quarta-feira, 12 de agosto de 2015

[OFF] Livro - Mentiram para mim sobre o desarmamento

Saindo um pouco da linha do blog, gostaria de compartilhar com vocês as impressões sobre um livro que trata de um assunto polêmico: o desarmamento. Estamos acostumados a ser bombardeados pelos argumentos pró-desarmamento, principalmente pela mídia. O livro “Mentiram para mim sobre o desarmamento “ dedica-se a um ser verdadeiro contraponto.

Formado em Engenharia Elétrica, Flávio Quintela, um dos autores do livro, possui experiência como empreendedor na área de ensino, consultor de gestão de empresas, blogueiro de “Maldade Destilada” e é autor de “Mentiram (e muito) para mim".
Bene Barbosa, o segundo autor, é bacharel em Direito, especialista em segurança pública, armas, munições e suas utilizações. Afastado de suas atividades após ser diagnosticado com câncer, decidiu, em 2004, profissionalizar sua luta contra o desarmamento civil através da fundação do Movimento Viva Brasil. Hoje, curado, é autor de centenas de artigos, participou de centenas de debates e já ministrou dezenas de palestras.


O livro possui 173 páginas divididas em dez capítulos e dois apêndices. Cada capítulo do livro dedica-se a desconstruir mitos comumente alardeados pelos movimentos pró desarmamento, como por exemplo “as armas dos criminosos vêm das mãos dos cidadãos de bem”, “qualquer cidadão de bem pode comprar e possuir armas no Brasil”, “as armas matam” e “armas causam muitos acidentes caseiros e matam crianças”. Nos dois apêndices, o livro comenta sobre o Plano Nacional de Direitos Humanos e faz um comparativo o estatuto do desarmamento e o referendo de 2005.

Opinião pessoal
O livro apresenta contra-argumentos convincentes acerca do assunto, sempre apresentando uma fonte sobre os dados apresentados (muitas delas do próprio governo). Além disso, o livro é bem curto. Apesar de formalmente possuir 173 páginas, o assunto principal do livro começa, de fato, na página 28, e termina na página 157. O restante é composto por apresentação dos autores, agradecimento, prefácio, introdução e bibliografia.
Acredito que o tamanho do livro é intencional. Primeiro devido ao custo, pois livros pequenos são mais baratos. Segundo devido a intenção do autores de proporcionarem um start sobre um assunto. Os assuntos constantes no livro não representam um estudo conclusivo sobre o desarmamento, mas constituem um material iniciatório sobre um dos lados da moeda. Por fim, seria algo desestimulante um livro sobre o assunto caso este fosse apresentado com 300 páginas ou mais. O livro é voltado para o público em geral e por isso seu tamanho, preço e linguagem simples constituem características primordiais para o atingimento deste objetivo. Interessante observar que tamanho reduzido nada tem a ver com má qualidade de  informações. Em seu conteúdo, os autores abordar os assuntos de forma natural, sempre apresentando argumentações, com as devidas fontes de informações.
Se você deseja se informar mais sobre o assunto, vale a pena ler o livro. Se você possui a convicção de que o desarmamento é ruim, leia o livro para ampliar seu conhecimento. Se você possui a convicção de que o desarmamento é bom, leia o livro para se informar sobre o outro lado da moeda, fazendo com que você redobre suas convicções ou perceba que as coisas não são bem assim como você imaginava.
E você, já leu este livro? Conte-nos suas impressões! Deixe seu comentário.

9 comentários:

  1. Ainda não li este mas li o outro do mesmo autor. Achei na linha Olavo de Carvalho... Muitos argumentos que não serão levados em conta por o autor não fazer parte do grupo mainstream da educação, infelizmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que achou deste outro livro do autor?
      Abraços

      Excluir
    2. Olavo de Carvalho? Aquele astrólogo geocentrista que acha que cigarro não faz mal?

      Excluir
    3. Quanta burrice falar de alguém sem nem ao menos lê-lo.

      Excluir
  2. Vi a recomendação para leitura no blog do HEAVY METAL - Investidor sem medo do mercado! O livro mudou minha opnião sobre o assunto e também recomendo a leitura. Pode ser baixado no celular comprando aqui http://www.amazon.com.br/Mentiram-para-mim-sobre-desarmamento-ebook/dp/B00VGI0QZE/ref=cm_cr_pr_product_top/177-8465972-5128563. A autor cita muitos argumentos e estatiscticas que contrariam a idéia de uma população desarmada ser mais segura. É mais um exemplo de que basear sua opinião no que você ler na mídia e no senso comum é um erro!

    ResponderExcluir
  3. É vergonhosa a burocracia para se comprar um simples revólver 38 de forma legal no país, sem contar que o critério de "comprovada necessidade" é na verdade "conhecer algum delegado da PF", porque o governo pressiona a PF para liberar o mínimo de registros de armas.

    Enquanto isso os bandidos conseguem comprar armas facilmente ou até mesmo alugá-las em uma boca para cometer algum crime.

    O governo quer desarmar a população para conseguir o poder absoluto, a exemplo de URSS, China, Cuba e Venezuela. Nessa semana opositores venezuelanos acabaram de ser sumariamente fuzilados pela polícia. Será que algum tirano tentaria fazer coisa parecida no Texas onde quase todo cidadão está armado?

    Recomendo que todo cidadão que não queira ser humilhado adquira um armamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. venho falando disso ha anos e so consegui inimigos e escarnecedores. quando a porra estourar, quero ver quem rirá.

      Excluir
    2. Mesmo que não haja esse risco governamental, o risco criminal já existe há tempos e só piora. Ainda não tenho arma e moro em um bairro tranquilo e pouco visado, mas pensar que nem na sua você poderia se safar dos malditos amigos do alheio é perturbador.

      Excluir
  4. Li o livro. Muito bom. Vale a pena. Não é coincidência a avaliação do livro na Amazon estar com uma nota tão alta.

    Obrigado pela indicação.

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.