sábado, 21 de fevereiro de 2015

Simulação de compras periódicas – BBDC4

A história não pode ser esquecida, pois através dela investidores evitam a repetição dos erros que foram cometidos e aprimoram suas estratégias através dos acertos encontrados. Nem sempre é preciso errar para aprender. Sábio é aquele que aprende com o erro dos outros.
Um modo de verificar a história é através da simulação de compras periódicas de empresas e de fundos da bolsa que ainda estão listados. É na realização destas compras que esta série é dedicada.
Foram feitas simulações de empresas, ETF e FII. Para acompanhá-las clique AQUI.
Após a simulação com o Banco do Brasil, sentiu-se a necessidade de compará-lo com um dos seus pares privados: Itaú ou Bradesco. Como o atual Itaú é fruto de uma fusão entre os antigos Itaú e Unibanco (o que demandaria maiores pesquisas para a simulação), foi escolhido, por causa da praticidade, o Bradesco para a realização da simulação.
Fundado em 1943, o Bradesco (Banco Brasileiro de Descontos) é um dos maiores bancos privados no Brasil. No mercado de capitais, ele é conhecido por ser uma Blue Chip que entrega resultados consistentes e distribui dividendos mensalmente.


Nesta simulação adotaremos as seguintes regras:
-O aporte mensal será o equivalente a R$500,00 de dezembro de 2014 (término da simulação). Para meses anteriores, haverá um ajuste de acordo com a inflação (IPCA). Por exemplo, o aporte de janeiro de 2006 foi de R$314,68. Teoricamente este valor daria para comprar as mesmas coisas e na mesma quantidade que podemos comprar hoje com 500 reais. Esta medida de ajuste pela inflação foi realizada com o propósito de manter o mesmo poder de compra para todos os períodos. O ajuste é realizado mês a mês.
-A simulação é iniciada em janeiro de 2005 e será finalizada em dezembro de 2014, o que dá um total de 10 anos de aportes. O patrimônio final será apurado na cotação do primeiro dia útil de 2015.
-O investidor aporta mensalmente, mas faz compras trimestrais. Logo, ele acumula dinheiro por três meses para depois comprar.
-O investidor decidiu com seu corretor que as compras sejam realizadas no preço de abertura no primeiro dia de cada trimestre (primeiro dia útil de janeiro, abril, julho e outubro).
-Os dividendos e JSCP recebidos serão acumulados por três meses, de forma a coincidir com a compra trimestral. Os JSCP terão a sua retenção normal de 15% de imposto de renda.
-A cotação utilizada na simulação é a cotação de época, não ajustada.
-O investidor também decidiu com seu corretor para que ele compre o máximo de ações de BBDC4 possível, utilizando seu dinheiro em caixa (aportes + proventos). Nessas compras, será cobrada uma taxa de corretagem de 20 reais.
-Todos os dados utilizados para a simulação (dividendos, JSCP, cotação, desdobramentos, etc) foram retirados da Bovespa.

Realizando a simulação de compra chegaremos a tabela abaixo, resumindo o que aconteceu em cada ano. A "Quantidade de ações final" demonstra quantas ações o investidor teria no último dia útil de cada ano. "Aporte acumulado" é a soma dos aportes desde o início da simulação.


Gráficos

Lembre-se que, nestas simulações, os “pulos” no gráfico de quantidade de ações costumam ser de eventos como desdobramentos e bonificações. No caso do gráfico acima, tivemos bonificações de 100% em 1T06 e 2T07, uma outra de 50% em 3T08, e outras pequenas bonificações de 10% em 2T10, 4T10 e 2T13.


Esta empresa paga dividendos em todos os meses. Além disso, de acordo com o gráfico acima, pode-se perceber que ela paga a maior parte no último trimestre, particularmente no mês de dezembro, como se fosse uma espécie de 13º salário.

