domingo, 24 de janeiro de 2016

Mudanças na carteira – venda de Cielo

Na próxima postagem de fechamento mensal registrarei a venda de boa parte (senão todas) de minhas ações da Cielo (CIEL3). Gostaria de compartilhar com vocês as motivações.

Como avisei na postagem de troca da ETER3, reafirmo que sou contra o casamento de ações. Mesmo que a intenção do investimento seja de longo prazo, é preciso considerar que somos suscetíveis a fatos ou acontecimentos que sugerem mudanças na carteira. Como compramos uma ação baseado principalmente nos dados constantes em seus balanços, sem ter uma visão interna da empresa ou sem saber mensurar seu contexto diante de fatores externos (economia, concorrência, inflação, etc), pode acontecer de um investimento não desempenhar conforme nossa expectativa. Outra variável que pode ser citada é que é natural que a obtenção de conhecimento tácito nos faça calibrar nossa estratégia conforme o tempo passe, fazendo com que se perceba que algumas ações compradas anteriormente não seja mais indicadas.

Em suma, sou contra o Buy & Hope ou Buy&Forget, sendo favorável a postura do investidor na realização de avaliações de sua carteira de ações, realizando mudanças quando achar conveniente. 
Antes de tudo é preciso ressaltar que a empresa performou nos últimos anos de forma bem acima de minhas expectativas. Quando realizei o grosso de compras das ações da empresa no primeiro trimestre de 2011, nunca pensei que ela desempenharia da seguinte forma:
Fonte: fundamentus.com.br
Lembro-me perfeitamente que na época era unânime entre os analistas que a empresa sofreria bastante com a concorrência, o que fez a empresa cair para seu fundo histórico. Fiz compra dessas ações não porque tinha a certeza de que os analistas estavam errados, mas sim porque considerava a empresa barata, baseando-me nos tradicionais índices fundamentalistas P/L, P/VP e DY, que são a fonte de informação primária para um investidor amador iniciante fundamentalista (coisa que ainda sou, mas era mais ainda no início de 2011).
Desde então o valor de mercado da empresa multiplicou-se por 4, o que não foi acompanhado pelos lucros da empresa que “apenas” dobraram. Quando comprei, a empresa tinha dívida zero e crescia com força, apresentando altas margens. Hoje a empresa ainda cresce com força, mas é visível que a força está um pouco menor, além de contar com uma dívida relevante (ainda saudável, mas não é dívida zero) mas com margens que, apesar de altas, também estão caindo resultado após resultado.
A empresa é tão resiliente na bolsa que o mercado pensa duas vezes antes de baixar sua cotação. Mesmo com toda a crise político financeira que o país passa e que afeta o valor de mercado das empresas da bolsa, a Cielo perdeu em 2015 apenas 1,47% de seu valor e em 2016 acumula queda (até o dia de hoje) de apenas 3,4%. Possui um valor de mercado de 61,2 bilhões de reais, maior que empresas tradicionalíssimas como Petrobras (57,5 Bi), Vale (35,2 Bi), Banco do Brasil (37,2 Bi), Santander (49,3 Bi) e Souza Cruz (42,1 Bi antes de fechar capital). De vilã à heroína, o cenário atual é completamente diferente de quando comprei. Hoje a empresa é queridinha de muitos analistas e investidores de longo prazo.
Sobre um dos motivos de venda, recordo-me de uma lição de Ken Fisher que diz que nenhuma empresa ou setor fica ótimo por muito tempo. Passem 5 ou 10 anos, é a vez de outra empresa ou setor se destacar na bolsa. Pensando nisso, acredito que consegui carregar as ações da Cielo no seu melhor momento. Provavelmente ela se valorizará conforme o tempo for passando, mas numa velocidade bem menor que antes. Acredito que o fato da empresa precisar buscar formas de diversificar suas operações, necessitando assim, de endividamento, bem como a pequena mas constante perda de margem são sinais de que o custo de crescimento está pesando. Como é uma empresa que considero ter baixa proteção contra possíveis concorrentes, este foi um dos pontos que me fez desfazer de suas ações.
O outro motivo é baseado uma lição básica do mestre Benjamim Graham, no qual negligenciei: a de ter pelo menos 25% de sua carteira em renda fixa. Em minha curta carreira de investidor aprendi que não é sensato estar 100% na renda variável. Comentarei sobre isso em uma postagem a parte em breve.
Digo de antemão que, em prol da diversificação, é provável que os recursos adquiridos com a ação sejam investidos em uma das modalidades de renda fixa CDB, LCI ou LCA, diferente do Tesouro Direto que estou acostumado a investir.


E você, o que achou? Deixe seu comentário.

79 comentários:

  1. Parabéns ADP.
    Difícil, muitas vezes, aceitar que está na hora de vender uma ação tão boa, porém, precisamos ser racional e não ignorar que a situação do país está deteriorada e que concorrência pode vir forte.
    Por sinal, ouvi de um comerciante ontem que estão tentando aprovar que existe uma maquinha só que aceite todos os tipos de empresa (Cielo, Rede, Elavon, entre outras).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paitax,
      É uma decisão difícil sim, mas que já foi feita.
      Há muitos boatos rolando mas, sinceramente, não costumo dar bola a eles. Apesar de que se fizerem isso e dependendo de como será feito, seria um golpe a Cielo, já que parte relevante de sua receita é de aluguel das maquininhas (pelo menos era o que se percebia quando a empresa ainda apresentava esta informação no release). Sinceramente, em relação a esta questão de cada credenciadora possuir sua maquininha ou ser algo concentrado, não sei como é lá fora, mas talvez seria uma informação útil saber disso.
      Sobre minha observação, já reparei alguns estabelecimentos que trocaram de Cielo para outra, ou então o dono tem várias sendo que a da Cielo é usada quando as outras dão algum problema. Mas seguindo o resultado trimestral da empresa, essa questão parece ser irrelevante devido aos saltos de receita que a empresa tem tido.
      Abraços e sucesso

      Excluir
  2. ADP,

    Sou contra a sua decisão! A CIEL3 é um dos tripés da minha carteira de ações, juntamente com a ABEV3 e o ITUB3...

