante das informações coletadas para realizar esta postagem, traço as três possíveis posições para aqueles que querem ter ações do setor calçadista:
Compra de ALPA3 - Indicada para aqueles investidores que acreditam que a Alpargatas continuará a ter um desempenho operacional mais agressivo que a Grendene. Este posicionamento traz maior risco, mas poderá trazer também maiores retornos. Somente devem ser adquiridas ações ordinárias da empresa (ALPA3), que apesar de possuírem liquidez muito baixa, contam com Tag Along. Comprar ações preferenciais é assumir risco desnecessário, já que liquidez, apesar de importante, não está no topo dos critérios a serem considerados para o investidor de médio/longo prazo. Estes investidores sabem que GRND3 possuem indicadores interessantes, mas acreditam que assumir posição em uma empresa mais agressiva poderá ser recompensador.
Compra de GRND3 - Indicada para investidores conservadores, que gostam de uma empresa redondinha, sem dívidas, com caixa robusto, com pagamentos constantes de dividendos e com margem líquida elevada, formando assim um conjunto de características que tornam a empresa resiliente. Mesmo com uma suposta agressividade da Alpargatas, a Grendene não tem ficado para trás. A empresa tem mantido um crescimento satisfatório e está em uma situação financeira confortável.
Compra de ALPA3 e GRND3 - Indicada para aquele investidor que está "em cima do muro". Ele acredita que o potencial operacional da Alpargatas será mantido e  ao mesmo tempo sabe que assumir posição em uma empresa conservadora como a Grendene não é uma ma ideia. Mesmo assumindo posição nas duas empresas, o monitoramento contínuo dos fundamentos e das operações da dupla é importante, de forma a subsidiar sua escolha por manter as duas ou escolher apenas uma.

Considerações finais
De acordo com meu perfil de investimento, que é voltado para empresas de menor porte, com altas margens e se possível, baixo endividamento, a escolha pela GRND3 seria mais indicada. Contudo, os esforços da Alpargatas chamaram minha atenção, de forma que eu cogitaria sim abrir posição nesta empresa. Caso eu decidisse abrir posição no setor calçadista, de acordo com MEU perfil, acredito que teria, na parcela dedicada ao setor, uns 70% de GRND3 e 30% de ALPA3.
De qualquer forma, vejo duas empresas interessantes. Alpargatas, por ser mais endividada e apresentar maiores despesas, merece um monitoramento mais de perto, de forma a analisar se pelo menos na parte operacional ela possui avanços mais significativos que a Grendene.
Para aqueles indispostos a assumir maiores riscos, a Grendene é uma empresa interessante.

E você, gosta do setor? Deixe seu comentário. Se quiser indicar uma ou um grupo de empresas para a realização de uma postagem, também deixe seu comentário.

Fontes:
Em 2014, produção nacional de calçados deve crescer 3,6%, aponta IEMI - http://www.consumidorrs.com.br/2013/inicial.php?case=2&idnot=30123
Brasil gasta 16 dólares em consumo per capita de sapatos - http://www.indicadorbrasil.com.br/2011/03/brasil-gasta-16-dolares-em-consumo-per-capita-de-sapatos/

Conheça a história da Grendene -  http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL67298-9356,00.html

Report on Chinese Industrial Policies -  Joseph W. Dorn, Christopher T. Cloutier -  www.kslaw.com
www.bovespa.com.br
Releases e DFP das empresas disponível na seção de Relação com investidores de seus respectivos sites


Lembre-se. Não tome decisões de compra, venda ou manutenção de ações baseado apenas no que você leu nesta postagem. Muitas informações foram retiradas dos relatórios das empresas, mas as considerações finais foram retiradas da cabeça de uma pessoa comum como você. Quem clicará o botão no Home Broker será você, então cabe a você a pesquisa, análise e tomada de decisões.