Conclusão
O investidor terminou a simulação com 2317 ações por R$34,75 cada e um caixa de R$1,71, tendo então um patrimônio de R$80.517,46.
Em todo o período ele aportou R$46.163,30.
No ano de 2014, ele recebeu R$2.569,90 em dividendos, equivalente a R$214,15 por mês.
Pela Taxa Interna de Retorno (TIR), o rendimento médio anual que nosso investidor obteve com as ações do Banco Bradesco foi de 10,67% ao ano, o que representa um rendimento médio mensal de 0,84%. No mesmo período, o Ibovespa apresentou rentabilidade de 4,6% ao ano.
Se ele investisse apenas 1.000 reais em janeiro de 2005 e reinvestisse todos os dividendos, mesmo considerando todos os custos e imposto de renda sobre o JSC, estes 1.000 reais seriam hoje 137 ações. Contando com os dividendos em caixa, estes 1.000 reais se transformariam em R$4.875,23 em 02/01/2015, equivalendo a um rendimento de 17,17% ao ano, ou 1,32% ao mês, pela TIR.
A ação fechou a simulação com o preço de mercado de R$34,75. O preço médio de nosso investidor foi de R$24,05. Entretanto, o valor que o investidor efetivamente utilizou de dinheiro novo em suas compras foi de R$19,92 por ação.

Consideração Final
Com uma rentabilidade anual de 10,67% ao ano, podemos constatar que o desempenho das ações do Bradesco, apesar de ser bem superior ao do Banco do Brasil, ainda não está em um patamar aceitável.
Sim, é verdade. Se você acreditava (que nem eu) que um simples sistema de compras periódicas no Banco Bradesco nos últimos 10 anos era garantia de ganhos bem acima da média, é melhor rever os seus conceitos. Veja o gráfico abaixo, que possui a cotação ajustada pelos dividendos no período da simulação:

Agora, considerando que a cotação do fim da simulação é de R$34,75, veja na tabela abaixo abaixo a rentabilidade que o investidor obteve nas compras de janeiro de cada ano da simulação:


Como podem observar, em apenas 3 anos a rentabilidade foi muito acima dos 10,67% ao ano, sendo que em 2006 a rentabilidade ficou levemente acima. Considerando este aspecto (e também os custos de corretagem e o imposto de renda sobre JCP), é razoável acreditar que a rentabilidade de 10,67% está correta. A pergunta é: qual sua opinião sobre isso?


Gostou da postagem? Deixe sua impressão. Deixe também nos comentários uma sugestão de empresa para simulação.

59 comentários:

  1. muito bom... faca um post, sobrepondo os gastos dos dois bancos, seria muito legal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anon, que bom que você tenha gostado.
      Estou pensando em fazer uma postagem com uma alocação 50%/50% para ver se há alguma grande diferença de rentabilidade. O problema é planilhar.
      Abraços

      Excluir
  2. Achei bem aceitável.

    Temos que levar em consideração a crise de 2008 e a atual.

    Para uma empresa deste porte que tem foco apenas no mercado doméstico não é ruim.

    Importante é que a empresa tem sido rentável por muito mais que esses 10 anos, algo raro na Bovespa.

    ResponderExcluir
  3. "A pergunta é: qual sua opinião sobre isso?"

    A minha opinião? A minha opinião é que o BBAS é mais interessante para o holder, é só comparar os dividendos auferidos, que aliás, chegam a 7% ao ano. Ganharia 4k se estivesse em BBAS, 1,5k a mais do que ganharia em BBDC, fim de papo. Vou ganhar mais dividendos gastando menos dinheiro, afinal, sou holder e não quero vender minhas ações - a menos que elas parem de gerar os dividendos esperados, coisa que parece que não vai ocorrer com o BBAS. Quem leu e concorda com os ensinamentos de Décio Bazin certamente entende do que eu estou falando, e jamais compraria BBDC com seu parco DY, pois acredita-se, neste modelo, que o ativo vale o quanto gera de fluxo de caixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu discordo firmemente desta opinião. Creio que o BBAS paga mais dividendos e a ação não sai daquela oscilação de 22 a28. Já BBDC paga menos dividendos e a ação vai se valorizando. Para Holder o bbdc é melhor especialmente porque o bbdc não tem petralha há administração.

      Já para o AdP digo que ao contrário do que diz Bastter e papagaios, na bolsa se for um comprador sem ver preços terá um trabalho maior por uma diferença insignificante de um CDB. Tem que fazer "time" sim, de compra e de venda.

      Excluir
    2. Suponhamos a seguinte situação:
      Compro apartamentos para alugar e pagar minhas despesas com o fluxo de caixa... comprei 2 em 2005 pelo mesmo valor... 460k

      Apto 1 dá 7% ao ano de aluguel, e vale hoje 700k.
      Apto 2 dá 3,5% ao ano, e vale hoje 800k.
      Esses são os Yields levando em conta os valores de venda.