    Acredito que ainda há bastante espaço para ela crescer e aumentar ainda mais os seus lucros.

    Porém, como quem manda na sua carteira de ações é você, o máximo que posso fazer é desejar sabedoria em suas decisões!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IL,
      Por conhecê-lo já esperava essa resposta de você. Mesmo assim é sempre um prazer ter suas opiniões por aqui.
      Abraços e sucesso.

      Excluir
    2. ADP,

      Imagine! A propósito, você liquidou sua posição na Cielo e pretende alienar suas ações do BB em breve.

      Levando isso em conta, a sua intenção é permanecer com apenas seis empresas em sua carteira de ações ou teremos alguma novidade pintando por aí?

      Abraços!

      Excluir
    3. Minha intenção atualmente são 6 empresas, mas não descarto a possibilidade de aumentar ou diminuir essa quantidade.

      Excluir
  3. Por que simplesmente não fazer RF via aportes novos?
    Na minha opinião está vendendo uma de suas melhores empresas, piorou em si mas ainda uma das melhores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cartilha diz isto, deixar em observação e direcionar novos aportes para outros ativos.

      Excluir
    2. Porque a análise envolve também a Cielo. Não é apenas uma questão de investir ou não na renda fixa.
      Eu poderia deixar em observação, mas em algum momento provavelmente venderia as ações baseado nos mesmos motivos.
      Abraços

      Excluir
  4. Olá amigo, acompanho o seu blog, parebens pelos posts...

    Sei que é interessante ter uma reserva em renda fixa,mas acho que voce tinha que pegar o dinheiro novo e definir um objetivo em renda fixa.

    Sobre a Cielo ainda vejo ela como uma excelente empresa, so olhar o o FCO dela vai ver que 3 trimestre do ano passado (2015) FCO é maior que 2014 inteiro, isso sensacional, o investimentos são a diversificação do negocio, ruim seria se ela nao investisse para acompanhar as tendencias de mercado. A Empresa ésta boa ainda, lucro crescendo, Margem caindo um pouco por causa dos investimentos... mas ta longe de ser ruim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anon,
      Concordo com você sobre a questão da Cielo ser uma empresa boa. Não me interpretem mal, mas em nenhum momento eu disse que a empresa é ruim. Seus fundamentos continuam bons e a empresa está investindo a todo vapor. Mesmo considerando as questões levantadas na postagem, a empresa é boa. A questão é apenas que considero que carreguei a empresa em seu melhor, comprando o grosso das ações em seu fundo histórico e minha impressão me diz que o custo de crescimento está pesando. Ou seja, a empresa muito provavelmente crescerá (nunca disse o contrário), mas de forma menos rápida do que anteriormente. Não estou dizendo que daqui para frente é só queda.

      Na verdade estou querendo quebrar o bordão de que se investe em "empresa boa enquanto ela é boa". Nem sempre.
      Abraços

      Excluir
    2. Ola ADP,

      SE esse for teu critério para saída de empresas tudo bem só acho ele bem estranho rsrs , mais ainda vejo a Cielo em outro patamar longe de perder o crescimento. Só ela sozinho domina 52% do mercado atual, olha que temos muitos concorrentes hoje.

      Excluir
  5. AdP

    Parabéns pela qualidade da postagem.
    Concordo com praticamente tudo o que foi escrito por você.
    Você teve sucesso, investindo na empresa em momento de grande valorização do papel.
    Eu ainda que superficialmente estou aprendendo sobre tudo o que abrange o mercado de ações, mas tenho dado um enfoque na questão dos dividendos, sei que isto é só um fator a ser analisado.
    Então Cielo estaria fora da minha carteira pelos dividendos, divida e alguns indicadores distorcidos, mesmo sabendo que a empresa está em ramo especifico.
    Mas qualquer empresa que tem lucros consistentes e crescentes tem o seu valor, e este pode ser um dos motivos pelo qual ela é tão resiliente a crise atual.
    Sucesso na mudança da carteira.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá InM,
      Na verdade todos estamos aprendendo, rs.

      "Então Cielo estaria fora da minha carteira pelos dividendos, divida e alguns indicadores distorcidos, mesmo sabendo que a empresa está em ramo especifico."
      Olha, dividendo realmente está fora de cogitação em Cielo, mas considero isso um ponto positivo para a empresa. Ela está investindo pesado em novos negócios, pegou uma dívida relevante, e por causa disso ela até mudou o payout mínimo do estatuto, de forma a pagar menos dividendos. Considero uma atitude responsável da empresa. Só não sei qual seria o indicador distorcido que você se refere. Seria o ROE?

