sexta-feira, 16 de julho de 2021

Uber Adventures no Canada – “Fui estupr@da”

Fala sua burguesada! Tudo bem?

Como alguns de vocês sabem, faço Uber aqui no Canadá e de vez em quando acontecem certas coisas.

99% das corridas são regulares. Mas vez ou outra tenho uma surpresa.

Hoje venho contar uma das várias histórias que pertencem ao 1%.

Lembrando que o que vou descrever aqui é verdade, sem aumentar nem diminuir.

Certa vez fui buscar uma mulher, que aqui vamos chamá-la de Holy.

Chegando lá, deparei-me com uma mulher na casa dos 26 anos, loira, junto com uma menininha, com seus 3-4 anos de idade.

Como ela tinha uma bicicleta para a filha, saí do carro para ajudar a colocar essa bicicleta no porta malas. Entraram ela e a filha junto com duas bolsas. Enquanto fazia isso, ela disse:

Holy: Será se você pode passar no (lugar que não entendi). Eu não coloquei no App mas se você passar lá eu te dou gorjeta. Você conhece esse lugar?

Eu: Ah desculpe, não conheço, mas você pode me mostrar.

Na verdade, eu não tinha entendido o local que ela falou. Ainda estou aprendendo inglês, e estou em uma fase que quando encontro uma pessoa nova, é como meu cérebro precisasse de um tempo para se ajustar ao seu jeito de falar. Então as primeiras frases são as que eu menos entendo...

Holy: Tudo bem. É a Wine Rack que fica na Richmond com Oxford. Você pode começar virando aqui nesta esquerda.

Não sei quando aos outros países, mas canadense adora vinhos. Eles fazem longas filas nas lojas de vinhos e é muito normal eles passarem nelas antes de ir para casa.

Eu: Ah tá. Agora sei de onde você está falando. Tem algum problema se eu for pela direita?

Holy: Você pode ir pelo caminho que achar melhor. Eu tenho que chamar Uber porque não estou podendo dirigir. Eles tiraram minha carteira.

Eu sou muito profissional e não puxo conversa com passageiros, respeitando sua privacidade. Entretanto, quando eles começam a falar, eu continuo a conversa pois para mim é ótimo treinar inglês e ser pago por isso. Além disso, eu procuro ser um motorista de Uber legal.

Eu: Por que?

Holy: Eu não quero falar sobre isso. (ela mandou isso na minha lata)

Eu: Okay. (um Okay longo em um tom que diz desculpe por perguntar)

Holy: Na semana passada eu estava dirigindo falando no celular e um policial me pegou fazendo isso. Eu não sabia que não podia usar celular enquanto dirige.

Eu pensei: “poxa, que desculpa esfarrapada. Todo mundo sabe que não pode usar celular enquanto dirige...”

Holy: Por causa disso eles suspenderam minha habilitação por 2 meses, tive que pagar uma multa de 400 dólares e ainda tenho que pagar 300 dólares para ter minha habilitação de volta. (os valores e o prazo de suspensão de habilitação não lembro exatamente, mas vocês pegaram a ideia da gravidade da penalidade).

Eu: Eu acho que eles exageram muito. Eles são muito severos.

(... ficamos uns 4 minutos falando sobre o que aconteceu e eu passando o pano sobre o ocorrido)

Chegando perto da loja de vinhos ela me solta:

Holy: E eu sou uma mãe solteira e por isso preciso de carro.

Eu achei desnecessário ela ter falado que é solteira. De repente falou sem maldade, mas fiquei alerta.

Se vocês colocarem no Google Maps “wine rack Richmond London on”, poderão ver que a loja fica em uma rua movimentada, bem próximo de um ponto de ônibus. Nesse caso eu prefiro estacionar em um parking lot que fica atrás para evitar transtornos e multas (as multas aqui são pesadas). Então o cliente vai até a loja andando e volta.

Eu:  olha, vou precisar estacionar atrás. Tudo bem com você?

Holy: Tudo bem. Eu posso deixar a bolsa aqui enquanto eu compro?

Eu: Deixar o que? (eu queria ter certeza se ela queria deixar a bolsa ou se era uma louca que ia deixar a filha dela com um estranho enquanto ela compra)

Holy: A bolsa.

"Ufa"

Eu: Tudo bem.

Aí ela sai do carro com a filha, e pude ver melhor como ela é. Antes de tudo, no carro vi que seus olhos eram como dois pequenos pedaços do céu de tão azuis que eram. Ela é loira, cabelo um pouco abaixo do meio das costas, e ao contrário de muitas canadenses que são um palito, era tinha um volume corporal feminino, digamos, bem atraente. Só não pude ver seu rosto por causa da máscara.

Ela volta com a bolsa de compras com vinho e entra no carro.

Holy: De onde você é?

Eu: Do Brasil. Como pode perceber, estou aprendendo inglês.

Holy: Eu estou te entendendo perfeitamente. Brasil é um dos lugares que eu quero visitar um dia.

Aqui no Canadá, eu aprendi que você não precisa perguntar se a pessoa já viajou para um outro país. Você já pode perguntar para qual país ela já viajou, pois aqui é muito comum eles viajarem fora.