      Já se levarmos em conta o capital aplicado:
      O Y do 1 sobre o k aplicado é de 8,6%
      O Y do 2 sobre o k aplicado é de 5,5%...

      Fica claro ver qual é o melhor investimento por essa ótica. Aliás, o mais racional a fazer seria vender o segundo e comprar outro igual ao primeiro.

      Excluir
    3. Na boa, acho q vcs estão discutindo por coisas completamente diferentes.
      Se vc quer aumento de capital, o estudo mostrou que o BBDC foi mais eficiente que o BBAS. Agora, se o objetivo é a distribuição de dividendos, o BBAS se mostra uma alternativa melhor atualmente.
      Ficam competindo para ver quem está certo, mas não percebem que cada um está certo para o objetivo que busca.

      Excluir
    4. Olá pessoal,
      A discussão é muito boa. Em linha semelhante do Mairlo, também penso que a discussão está mais ligada ao perfil do investidor do que o que seria certo x errado.
      Particularmente não investiria em uma empresa apenas porque ela possui DY maior, pois normalmente são empresas com baixo potencial de crescimento. Entendo o cálculo do anon 00:06 e faz todo o sentido. Entretanto, o exemplo utilizado não são imóveis, e o exemplo utilizado tem como propósito a utilização do fluxo de caixa para pagamento de despesas atuais. Quando compramos ações hoje, não temos a intenção de HOJE utilizarmos estes proventos para pagamento das despesas, mas sim daqui a 20 ou 30 anos. Então, para mim que, que pretende hoje reaplicar os dividendos, prefiro tentar identificar as empresas com maior potencial de valorização. Lá na frente, quando eu desejar utilizar o fluxo de caixa para pagamento de despesas, aí sim poderei fazer os remanejamentos necessários para obter maior fluxo de caixa. Eu cheguei a fazer uma postagem a respeito:
      http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2014/02/dividendos-um-fim-nao-necessariamente.html

      Mas como é bom repetir, esta é minha linha de pensamento. Há investidores que gostam de focar em dividendos. Inclusive, investidores de sucesso como Barsi focam muito neles.

      Abraços

      Excluir
  4. Parabéns pelo post.

    Acredito que o que interessa é a maior taxa de retorno, pois agrega mais valor ao patrimônio.

    Esse estudo demonstra que é importante diversificar entre ativos e também dentro da mesma classe de ativos. Fica demonstrado que bons ativos preservam o patrimônio o que já é algo digno de mérito. Se parte da carteira está, como nos exemplos do Bradesco e Banco do Brasil, em ativos mais defensivos, por outro lado você pode comprar outros ativos que possam vir a alavancar mais o patrimônio, como por exemplo ações de small caps.

    Quando à sugestão do Anônimo da menssagem anterior, você até pode fazer trade, desde que entenda que somente com seu capital de risco (aquele $ que se você perder não impactará suas finanças), ou seja, nunca com o $ que compõe seu patrimônio. Lembrar também que todo o ganho com trade deverá ser transferido para o patrimônio.

    Além disso, você pode rentabilizar sua carteira de ações de outras formas, como por exemplo o aluguel de ações e o lançamento de opções.

    Só fiquei com uma dúvida: essa rentabilida já está descontada da inflação do período?

    Abraços.

    EstudaMeuFilho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá EstudaMeuFilho, boas considerações.
      A rentabilidade não desconta a inflação.
      Abraços

      Excluir
  5. Já que os anônimos estão tomando conta do pedaço, vou postar assim também:

    Eu acho que o estudo demonstra que salvo raras exceções, mesmo as mais rentáveis empresas, tem apresentado retorno aquém do esperado no período do estudo e isto é preocupante !

    Isto sinaliza que o velho e bom B&H pode estar com os dias contados e que talvez a estratégia de uma gestão ativa (girar a carteira), produza resultados mais interesantes em crescimento patrimonial que é o objetivo final que tem que ter quem investe em ações, justamente por se comprar mais risco neste tipo de ativo.

    EstudaMeuPai

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza o B&H ativo é a melhor opção, só que 1% dos investidores sabem fazer isto direito, e agora José? No meio do caminho tinha uma pedra, tinha uma pedra no meio do caminho...