      "Mas qualquer empresa que tem lucros consistentes e crescentes tem o seu valor, e este pode ser um dos motivos pelo qual ela é tão resiliente a crise atual."
      Acredito que ela é resiliente porque é um dos melhores negócios do mundo. Podemos resumir grosseiramente o negócio em uma distribuição de maquininhas nos comércios. Como a Cielo ganha quando o cliente passa o cartão nela, eu enxergo como se ela fosse sócia do comércio, mas ganhando sobre o faturamento. O comércio lucrando ou dando prejuízo, a Cielo ja tira o dela. Se a inflação correr solta, a Cielo já tira o dela já que o cliente paga o produto inflacionado pela maquininha. Agora multiplica pelos milhares de estabelecimentos no país e considere que a empresa ainda ganha até no aluguel da maquininha. E para fazer o negócio funcionar, basta um sistema de computadores com segurança para evitar fraudes, instalado em um país como o nosso que possui uma rede bancária e de comunicações minimamente decente. O problema é que, em minha visão leiga, não vejo muita proteção contra concorrentes. Não é uma Ambev, no qual um concorrente precisa um maquinário caríssimo, abastecimento constante de matéria prima, propaganda massiva na televisão e um sistema integrado de entrega. É muito mais complicado e custoso.
      Abraços

      Excluir
  6. Interessante sua decisão.
    Salutar que o valor vendido seja inferior a 20 mil, caso contrário, pelo que entendi você pagará mto de IR. No mais, meu entendimento é no sentido de manter a empresa e ir ajustando os percentuais em RF gradualmente.

    A cielo é uma excepcional empresa, mas concordo contigo que nos próximos anos deve crescer mais moderadamente do que vinha crescendo, não vou, entretando, reduzir minha posição nela.

    Abraços e continue com seus excelentes posts.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o valor foi de mais ou menos 12 mil. Se fosse mais de 20k eu venderia aos poucos, mas ainda estou longe de ser um investidor desse naipe.
      Abraços

      Excluir
  7. Também vendi Cielo há um ano e aportei ITUB3.
    Mas por que não vendeu Paraná Banco?

    Sucesso, Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E vai manter EZTC? Realmente uma boa pergunta, queremos entender o racional.

      Excluir
    2. hehehe, vamos lá.
      Enxergo ambas as empresas como empresas de valor. PRBC4 não creio que terá lucratividade explosiva, mas o valor que se paga por ela hoje creio que compensa. Estamos falando de um banco avaliado em 555 Mi mas que lucra 125 por ano.
      Sobre a EZTC, realmente é um caso a se pensar. No momento não penso em vendê-la pois a empresa, mesmo na situação caótica do ramo, ainda consegue performar além do que se espera. Ver apenas o gráfico de lucro líquido não é o ideal, mas veja no caso da Eztec neste link http://www.fundamentus.com.br/graficos3.php?codcvm=20770&tipo=8 como ela (ainda) não externou o caos do setor. Some isso ao fato de que a empresa tem dívida zero, o que acho uma proeza em uma construtora, então é o que me segura.
      Abraços

      Excluir
    3. Achoe perigoso AdP, se prender a um investimento apenas analisando a empresa, a análise setorial é tão importante como.

      Excluir
  8. O que eu achei ?
    Eu achei que você amarelou !
    A empresa não começou a ficar ruim, então sua realização é precoce, movida mais por um sentimento de não estar acompanhando a manada que foi para a renda fixa. Até fervorosos investidores que compraram FII no topo, hoje com tantas promoções, amarelaram e por verem outros indo para RF também tem ido, ou seja, quanto o mercado tava mais caro, compraram e batiam no peito, agora que tudo tá mais barato, não compram e preferem a RF.
    Na boa, que investidor que você é ?
    Que se deixa influenciar ou que influencia ?
    Seu post fará com que alguns que te seguem, correrem para as montanhas da RF...tsc...tsc..tsc.
    Talvez não é isto que queria, mas é o que vai acontecer.
    Bem, eu acho que você está fazendo caca.
    Cielo é Cielo e apesar de já não ser tão boa como no passado, ainda é uma ótima empresa e com seu PM, vc deveria mantê0-la na carteira para não realizar lucro precocemente.

    Que tal ao invés de ir para a RF, aproveitar e entrar em BBAS aos preços atuais ou apostar em um empresa que está nascendo como a ATOM ?

    Eu continuo 100% em RV.

    Poney

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda acho que ele não considera fora de cogitação. Pode ir a 25 reais e entrar novamente. Ninguém sabe, mas o mercado tem caido numa velocidade muito grande e faz parte ter medo.

      Excluir
    2. O sujeito recomenda ATOM e ainda tem coragem de falar que o ADP fez caca.
      Poney (ou fake do poney), poderia respeitosamente explicar que tipo de serviço a ATOM presta, qual a receita que obtém deste serviço, qual sua margem líquida e qual o ROE gerado?

      Excluir
    3. Sem emoções no mercado de ações. Não existe isso de amarelar. AdP fez uma análise fundamentalista e chegou à conclusão de que, para ele, CIEL não tinha mais espaço para grande valorização. Só isso. Vendi CIEL faz ano e meio atrás por achar que já estava no preço justo (do ponto de vista de valuation com base em fluxo de caixa descontado e outras métricas).
      Agora ter todo o dinheiro em RV num país como o Brasil é muita inocência...

      Excluir
    4. Bolsa em queda o pessoal migra em peso para a RF, daí a bolsa vai pra 70k e a manada da RF começa fazer continha de quanto teria ganho se tivesse na bolsa e retorna novamente pra RV.
      É normal.