18 comentários:

  1. AdP sou acionistadaalpargatas desde 2010, importante frisar que nesse período ela concedeu bonificacoes anuais de 10%, o que muda um pouco o quadro dos dividendos. Alpargatas enfrentava 3 problemas, falta de capacidade de produção paraatender o mercado, preço da borracha no mercado internacional e participação em umasarauvads tecidos na Espanha que está mal, em razão da recessão espanhola.
    Dois problemas se resolveram inauguração da nova fábrica em minas que representou um grande investimento e aumento do endividamento e a uma pequena queda do preço da borracha, mas principalmente aestabilizacao.
    Outro aspecto a alpargatas é uma empresa de moda, comprou 60% da osklen, fabrica e representa a timberland no Brasil e renovou por mais 33 anos a licencada mizuno na america latina.
    No segundo trimestre os números foram desanimadores, e devem piorar nessesemestre , pois a topper Argentina é uma operação importante, líder no segmento esportivo daquele país, mas que vêm enfrentando uma recessão braba por lá e apresentando números ruins.
    Na última reunião com associonistas a direção fez fortes apostas na fábrica de mg que estava entrando em operação e minimizou os números Pesar de bastante ruins.
    Minhaparticipacao atual está em atenção, vai depender dos próximos números, além disso a remuneração dadiretoria é exagerada. Em contrapartida é uma empresa focada no futuro que vem fazendo apostas interessantes que tem um plano claro de onde quer chegar e que vem crescendo muito..

    ResponderExcluir
  2. Houve um anônimo que escreveu, mas não sei por que não apareceu. Irei reproduzir aqui:
    "
    AdP sou acionista da alpargatas desde 2010, importante frisar que nesse período ela concedeu bonificacoes anuais de 10%, o que muda um pouco o quadro dos dividendos. Alpargatas enfrentava 3 problemas, falta de capacidade de produção para atender o mercado, preço da borracha no mercado internacional e participação em uma sarauvads tecidos na Espanha que está mal, em razão da recessão espanhola.
    Dois problemas se resolveram inauguração da nova fábrica em minas que representou um grande investimento e aumento do endividamento e a uma pequena queda do preço da borracha, mas principalmente a estabilizacao.
    Outro aspecto a alpargatas é uma empresa de moda, comprou 60% da osklen, fabrica e representa a timberland no Brasil e renovou por mais 33 anos a licencada mizuno na america latina.
    No segundo trimestre os números foram desanimadores, e devem piorar nesse semestre , pois a topper Argentina é uma operação importante, líder no segmento esportivo daquele país, mas que vêm enfrentando uma recessão braba por lá e apresentando números ruins.
    Na última reunião com os acionistas a direção fez fortes apostas na fábrica de mg que estava entrando em operação e minimizou os números Pesar de bastante ruins.
    Minha participacao atual está em atenção, vai depender dos próximos números, além disso a remuneração da diretoria é exagerada. Em contrapartida é uma empresa focada no futuro que vem fazendo apostas interessantes que tem um plano claro de onde quer chegar e que vem crescendo muito."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo. É muito importante o comentário dos acionistas da empresa. Você compartilhou informações importantes.
      Normalmente não me incomodo com preços de matéria prima, pois considero que a administração da empresa possui planejamento para saber lidar com isso. Um exemplo é o meu investimento em MDIA3 e o preço do trigo.
      O problema de "falta de capacidade de produção para atender o mercado" é, na minha opinião, um bom problema. Deve ser por isso que, nos últimos anos, a produção da empresa tem aumentado, mesmo que individualmente os calçados não tenham apresentado aumentos no seu valor agregado. Acho interessante que nos últimos relatorios que li, a empresa mostrou que está preocupada no aumento das margens. Isso pode mostrar que agora ela está tendo condições de suprir a demanda do mercado (principalmente após a construção da fábrica em MG), e que a preocupação está na lucratividade por par.
      Os resultados deste ano estão desanimadores. A empresa colocou parte da culpa na Copa, pois ela teve maiores gastos com marketing, se não me engano. Caso eu fosse acionista de longa data, não me preocuparia muito com isso. E caso eu fosse uma pessoa querendo entrar na empresa, poderia ensaiar uma entrada, haja vista que estes recentes resultados surtiram reflexos nas cotações da empresa.
      Outro aspecto importante é que a empresa frisou que está apresentando resultados positivos com suas operações na Argentina.
      Eu não pesquisei sobre a remuneração da diretoria, mas também não gosto quando a empresa é muito generosa com seus diretores.Vou dar uma pesquisada sobre isso.