      Excluir
    2. Anônimo,

      Não existe essa definição "B&H ativo". O que vocês chamam de B&H ativo é o bom e velho Buy and hold. O holder inteligente está sempre acompanhando as suas empresas e monitorando oportunidades.

      Vejam o meu caso, com as trocas recentes que fiz na minha carteira, com a saída da Sabesp e da Natura e a entrada da Valid e da Porto Seguro. Tanto a SBSP3 como a NATU3 continuam sendo empresas boas, dignas de B&H, contudo, eu acredito que a VLID3 e a PSSA3 terão um desempenho melhor que elas.

      Caímos então naquela condição de que o holder pode mexer na sua carteira quando enxergar que trocar algumas empresas dela potencializará o seu retorno no longo prazo.

      A outra condição de mudança é quando a empresa ficar ruim, ou seja, piorar os seus fundamentos. E tudo isso ignorando cotações e notícias.

      Abraços.

      Excluir
    3. Eu acredito que esta postagem não pode ser superestimada a ponto de enterrarmos o Buy & Hold.

      Excluir
  6. Acontece que estamos indo pra o oitavo ano de maus ventos para os mercados como um todo. Se pegar 15 anos, vai pegar um pouco do bull market anterior e o resultado será outro. Enfim, empresa têm mostrado um bom desempenho operacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dado que seria interessante acrescentar a estes estudos (aos próximos pelo menos), seria o P/L de cada um dos 10 anos (ou, se não for um esforço muito maior, dos 240 meses).

      Daria para ter uma noção melhor do porque do mau ou bom retorno do investimento: se pagou preço alto na ação, se mercado que está pessimista no final do período, se empresa que realmente piorou, etc,etc.

      No caso específico do Bradesco, tenho a impressão de que: o P/L estava um pouco alto entre 2005 e 2007, resultando em más compras para o holder, no final de 2008, começo de 2009 tivemos preços mais aceitáveis, desde então, empresa continuou melhorando ano a ano, mas os preços não subiram na mesma proporção.

      Excluir
    2. Olá guga e anon,
      Dá um trabalho mas eu consigo sim colocar o P/L ano a ano. Eu faço isso com as postagens de análise e opiniões sobre empresas. Entretanto, tem que ver se realmente esta informação agrega conhecimento útil. Acho que seria interessante na última tabela desta postagem, onde eu separei a rentabilidade em cada janeiro. Se os janeiros que obteram maiores rentabilidades foram os de menor P/L, será um argumento a mais contra aqueles que falam que P/L não serve para nada.
      Abraços

      Excluir
  7. ADP,

    Parabéns por mais essa bela simulação! O desempenho do Bradesco foi melhor que o do BBAS3, contudo, ainda assim inferior ao esperado. Em todo o caso, é uma ótima empresa que cai bem em qualquer carteira.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. ADP,

    Parabéns pelo post! À primeira vista pode parecer um resultado bastante fraco, os 10,67%, porém foi um bom resultado, comparativamente com outros instrumentos de investimento. Se você fizesse os mesmos aportes periódicos e considerasse a correção pela SELIC, a taxa interna de retorno bruta, sem considerar desconto de IR, eu chutaria que ficaria entre 5 e 6%. Infelizmente estou impossibilitado de fazer essa simulação agora, mas tào logo eu consiga, posto o resultado aqui.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  9. Achei a simulação bem interessante e surpreendeu muita gente que pensou que a diferença entre o BB e Bradesco em rentabilidade seria muito maior para o banco privado. Acredito que o BB só vai decolar com uma mudança de governo, o que pode ser uma oportunidade nessas faixas de valor abaixo de 22, fora os dividendos bem superiores aos seus pares, tem ativos interessantes como uma forte participação na Cielo, além de estarem iniciando um negócio onde terá participação em 30% na joint venture. Por isso devemos analisar todo o contexto e o Banco do Brasil poderá trazer maior retorno aos investidores que se aproveitarem da flutuação da faixa de preço do BB.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo !! ah mas essa mudança de governo que teima em não vir.... rsrs

      Excluir
    2. Eu considero o valor do BB muito depreciado.
      BBAS vale hoje 68 Bilhões, sendo que possui cerca de 40 bilhões em BBSE3 e 18 bilhões em CIEL3. Ou seja, o banco por si só (e suas outras participações) supostamente esta sendo avaliado por meros 10 bilhões. Fazendo a mesma matemática no início deste mês,o banco estaria sendo avaliado como se não valesse nada. O fator governo pesa muito.
      Abraços

      Excluir
    3. Típica análise do Barsi esta. Mas muito interessante.
      No mais, parabéns pela postagem

      Excluir
  10. Muito obrigado por ter feito a simulação, AdP! Ela acabou se mostrando bastante elucidativa !