Eu: Mas por que?

Holy: Eu acho que deve ser um país bonito.

Eu: Pra turismo é muito bom. Mas eu acho que para morar, não é.

Holy: Mas por que?

Eu: É complicado. Corrupção, custo de vida alto, violência. Eu por exemplo já fui assaltado duas vezes lá.

Holy: Mas eu fui assaltada 3 vezes aqui em London nos últimos 5 anos.

Eu sinceramente não acreditei nela. Eu duvido muito que meu conceito de ser assaltado é igual ao conceito dela de ser assaltada.

Eu: Eu não acredito em você.

Holy: Você não acredita? Foi no centro da cidade. Eu sei que em outros países a situação é pior do que aqui. Eu tenho um casal de amigos que são da República Dominicana e eles me contam muitas histórias. Mas há pessoas ruins em todo lugar. Eu por exemplo fui estuprada e ....

Eu não acreditei no que escutei. Talvez meu inglês esteja me pregando peças.

Eu: É o que?!!!!!

Holy: Eu fui estuprada.

Enquanto eu dirigia, eu imediatamente fiz uma cara de nojo. Incrédulo, coloquei a mão no rosto de vergonha alheia enquanto ela continuava a falar.

Foi exatamente essa cara que fiz

Depois disso ela começou a falar tanto, que em resumo o cara que estuprou ela era um policial, estava armado, e a coisa não terminou bem.

Holy: Mas eu também sou culpada porque eu poderia ter saído antes e evitado isso.

Eu: Eu não concordo com isso. É como se você estivesse culpando você mesma quando na verdade a culpa é do cara.

Nesse momento eu vi que ela estava se abrindo demais comigo, um cara que inicialmente ela se recusou até a dizer o motivo que ela não podia dirigir...

Holy: Existe pessoas más em qualquer lugar. Aqui no Canadá também.

Eu concordei. Conversamos sobre outros assuntos também, questionamos o lockdown, dentre outras coisas. Mas depois disso, ela começou a falar tanto sobre ela, mas tanto, que eu estava perdendo a concentração da direção. Cheguei a perder uma curva quando ela abriu a bolsa dela para mostrar o que tinha: uns 20 kinder ovos e uns brinquedinhos. Ela me falou o motivo disso, mas como estava com a atenção dividida entre entender ela, ver a bolsa e dirigir, eu não entendi. Quando estava quase chegando eu falei que não precisava me dar gorjeta pois só queria ajudá-la.

Quando chegamos...

Holy: Muito obrigado. Você é o melhor motorista de Uber que eu já tive. Qual o seu nome?

Eu achei meio estranho, pois ela não precisa me perguntar meu nome. Bastava checar no aplicativo. No entanto, sua linguagem corporal, o jeito que ela me olhava, a forma que ela falava, era certeza que ela queria que eu pedisse o telefone dela para continuar conversando.

Holy: Nossa, você é tão legal.

Eu: Obrigado.

Eu saí do carro, fui abrir o porta-malas para tirar a bicicleta da filha dela. Como eu vi que ela estava meio enrolada para tirar as coisas e a filha dela do carro, eu coloquei a bicicleta próximo da porta do prédio onde ela mora.

Depois eu tive a impressão de que a enrolação que ela estava passando para tirar a filha e as bolsas do carro era proposital. Ela queria gastar mais tempo para puxar assunto.

Ela insistiu em me dar gorjeta e me deu 5 dólares. Eu aceitei. Ela deu tchau e fui embora.

Eu achei muito estranho a pessoa mudar da água para vinho. Inicialmente ela não queria falar nada, mas no meio do caminho ela se abriu como uma flor na primavera. Se abriu tanto que ela chegou a dizer que já foi estuprada. Isso não é uma coisa que você fala a uma pessoa que conheceu há 10 minutos.

Essa com certeza foi a viagem mais diferente daquele dia.

Bem, é isso. Não sei se gostaram da história e do formato. Se gostaram, depois eu posso contar mais.

Abraços e até a próxima!

44 comentários:

  1. Susto hein, pelo título achei que iria contar que ela te culpou de estupr* e você perdeu o trampo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vinicius,
      Eu evito forçar conversa com mulheres, fazer piadas ou qualquer outra coisa que abre margem a má interpretações. Hoje em dia é complicado.
      Abraços

      Excluir
  2. "Pegou" ou "não pegou" na viagem de volta? kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anon,
      Estou evitando problema pois sou casado. Tentar algo com ela seria canalhice. Eu acho que ela já sofreu muito nesta vida, kkkk.
      Abraços

      Excluir
    2. se ela não tivesse uma história sofrida, acho que tu iria hein kkkk "seus olhos eram como dois pequenos pedaços do céu" BOWCHICKA

      Excluir
    3. Rapaz, se fosse solteiro, quem sabe? Mas ela cheira a problema.
      A comparação com pedaço do céu é que eram bem azuis mesmo.
      Abraços

      Excluir
  3. kkkkk. Eu também pensei que ela iria ter te acusado de alguma coisa.
    Doideira total!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morro de medo de acontecer algo comigo deste tipo.
      Abraços

      Excluir
  4. História bizarra, hein. Por causa do título, também fiquei com a impressão de que ela iria te acusar de alguma coisa, que nem o Vinicius acima. Que bom que não foi o caso. Agora, foi estranho ela se abrir desse jeito para um completo desconhecido e ainda na presença da filha pequena (que provavelmente não sabe o que a mãe passou, mas provavelmente iria perguntar depois o significado da palavra nova que ela aprendeu no carro).