      Excluir
    5. Olá Poney. Você tem todo o direito de achar o que quiser, mas observe a desnecessidade de sua agressividade. Parece até que é ligado sentimentalmente a empresa.
      Para não me alongar, vendi apenas uma empresa entre as várias que tenho, baseado em uma análise. Não estou fugindo da RV.
      Além disso, isso aqui não é uma competição de "qual é o cabra mais macho que vai se manter 100% em RV".
      Abraços

      Excluir
  9. Excelente avaliação. Esse tipo de ponderação e análise "fria" falta para muitos investidores em renda variável.

    ResponderExcluir
  10. Acredito que foi uma decisão sábia, uma vez que vendeu por acreditar que a empresa esteja cara e já não tem um potencial de retorno atrativo.
    Neste caso tem que vender mesmo e não se arrepender se ela continuar a subir sem fundamentos.
    Não há como se prever o que acontecerá com a cotação, que pode tanto subir como descer, mas dá para estimar que, neste preço, as probabilidades estejam contra o investidor.
    Assim, o melhor e retirar as fichas da mesa e partir para outra aposta com melhores probabilidades de retorno.

    ResponderExcluir
  11. ADP,
    Gosto bastante de Cielo, eter3 não..

    ResponderExcluir
  12. Muitos o chamarão de louco, mas o importante é que sua decisão foi baseada em seus próprios fundamentos, os quais vão contrários ao pensamento do mercado. Se sua estratégia foi boa ou não, só o tempo dirá, mas parabéns por seguir sua própria cabeça.

    ResponderExcluir
  13. Para o B&H a cartilha diz que se a empresa ficou ruim deve ser desencarteirada. E se a empresa está apresentando resultados piores que os anteriores mas ainda não são considerados ruins então deve ser colocada em observação. Qualquer outra decisão seria um mero palpite.

    Eu sou holder mas faço gestão ativa, mesmo se uma empresa está boa eu gosto de vender um pouco da posição se os preços estão absurdos. Por isto vendi metade das minhas CIEL3 a 46,82. Porém, comecei a recomprar agora, em doses homeopáticas.

    Espero que você esteja errado, mas espero que use o dinheiro em um investimento melhor, assim dois dois ganharemos, rs.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Adp, sou novo nos investimentos em renda variável, mas gosto da Cielo por ser uma empresa que domina 90% do mercado, me corrija se eu estiver errado. Esse endividamento foi para barrar as investidas das concorrentes. Quanto a cobrança do aluguel das maquininhas na hora que a Cielo sentir a concorrência ela irá tomar alguma atitude para não perder a liderança. Outro fato importante é a marca forte que a Cielo tem no mercado. Acho que o verdadeiro BH deve entender que existem períodos que a empresa sofrerá com a concorrência e deve tomar providencias para que isso não aconteça.boa sorte na sua decisão e bons investimentos!

    ResponderExcluir
  15. Prezado ADP, faz pouco tempo que acompanho seus postes. Respeito suas decisões e seus critérios, mas não concordo com o que vc fez. Na minha visão vc está girando seu capital. De tanto que vc já leu sobre fundamentos, BH e livros acredito que vc se deixou levar. Como disso respeito e torço para que vc consiga ótimos resultados mas muitos dizem que o mercado é especulativo e nossa bolsa é lixo... lembre-se que até nós EUA muitos tbm chamam lá de lixo e especulativo.. Mercado sempre vai cair e subir e o terror é lançado justamente para as pessoas venderem mais e mais barato. Temos vários exemplos de Brazucas e do Warren e as pessoas continuam não os ouvindo. Estou 100 POR CENTO em RV e apesar de estar perdendo em patrimônio e sei que até 2018 será assim, meus proventos estão bem melhor do que se estivessem em RF. Tenho 33 anos e penso somente em usufruir disso com 60 só acumulando até lá. Vc tem é novo mais não está pensando nos jurus compostos a longo prazo girando seu património. Mais uma vez respeito e é apenas minha visão. Grande Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  16. Parabéns por seguir o Graham, colocar pelo menos 25% do capital em RF ajuda o investidor a superar solavancos.


    Abs

    Ex Socialista

    ResponderExcluir
  17. ADP, me perdoe, mas vou ser um pouco duro.

    Na minha opinião, por mais que você tente se auto-enganar, isso está me cheirando "realização de lucros".

    Você tem várias empresas piores que a Cielo na carteira e liquida justamente a melhor? (estou falando em fundamentos e não em rentabilidade).

    Dá impressão que está querendo realizar lucro enquanto este ainda existe neste papel e enquanto isso, segue esperando as outras empatarem. Na minha opinião, se você tem uma carteira diversificada e quer vender, tem que vender as piores e não as melhores (mais uma vez, não estou falando melhores e piores em rentabilidade, mas em fundamentos).

    Esta é minha opinião, mas a carteira é sua e se você sabe a sua estratégia.

    Mais uma vez me desculpe pelas palavras duras.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas e se for? Ele não falou que a empresa piorou. Apontou que não acreditar possuir barreiras contra novos entrantes, adquiriu dívida relevantes e diminuiu o payout. Isso não é "perder valor"? Pode ser que no curto prazo, mas não deixa de ser.
      Além disso, algo que não pode ser ignorado, é que a bolsa brasileira está passando pela correção que não houve ano passado e tudo está caindo, até quem é beneficiado pelo dólar acima de 3,00.
      Não julgo ele, lucro bom é aquele que está no bolso, não apenas como um número na carteira. Realizei Braskem em 26,50 e não me arrependo, mas não quer dizer que não ache ela uma empresa boa e que cogite entrar novamente num determinado preço.
      Abraços

      Excluir
    2. A empresa era fantástica quando não tinha dívidas. Agora a situação mudou, logo vale a pena vender.