    No meu caso, me fez pensar o seguinte: tivesse, este mesmo investidor, uma carteira com mais ativos, teria feito melhor uso do seu aporte nos períodos de alta do setor financeiro investindo-o em outros setores, como forma de rebalanceá-la.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, estou querendo fazer uma simulação com alocação de ativos. O problema é esquematizar isso na planilha. Isso toma muito meu tempo.
      Abraços

      Excluir
  11. ADP, mais um excelente post.
    Apenas uma pergunta, sabe quanto aumentou o Patrimônio Líquido do BBAS, BBDC e ITUB de 2005 até agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André,
      Estas informações são fáceis de serem achadas no site do Bastter. De acordo com ele, em 2005 o patrimônio dos referidos bancos era em 2005, em bilhões:
      BBAS - 16,8
      BBDC - 19,4
      ITUB - 15,5

      Agora no final de 2014:
      BBAS - 77,9
      BBDC - 81,5
      ITUB - 100,6 (lembre-se que houve fusão)

      Abraços

      Excluir
  12. Muito bom o post. Acho que falo por todo quando digo que adoramos essas simulações!
    Minha opinião: O Brasil é o país da renda fixa. Period.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é o país da renda fixa mas pode ser bom para ações também. A bolsa está dando alguns sinais que podem talvez mostrar que está com preço atrativo. Alguns deles são os frequentes programas de recompra de ações e até OPA, como o da Souza Cruz.
      Abraços

      Excluir
  13. AdP,

    Achei o resultado muito bom. O problema é que aparentemente a rentabilidade ficou pequena. O aporte mensal puxa pra baixo a rentabilidade, acho que tem um post seu inclusive que fala com detalhes sobre isso.
    Caso não houvesse aportes mensais, a rentabilidade seria de 17% ao ano. Isso sim é incrível.
    Mas, para o pequeno investidor, que aporta regularmente, ainda considero um resultado muito bom.

    Só sei que eu também fiquei pensando comigo mesmo que minha LTN com vencimento pra 2017 tá sensacional kkkk.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Olá Adp,
    Ótima postagem, nem tudo é o que parece ser, não é? A minha conclusão é que preço/time influencia, e muito, na rentabilidade dos investimentos em ações.

    www.nzofinancas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. ADP,

    Excelente post, mais uma vez parabéns.

    Diferentemente da maioria dos que comentaram, eu não me surpreendi muito com o resultado e para mim é um resultado excelente em se tratando de uma empresa tão estável e portanto um investimento defensivo.

    Como já foi dito anteriormente, o ponto de entrada (jan/2005) e saída (dez/2014) não é muito favorável, não especificamente para o Bradesco mas para a bolsa em geral. Dito isso, o melhor é comparar com outros indicadores de mercado.

    Considerando que Bradesco teve rentabilidade média anual de 10,7% a.a, Banco do Brasil 7,3% e o Ibovespa 4.6% a.a., minha conclusão é que foi um excelente resultado. Aí alguns vão dizer que comparado ao CDI foi ruim, pode até ter sido, mas isso se deve ao período do estudo, se fosse em outro período mais favorável para a RV, certamente bateria o CDI fácil.

    Além disso, temos que considerar que investir nos bancões é um investimento bastante defensivo, pois são entidades muito sólidas e portanto não é de se esperar que alguém vá ficar bilionário somente investindo no Bradesco.

    Voltando ao ponto das rentabilidades, 6,1 p.p para o Ibovespa e 3,4 p.p. para o BB é uma diferença muuuuuuito grande e no longo prazo então, mais de 20 anos, então é só calcular a rentabilidade com relativo baixo risco.