      Abraços e muito obrigado pelas informações.

      Excluir
    2. AdP, voltei!
      As margens não aumentavam exatamente em razão do custo da borracha que é muito elevado em relação ao custo das sandálias que tem um teto, caso contrário, oscompradores compram de outro material.
      A idéia de aumentar as margens vem de vender produtos de maior valor agregado e explorar a marca havaiana em outros produtos, alpargatas é uma empresa de moda.
      A compra da osklen está alinhada com essa estratégia, assim como a fábrica de tecidos de moda, comprada na Espanha..

      Excluir
    3. Nos últimos 10 anos a margem líquida da Alpargatas foi mais baixas que da Grendene. Entretanto, o aumento custo na borracha não foi sua causa. Custo de borracha impacta diretamente no lucro bruto por pertencer a conta Custo dos Bens e/ou Serviços Vendidos, que são os custos necessários para produzir um bem, impactando, assim, a margem bruta da empresa. Neste quesito, as margens brutas de ambas são bem parecidas.
      O que impacta realmente a margem líquida da Alpargatas são as despesas que representam o esforço de vendas, como marketing, salários de diretoria, comissão de vendas, dentre outras, que são maiores que da Grendene.
      Ou seja, os custos para produzir são parecidos, mas as despesas que representam o esforço de venda são maiores na Alpargatas. Eu enxergo isso como uma maior agressividade da empresa, fator que vem trazendo resultados.
      Espero que a estratégia de agregar maior valor através da moda funcione. Tem gente que dá muita importância a isso.
      Abraços

      Excluir
    4. Mais sobre a Alpargatas (reportagem do VALOR de hoje03/11/15):
      Alpargatas vende Topper e Rainha a grupo do fundador da Wizard
      Valor SÃO PAULO - A fabricante de calçados Alpargatas anunciou nesta terça-feira a venda das marcas Topper e Rainha para o grupo de investimento Sforza, do empresário Carlos Wizard Martins, fundador do grupo Multi - que inclui as escolas de idiomas Wizard,

      Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/empresas/4298264/alpargatas-vende-topper-e-rainha-grupo-do-fundador-da-wizard ou as ferramentas oferecidas na página.
      Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

      Excluir
  3. Por enquanto continuo firme e feliz com Grendene.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grendene é uma boa empresa para se ter em carteira.
      Abraços

      Excluir
  4. ADP, excelente trabalho, parabéns!!!

    MKW

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grende MKW, que bom que você tenha gostado das postagens. Seja sempre bem vindo.
      Abraços

      Excluir
  5. Respostas
    1. Notei que na maioria o pessoa prefere a Grendene.
      Abraços

      Excluir
  6. Realmente GRND3 bate bem mais com meu perfil de investimento. Abraços e muito boa avaliação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A empresa está redonda e com boas margens. É uma boa empresa para o setor.
      Abraços

      Excluir
  7. Nao tem como comparar, tem que ir de grendene

    ResponderExcluir
  8. ADP,

    Eu resumiria essa comparação da seguinte forma. A Alpargatas é boa, contudo, a Grendene é melhor que ela.

    PS: Ainda estamos aguardando a postagem com as modificações realizadas na sua carteira...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Devido aos avanços da Alpargatas, eu considero que ela também tem suas virtudes,rs.
      Calma, rapaz. Eu demoro pra fazer postagem.
      Abraços

      Excluir
  9. O controlador da alpargatas assusta. To fora.

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.