      Dívidas podem ser o prenúncio de problemas.

      Excluir
    3. André Paitax,

      Veja meu comentário abaixo ao nobre dimarcinho. Realizar CIEL3 deu que lucro aonde?

      Como eu disse, se de todas as empresas da carteira a Cielo é a pior (não estou dizendo ruim, mas a pior entre elas), eu não tenho dúvidas em dizer que o ADP está certo, mas sinceramente não me parece o caso.

      Anon, é só entender as razões das dívidas da Cielo para saber se ela é boa ou ruim para a empresa. Para pessoa jurídica, nem toda dívida é ruim.

      Abraços

      Excluir
  18. A graça de compartilharmos nossas carteiras é exatamente podermos comparar, na prática, as diferentes estratégias de investimento.

    Parabéns pela coragem de pensar - e de agir - diferente, AdP!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Parabéns pela decisão. Comprou na baixa e vendeu na alta. Lucrou bastante e poderá aproveitar novas oportunidades.

    ResponderExcluir
  20. Olá ADP,
    Tem que se ter critérios claros de entrada e de saída, quanto mais racional forem nossa decisões nos investimentos, mais probabilidade de sucesso temos.
    Se atingiu os seus critérios, venda e não pense mais no caso.

    www.nzofinancas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Fala, AdP!

    A questão do rebalanceamento da sua carteira (RV/RF) acho que foi um passo importante.

    Sobre a venda da Cielo, é muito interessante notar o comportamento do pessoal.... você comprou um ativo que teve um bom lucro com o mesmo e não sabe o dia de amanhã. Resolve vender para ter o lucro. Decisão acertada.

    Se estivesse no prejuízo, todos estariam falando para continuar comprando pois é uma excelente empresa e está indo bem, fazendo aquele preço mérdio para baixo, lhe elogiando pela escolha do ativo.

    Em resumo: no lucro, lhe criticam. No prejuízo, lhe elogiariam.

    ACHO que tem algo errado nisso.... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dimarcinho,

      Interessante este ponto de vista. Vamos tentar refletir em um exemplo prático, considerando as rentabilidades históricas do ADP divulgadas aqui: http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2015/12/fechamento-dezembro-de-2015.html

      Para facilitar vou usar de exemplo as 5 ações abaixo que inegavelmente foram boas empresas nos últimos anos. Sei que as rentabilidades refletem períodos diferentes e as compras foram periódicas, mas vamos apenas usar de exemplo:

      ALUP11 -11%
      CIEL3 +91,4%
      CGRA4 -39,1%
      EZTC3 -38,5%
      MDIA3 -10,6%

      Eu tenho 100.000, compro estas 5 ações, sendo 20.000 de cada.

      Ao Final do período temos:

      ALUP11: 17800
      CIEL3: 38280
      CGRA4: 12180
      EZTC3: 12300
      MDIA3: 17880

      Total 98440

      Vendo CIEL3 e fico com R$ 38280 em cash e 60160 distribuídos nas 4 ações restantes.

      Pergunta: No lucro? Aonde? comecei com 100 e estou com 98 ...

      O que te faz pensar que estar posicionado com 38K em cash e 60K nas demais é melhor que se tivesse mantido CIEL3 e vendido, por exemplo, ALUP11 e MDIA3, ficando com 35k em cash e 63K em CIEL3, CGRA4 e EZTC3?

      Não estou nem dizendo que uma coisa é melhor que outra, mas dizer que vendeu CIEL3 no lucro é uma auto-enganação sem tamanho. Não me surpreende este comentário vindo de você.

      Abraços

      Excluir
    2. EI,

      CLAP, CLAP, CLAP.

      Perfeito! Como bem diz o mestre Bastter, realizar lucros deixa você cada vez mais pobre.

      E o Dimarcinho, como sempre, passando vergonha nos blogs alheios, rs.

      Abraços!

      Excluir
    3. 3, 2, 1 ... dimarcinho respondendo como um cavalo, tentando provar que as contas não fazem sentido para desqualificar o EI.

      E não vai responder as perguntas

      Excluir
    4. Analisando o que cada um expôs...continuo com o meu pensamento: eu compro ações, não carteira de ações.
      A ação da CIELO cumpriu o objetivo e houve fatores que podem comprometer o crescimento.
      Grazziotin, Alupar, M Dias Branco, EzTec são grandes empresas que depreciaram muito nesse período devido ao setor que atua do que pelos fundamentos da empresa. Olha o P/L de cada uma, Cielo é a mais inchada, portanto tendo maior espaço para correção. Afinal, a ação atingiu 46,xx e hoje está em 32,xx. O mercado está corrigindo todas ações para que o Yield seja maior, porque é o jeito mais seguro, empresa pagadora de dividendos.
      Repito, meu pensamento é que compro ações, não me atenho a carteira de ações que tenho, o tratamento é individual.

      Excluir
    5. Paitax, bom comentário! Isso não significa que eu concorde com você e com sua estratégia, pois não concordo, mas pelas suas palavras, você demonstra consciência estratégica.