    Adicionalmente, acho que temos que levar 2 pontos em consideração nas comparações:

    1) Comparar com Ibovespa (inicial - final) não é a melhor maneira. O ideal seria compara com aportes periódicos no índice (tipo sistema de cotas)

    2) O mesmo se aplica para comparar com RF. O ideal seria fazer uma simulação (eu sei que dá trabalho) de aportes periódicos em RF para apurar a TIR, pois este também pode apresentar variação e o resultado não é exatamente a taxa acumulada no período.

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Independente do período analisado, a simulação mostra uma carteira em formação, com o investidor aportando mensalmente, o que sempre irá reduzir a rentabilidade real do ativo. Na prática, as pessoas não vendem suas ações ao término da montagem da posição. Veja meu caso, por exemplo. Adquiri 3.000 ações de BBDC4 e não pretendo mais aportar nela. Se a empresa continuar crescendo e entregando ótimos resultados, minha rentabilidade será bem maior do que o resultado dessa simulação. Fica a sugestão: quando possível, dividir a simulação em dois períodos, sendo um com aportes (montagem da carteira) e outro sem aportes (apenas recebimento de proventos e ganho de capital).

    Ótimo post, como sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma boa ideia. Mas acho conveniente definir quais seria os critérios de parada dos aportes. Talvez metade do tempo de aportes e metade sem.
      Abraços

      Excluir
  17. Belo trabalho ADP. Gostaria de ter a ousadia de levantar uma questão: Vale realmente apena investir em ações, ou seria melhor a renda fixa(em especial a LFT)?
    Pergunto isso por que vejo que investir em ações ou renda fixa, é um estilo de vida. E há muito mas "glamour" na ações do que na renda fixa. Vejo muita gente rejeitando a renda fixa por acreditar que estudar e investir em ações poderá ser mais recompensador.

    Pode até recompensar, mas já parou para observar o quanto de gente que vive do "Glamour" das ações? O quanto de site,revistas e blogueiros que dão curso, que ganham com isso? E nessas revistas, já reparou qiantos artigos que falam o que os pequenos investidores mais gostam de ouvir: "viver de dividendos", "liberdade financeira", "ficar rico". Já percebeu que todas essas musiquinhas não sai de nossa cabeça? O que sempre associamos independência financeira à investimento em ações?

    Já percebeu também que no longo prazo, no Brasil, a renda fixa sempre ganha? E apenas nos E.U.A Europa a bolsa é vantajosa no longo prazo?

    Sem contar a quantidade de tempo que dedicamos ao mundo das ações. Muita gente passa madrugadas lendo e relemdo em forus as mesmas coisas, todos os dias, durante anos. Isso faz bem a saúde? Isso não deveria ser considerado um passivo, e descontado na rentabilidade dos papeis?

    Gostaria que VC, fizessem um artigos, com toda a competência, onde VC avalie se realmente é lógico investir em ações no Brasil.



    Abraço!
    Daniel Alcantara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel,

      Sim, vale a pena. Não precisa pedir para o ADP fazer um post sobre isso porque eu já fiz:

      http://investidorlivr3.blogspot.com.br/2015/01/vale-pena-investir-na-bolsa_12.html

      Abraços!

      Excluir
    2. Pra quem tem muito poder de aporte, a renda variável pode ser dispensada. No mais, não é necessário escolher entre RF e RV, já que o ideal é ter as duas modalidades.

      Excluir
    3. Olá anon, perguntar não é ousadia nenhuma. Estamos aqui para conversar e debater.
      Seu questionamento faz sentido haja vista o mercado de ações estar de lado desde 2008 enquanto a renda fixa estar com taxas atraentes. Mas não tenho a mesma percepção de que as pessoas investem na bolsa por "glamour".
      Estou confiante de que o investimento em ações, mesmo no Brasil, renderá mais do que a renda fixa. Entretanto, não são todas as ações. É preciso fazer uma análise para escolher empresas. Não leve esta simulação como um estudo conclusivo sobre a viabilidade de investimento em ações no Brasil, pois ela retrata um investimento ininterrupto em uma única ação. Interprete-a mais como uma curiosidade. Na prática, um investidor possui várias ações e aporta de acordo com sua conveniência, podendo inclusive realizar trocas. Além disso, o investimento em ações não exclui o investimento em renda fixa.
      E não sou tão competente assim. Cometo tantos erros quanto outras pessoas e ainda estou em aprendizado. A diferença é que decidi abrir um blog e dedicar um pouquinho de tempo a ele, mas isso não me torna acima de ninguém.