    ResponderExcluir
  5. É cilada Bino! Escapou de uma louca pelo visto…rs

    ResponderExcluir
  6. carência, precisava de atenção
    só mais um ser humano...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, o que mais tem por aqui é mulher carente que precisa de atenção, kkkk.
      Abraços

      Excluir
  7. Achei que ela ia acabar e acusando. Que bom que deu tudo certo e vc resistiu a tentação do capeta. Parabéns.

    ResponderExcluir
  8. As vezes a pessoa se sentiu acolhida e precisava conversar e viu que você era uma pessoa receptiva, pelo menos treinou mais seu inglês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser. De repente só queria conversar mesmo. Desabafar.

      Excluir
  9. AdP,
    Massa! Creio que vc deve ter muitas histórias ou virão muitas ai pela frente. Bom que treina a língua. Acho que ela queria treinar mais ainda sua língua...kkkk
    Mas pelo título, pensei que ia rolar alguma acusação! ufaaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto do uber porque sou pago e ainda treino meu inglês. Maioria das pessoas não fala nada, e eu respeito. Mas de vez em quando pego pessoas que gostam de conversar.
      E sim, há outras histórias.
      Abraços

      Excluir
  10. História maluca da porra.

    Tem gente de todo tipo em todo lugar do mundo.

    ResponderExcluir
  11. Massa que tomou um toco quando falou mal do Brasil. Adorei. Já fui assaltado na França e já estive em meio a tiroteio nos EUA. No Brasil nunca fui assaltado nem nada disso. E ai?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi toco, não, amigo. Foi só uma conversa normal.
      Pois, é. Isso mostra que Brasil é para você. Seja feliz.
      Abraços

      Excluir
  12. Bem interessante a história, traga mais que com certeza vamos ler.

    Sobre a história, bem louca mesma, ainda bem que vc não entrou na onda dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá TR,
      Foi bom pra treinar o inglês, mas tem que ter cuidado mesmo. Tem uns loucos por aí, kkkkkkkk.
      Abraços

      Excluir
  13. Ser uber é perigoso em qq lugar. Tem cada historia nos EUA, Canada em qq lugar. Nao é só Brasil que tem problemas não. Nego vai pra fora e acha que lá é um paraíso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É perigoso mesmo. E aqui em London tem gente de tudo quanto é loucura. Aqui há um passado sombrio:
      https://www.theguardian.com/world/2015/aug/19/serial-killer-london-ontario-canada

      Abraços

      Excluir
  14. Ue! Ela viu a oportunidade de ter um psicólogo 0800 e aproveitou....rsrsrs

    ResponderExcluir
  15. Essa mina é louca, essa mina diz coisas absurdas (meme)

    ResponderExcluir
  16. Olá, ADP.

    Ainda bem que você não caiu na dela. Tem muito homem que TNC por causa de mulheres.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  17. Em ônibus as vezes a gente se depara com stuações parecidas.
    Sempre usei muito ônibus, certa vez fiz uma peqena viagem e se sentou na poltrona do eu lado uma mulher de uns 50 anos de idade.
    Não nos conhecíamos, mas ela aproveitou parte do trajeto(ela desceu antes de mim) pra falar sobre sua vida e sobre as "dificuldades" de seu casamento e dos casamentos em geral, ela me peguntou se eu era casado, eu respondi que não e ela até me deu alguns conselhos caso eu pretendesse me casar.

    Como já omentaram, tem pessoas que querem apenas desabafar sobre seus problemas sem serem julgadas, talvez em suas família ou amigos isso não fosse possível.
    E pelo que já vi, mulheres tem mais facilidade e menos pudor em falar de suas vidas para terceiros.

    ResponderExcluir
  18. Entrei pelo título "click bait" não tão click bait, hahaha. Boa história, se possível tente compartilhar mais causos. Sucesso e saúde para você e sua família.

    ResponderExcluir
  19. Mandou bem!
    Uber tem que estar sempre atendo

    ResponderExcluir
  20. Ela só queria uma corrida grátis! Uma vez mancebo, sempre mancebo! kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre Troll,
      Não suma, rapaz. E não fique com preguiça de logar antes de postar, rs.
      Essa corrida em específico não pois aqui não se paga em cash, só no cartão de crédito. A não ser, claro, que de repente se eu cancelasse, mas aí ela tem que ter mais lábia para me convencer.
      Mas pode ser também que ela queira, digamos, um Uber fixo gratuito. Pode ser, kkkkk.
      Abraços

      Excluir

Seja educado. Mensagens de trolls serão moderadas.