      Eu adoto uma estratégia totalmente diferente, o que vale é a minha carteira e não as ações individuais. Eu tenho a impressão que ao olhar ações individuais, o objetivo é ganhar em todas, por isso prefiro focar na carteira e buscar, entre ganhos em umas e perdas em outras (que vão acontecer), uma rentabilidade razoável com menor risco.

      Na minha opinião analisar o P/L por si só não diz muita coisa sobre empresa alguma (apenas as expectativas do mercado sobre ela), desta forma muitos fatores devem ser levados em consideração além do P/L. Eu, particularmente, venderia todas as outras citadas antes de vender Cielo, mas é uma opinião pessoal.

      Abraços

      Excluir
    6. Quer dizer que NÃO teve lucro na Cielo? rs

      "mas dizer que vendeu CIEL3 no lucro é uma auto-enganação sem tamanho"

      Comprou CIEL3 por 20mil e vendeu por 38mil não houve lucro?

      Mudaram a definição de lucro agora?!

      Excluir
    7. Entrou com 100 e tem 98 ... lucro mesmo, entendi. Continue assim e seu patrimonio vai longe

      Você acabou de inventar o lucro sem efeito caixa para pessoa fisica

      Engraçado

      Excluir
    8. A CARTEIRA entrou com 100 e a CARTEIRA saiu com 98. Das 5 ações, 4 foram ruins e uma foi tão boa a ponto de quase anular o prejuízo dos outras.

      O LUCRO de CIEL3 quase que compensou todo prejuízo dos outros papeis.

      Dizer que não houve lucro em CIELO é ridículo.

      Excluir
    9. dimarcinho,
      Perceba a incoerência no que diz.
      A pessoa é sócia da carteira inteira, não de cada empresa individualmente. Como você mesmo disse, foi a empresa que mais valorizou e até segurou a queda da carteira. E daí a pessoa vende justamente a melhor? Só se a intenção for reduzir patrimônio, daí tudo bem.
      Além disso, é uma das melhores empresas da carteira.
      Vai errar tanto em deixar de ser sócio de uma das melhores empresas que possui, quanto em reduzir patrimônio. Ou o objetivo é acumular patrimônio em empresa ruim? Você vende pra fazer o que, ficar "líquido"? Comprar tranqueira? Você fica rico ao formar um bom patrimônio.

      Excluir
    10. Ícaro,

      Sinceramente, estamos falando de definições básicas.
      Vamos devagar. O exemplo do EI foram 5 papeis.
      CIELO - lucro
      todo os outros - prejuízo

      Ponto final, isto não se discute. Vcs ficam querendo inventar coisas.

      A carteira como todo houve prejuízo? Sim, mas o que o cu tem com as calças? O que, neste caso, o resultado da carteira como um todo afeta a decisão de compra/manutenção de um papel individualmente? Se falarmos sobre questões tributárias ou tamanho de alocação, blz. Mas o que vcs estão colocando NÃO é isso. Achei que estávamos falando sobre fundamentos da ação.

      A decisão de venda, segundo o AdP está no penúltimo parágrafo:

      "Acredito que o fato da empresa precisar buscar formas de diversificar suas operações, necessitando assim, de endividamento, bem como a pequena mas constante perda de margem são sinais de que o custo de crescimento está pesando. Como é uma empresa que considero ter baixa proteção contra possíveis concorrentes, este foi um dos pontos que me fez desfazer de suas ações."

      Agora, não entendi como ao vender um papel no lucro ele está "reduzindo patrimônio".

      Excluir
    11. Se a intenção é trade, ok, mas daí deveria ter stop pra perda das demais também, não? Ou estaria misturando trade e B&H nas mesmas ações!? Supondo a intenção do trade, a estratégia parece incoerente, como também parece incoerente misturar os dois nas mesmas ações.

      Tudo bem ele ter vendido segundo o critério indicado, só achei precipitado e, assim considerando, vendeu a empresa com melhor resultado e que justamente poderia manter ou subir o patrimônio em carteira.
      Não é a venda em si que deu prejuízo, mas o fato de diminuir a qualidade da carteira em prol de um lucro individual que, considerando o todo, traz mais malefício que benefício.

      Excluir
    12. Olha, Ícaro, o AdP deixou bem claro que ele não é adepto do Buy&Hope.

      B&H é pra não vender nunca? Vai usar o patrimônio como desta maneira?

      Excluir
    13. dimarcinho, houve lucro na Cielo, com certeza! E o que isso importa para a decisão de venda ou de comprar mais?

      Enquanto olhar empresas isoladas e não pensar em gestão de portfolio, vai ficar assim feliz com um monte de lucros que não cobrem os prejuízos.

      Meu comentário foi para reforçar que o resultado (lucro ou prejuízo) de uma ação não tem a menor importância para decisão de compra e venda ao olharmos o portfolio.

      Sobre o Buy & Hope, ao contrário do que você diz, é justamente o que está parecendo que está sendo feito ao manter empresas piores esperando empatar.

      Mas esquece o que eu disse, você não vai entender ...

      Excluir
    14. dimarcinho,
      claro que vai e pode usar o patrimônio, como bem entender, mas a fase da vida dele dá tudo a entender que é de acumulo ainda, um recém formado e início profissional. entendo que a independência financeira dele seja pra ele uma meta, para aliás muitos aqui. E isso você adquire com patrimônio de valor, preferivelmente diversificado pra diluir riscos.
      se for realizar lucros pontuais e queimar patrimônio, nunca vai ter nada.
      EI tocou num ponto crucial, que adianta fazer um trade bem feito no B&H se todo o resto é sem stop de perda? As boas você vende no lucro e as piores você mantém esperando empatar, é essa a estrategia? Não estou criticando trade, mas ou você faz trade (o que estatisticamente costuma dar errado), ou faz B&H pra formação de patrimônio, ou faz os dois separados.