      Abraços

      Excluir
  18. Bom dia,

    O que vocês acham das empresas que estão recomprando as ações ?

    http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/25-empresas-que-estao-recomprando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse artigo vai responder suas dúvidas:

      http://mobile.valor.com.br/valor-investe/o-estrategista/2823458/recompra-de-acoes-e-sempre-benefica-ao-acionista

      Excluir
    2. Obrigado Troll vou ler com atenção.

      Att
      Celio

      Excluir
    3. Olá anon,
      Eu acredito que uma grande quantidade de empresas realizando programas de recompra de ações pode significar que o preço delsa está subavaliado, haja vista que estas operações costumam ser comuns em mercados deprimidos. Particularmente gosto muito desses programas de recompra. Já os IPO's são mais frequentes em momentos de alta, quanto o mercado está mais entusiasmado e disposto a pagar mais.
      Outra operação comum nos mercados em baixa são os OPA's. Há o boato do OPA da Souza Cruz. Veremos se acontecerão mais por aí.
      Abraços

      Excluir
  19. Qual a melhor ação hoje no setor elétrico?
    Tenho CEMIG3 e não sei se permaneço com ela em carteira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pergunta extremamente complicada para responder em um lugar onde a maioria esmagadora mal sabe a diferença entre KW e KW/H. O setor é bem amplo e possui diversas empresas. Tem que ser um especialista muito bom para apontar a melhor de um setor tão amplo como esse. Não se pode afirmar isso baseado apenas em balanços.
      Se você não sabe o que fazer com CMIG, permaneça parado.
      Abraços

      Excluir
  20. A Vale caiu mais de 4% hoje, vale a pena comprar ??

    Att,

    Manther

    ResponderExcluir
  21. A Vale caiu mais de 4% hoje, vale a pena comprar ??

    Att,

    Manther

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se compra uma ação apenas porque ela caiu.

      Excluir
  22. Seguindo a linha de pensamento do Decio Bazin, fazendo a relacao capital aportado versus DY do ultimo ano. BBDC rendeu algo em torno de 5,5% e BBAS 8,8%. 8,8% ja livre de impostos, taxas e emolumentos e uma rentabilidade consideral ja que como o Troll citou a simulacao diz respeito a uma carteira em formacao. Caso o investidor houvesse aportado os 45K numa tacada so a rentabilide em DY hoje seria muito maior que 8.8%.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas levando em consideração o patrimônio, BBDC rendeu muito mais. E nada impede que hoje, caso for desejo do investidor um maior fluxo de caixa, o investidor faça vendas mensais de 20k e aporte em um ativo mais indicado para isso.
      Abraços

      Excluir
  23. Simulacao muito interessante, valeu a iniciativa! Saudacoes.

    ResponderExcluir
  24. Legal a simulação! Adp e se os aportes fossem maiores, mudaria a rentabilidade? E acredito que 10 anos de aporte contribuiu para essa rentabilidade (baseado em analistas que defendem um minimo de 20 anos)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O valor do aporte mudaria em quase nada a rentabilidade. Só mudaria bem levemente para cima porque o custo de corretagem é fixo, e este valor é percentualmente menor para aportes altos.
      Se pegássemos 20 anos (1995-2014), a rentabilidade seria bem diferente. Acredito que seria sensivelmente superior ao da postagem.
      Abraços

      Excluir
  25. O método dos aportes dobrados é mais eficaz:
    https://blogdoportinho.wordpress.com/2011/09/19/mad-otimizacao-dos-aportes-metodo-dos-aportes-dobrados/
    https://blogdoportinho.wordpress.com/2010/11/11/o-metodo-dos-aportes-dobrados-tecnicas-para-gestao-de-aportes-em-carteira-propria-e-em-fundos/

    E se você refizer as simulações anteriores com esse método? Aposto que a rentabilidade vai subir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Testarei sim, fox. Gosto muito dos artigos do Portinho e este método parece ser bem interessante.
      Abraços

      Excluir
  26. bom dia ADP,

    Acredito que a essência da renda variável ( qualquer outro investimento) e comprar quando a manada está vendendo.

    Sugiro a seguinte simulação, fazendo aportes anuais, apenas na semana anterior ao carnaval.

    Minha percepção é que a rentabilidade será bem melhor,

    Maico

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.