      Excluir
    15. "B&H é pra não vender nunca? Vai usar o patrimônio como desta maneira?"

      Sim, dimarcinho. Sou B&H e invisto todo mês pra nunca usufruir meu patrimônio, sabe?

      Todo santo mês me privo de regalias, sair, ter um carro melhor, viajar e tal, justamente pra ver o patrimônio aumentar e nunca usar, jamais, afinal isso é B&H não é?

      Meu sonho é me aposentar, receber INSS e outras coisas do governo, viver com o mínimo possível, passar fome se for preciso, justamente pra investir, ver meu patrimônio aumentar e nunca usar, afinal, eu sou B&H.

      MEU DEUS CARA, tu manda cada comentário, que as vezes fico pensando se não está sendo irônico, sarcástico ou algo do tipo, pra não crer em tamanha ignorância.

      É ÓBVIO QUE QUEM É B&H VAI USUFRUIR DO SEU PATRIMÔNIO !!!
      NÃO HOJE, NÃO AMANHÃ, NÃO NO CURTO NEM NO LONGO PRAZO, MAS VAI NÉ, EINSTEIN.

      Excluir
    16. *não no curto, nem no médio, mas no longo prazo

      Excluir
    17. Me diz aí, Einstein,

      se o ROI estiver negativo no "longo prazo", é pra continuar aportando ou já vai poder começar a "aproveitar" o patrimônio?

      Excluir
    18. dimarcinho, acho que sua ultima pergunta não faz muito sentido porque não era pra começar a aportar em empresa de ROI negativo, nem manter aportando em empresa de ROI sucessivamente negativo.

      Excluir
    19. Icaro,

      eu estava me referindo ao ROI da própria carteira.

      []s

      Excluir
    20. Dimarcinho, suas perguntas demonstram que você nao tem a menor idéia do que são os investimentos da vida real.
      Mas não posso me furtar em rentar entender esta mente brilhante do mundo virtual dos investimentos.
      Qual seria a importância do ROI passado de uma carteira para decisão sobre desfrutar ou não do patrimônio?

      Excluir
    21. Vou deixar vc refletir com essa com uma dica: a pergunta foi pro Assalariado.

      Excluir
    22. A minha perguntafoi pra você? Fiquei realmente curioso sobre seu pensamento sobre este assunto, apesar de saber sua resposta.
      Abraços

      Excluir
    23. Corrigindo: eu imagino sua resposta... no fundo estou testando os meus conhecimento sobre a sua genialidade

      Excluir
    24. A partir do momento q vc utilizou o vocativo "dimarcinho", direcionou a pergunta para mim, rsrsrsrsrs

      Excluir
    25. Digitação no celular é uma m...

      Era uma afirmação: minha pergunta foi para você!

      Excluir
    26. Digitação no celular é uma m...

      Era uma afirmação: minha pergunta foi para você!

      Excluir
  22. Acho que a questão aqui está sendo distorcida por questões, além de análise individual, questões temporais.
    A carteira do ADP, por exemplo, foi composta durante o tempo, sendo que CIEL tem desde 2011. Em 2015/2016 atingiu o objetivo como ele mesmo expôs e decidiu vender.
    As demais ações que performaram aquém foram compradas em outro tempo (por isso meu comparativo com o P/L, uma vez que CIEL com 20 e as demais com 3 a nem 10 demonstra que essas terão retorno mais rápido que CIEL num curto prazo), baratas, com resultados sólidos, porém tomando porrada maior que CIEL, mas que não significa que CIEL é imune no mercado.
    Por esse motivo prefiro fazer análise por ação. Tomei muitos prejuízos por análises equivocadas, como timing errado também. Colocar os ovos em vários cestos, não quer dizer que aceito que quebrem alguns ovos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paitax,
      Não há distorção, o que acontece é que são visões diferentes do mercado de ações.

      Você diz que Cielo atingiu o objetivo, mas lembro que chegou no ano passado a quase 44, agora que caiu para 32 que se chega a conclusão que atingiu o objetivo? Por que não tinha atingido quando chegou a 44?

      Isso para mim, como eu disse no primeiro comentário, tem cheiro de realização de lucro na tentativa de preservar.

      Para mim, é muito equivocada a visão que um papel com P/L baixo tem maior chance de retorno que uma com P/L de alto. Me desculpe, mas para mim esta análise nao faz muito sentido.

      Tenha em mente que é certeza que alguns ovos vão se quebrar, por isso você deve dividir e diluir o risco.

      Abraços

      Excluir
    2. EI, além do pânico nesse começo de ano, o ADP apresentou os motivos. Por isso não realizou o lucro antes.
      Se ignorar a questão de governo, o setor financeiro esta sendo apontado como o que irá sofrer esse ano devido a desaceleração da economia. Soma-se a isso, a dívida contraída para diversificar as operações com cartões de bandeira Elo. É entrar num mercado dominado por Mastercard e Visa, que não parecem perder a força, a não ser que as pessoas comecem a estudar mais as vantagens das bandeiras, mas mesmo assim, Mastercard e Visa ficam muito a frente devido seu alcance global com vários benefícios a partir do lable Gold. A máxima vale, diversificar diminui sua margem!

      Excluir
    3. Paitax,

      Apesar dos motivos terem fundamento, como eu ja disse, na minha visão é uma forma de auto-engano para os motivos reais que são pânico e "falsa" sensação de realização de lucros.

      Olhando puramente para os fundamentos, pode ser que você tenha razão, como pode não ter, aí cada um analisa e tira suas conclusões. Eu particularmente penso que a investida na Elo pode ser positivo. Apesar da concorrência com Master e Visa, a Elo tem uma vantagem que é o poder de fogo do BB. Mas como eu disse, cada uma tem sua opinião.

      Abraços

      Excluir
  23. Quem for pequeno, for PF, investe sim na carteira, não individualmente em ações, justamente para mitigar as perdas.

    Veja bem: vamos sim perder, não é nem 'se' uma tiver prejuízo, diversificamos para 'quando' tivermos prejuízo em alguma ação, é certo que alguma vai cair.

    Diversificar serve para que NA MÉDIA, NO GERAL, a gente consiga lucrar! Somos pequenos e fracos, diversificação é um dos poucos almoços grátis que temos, então, investimos em CARTEIRA sim!!!

    Quem tem uma carteira com 100 mil, e virou 98 mil, levou PREJUÍZO SIM, mesmo que tenha vendido no lucro uma ação com 1 zilhão% de lucro!!!

    CARTEIRA GALERA, ações, fiis, TD, LCI, LCA, dólar...investimos no pacotão COMPLETO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aliena 50mil reais no lucro, mas não paga IR e avisa pra Receita q vc não vai pagar pq a sua carteira como um todo tá no prejuízo.

      Excluir
  24. Primeiramente, parabéns pelo blog AdP, tem muita informação útil e interessante aqui!

    Bem, fiquei impressionado com alguns comentários aqui. O AdP foi bastante claro no seu post: ele não é adepto do Buy&Hold. Ele comprou CIEL3 baseando-se no fato de que a empresa estava sendo negociada por um preço descontado, de acordo com índices fundamentalistas. Depois de anos de crescimento forte, ele decidiu vender, dado que os mesmos índices não estão mais tão atrativos, e pelo fato de que os números da empresa indicam que o crescimento no futuro será mais moderado do que foi até hoje. Para mim, parece claro que o que ele fez foi um trade de valor.

    Aí vem um monte de gente aqui falar que a empresa continua boa e que ele "errou", que o aumento de preço não justifica a decisão de vender. Só que esses são critérios de B&H, coisa que o AdP já disse que não segue, então a crítica é infundada. Não adianta ficar de birra só porque ele não segue a estratégia que vocês seguem.

    No trade de valor, o que importa é a diferença entre o valor da empresa percebido pelo investidor e a sua cotação de mercado (via qualquer que seja a análise que ele faça, desde uma simples análise de múltiplos fundamentalistas até um valuation sofisticado). Se a cotação está baixa dados os fundamentos e o valor determinado para a empresa, você compra. Quando o preço subir e a cotação chegar nesse preço justo, você vende. Me parece que o AdP usou esse raciocínio na operação.

    "Ah, e por que não vendeu EZTC3, tá esperando empatar?" Bem, se ele comprou EZTC julgando que ela estava sendo negociada a um valor descontado e, desde então, ela caiu mais, não há por que vender não, já que ela continua descontada (a menos que ele julgasse que os fundamentos da empresa se deterioraram e ela perdeu valor, o que não parece ser o caso). Ele está esperando o investimento maturar, esperando a cotação da EZTC se alinhar aos fundamentos da empresa. O que está em linha com a estratégia adotada na Cielo, só que esse investimento maturou mais cedo.

    Vocês não precisam concordar, mas pelo menos tentem entender a estratégia adotada pelo AdP, ao invés de criticarem ou chamarem de manada todo mundo que não quer fazer B&H. Parece que estão no site do Bastter.

    Assinado,

    Thiago

    ResponderExcluir
  25. O ADP está realizando lucro. Depois compra na baixa novamente e vai girando o patrimonio.

    ResponderExcluir
  26. Boa noite, Além da poupança !!!
    Aprendo muito com você.

    Esse poste foi de janeiro de 2016, período que as ações da cielo estava muito em baixa.
    Passou 9 meses e hoje a cielo se recuperou. Gostaria de tirar uma dúvida.

    Com as informações que você tem hoje, manteria a cielo na sua carteira e não teria vendido em janeiro? Qual a experiência que você tirou com a venda da ceilo da sua carteira ?

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anderson,
      "Com as informações que você tem hoje, manteria a cielo na sua carteira e não teria vendido em janeiro?"
      Com as informações de hoje eu venderia Cielo e todas as outras ações, assim como renda fixa, e faria um all-in em MDIA3, que praticamente dobrou sua cotação. Mas ninguém tem bola de cristal e aquele que investe, olha para o passado e fala "e se eu tivesse feito..." está fadado ao stress.
      Além disso, como pode-se ver na postagem, nunca disse que Cielo estava no seu topo e que não se valorizaria, ou que era uma empresa ruim, ou algo semelhante. A venda foi devido a eu acreditar que a velocidade de valorização futura será menor do que a que peguei, que quadruplicou em poucos anos.
      O que eu disse na postagem e o que fiz está mantido e faria mesma coisa.
      Abraços

      Excluir
    2. Muito obrigado pela resposta.

      Excluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.