sábado, 12 de novembro de 2011

Como o Além da Poupança calcula seus rendimentos?

Vou ser simples e direto: utilizo o Sistema de Cotas.

Ele funciona como um fundo de investimento onde o patrimônio é dividido em diversas cotas.  Assim ele distribui corretamente os aportes durante o ano e calcula sua rentabilidade. Você pode utilizar a tabela que criei e disponibilizei para download.

Vamos a um exemplo hipotético para explicar este sistema:

Digamos que um investidor decida investir 1.000 reais por mês. Ele investe então de janeiro a julho e começa a se perguntar como seria o cálculo para sua rentabilidade mensal, pois está interessado em analisar sua performance. Como ele vai considerar os dividendos? Os primeiros meses têm ou não mais impacto do que os últimos? Quando ele investe em meses de baixa, não seria correto estes meses terem mais impacto do que quando investe em tempos de alta? E aquele aumento que está previsto no meio do ano e que o investidor passará aplicá-lo na bolsa, qual o seu impacto? E os investidores que cada mês tem um aporte de dinheiro novo diferente, como se calcula?

Essa e outras questões são resolvidas através do sistema de cotas.

Imagine que em um primeiro momento o investidor aporte 1000 reais em ações. Ele pode considerar também que ele possui um fundo de investimento composto por 1000 cotas. Assim, ele “comprou” 1000 cotas por 1 real cada.

No final do mês ele viu que o patrimônio do fundo está valendo 1050 reais. Logo ele possui 1000 cotas valendo cada uma R$ 1,05, o que representa um ganho de 5% em um mês.

No outro mês ele aporta mais 1000 reais. Logo ele compra 952,38 cotas com esse aporte, fincando assim com 1952,38 cotas. Veja que o sistema de cotas fez com que, com o mesmo dinheiro, o investidor compre menos cotas, fazendo com que este aporte impacte menos que o aporte anterior.

No final do mês, o investidor calculou o valor do fundo de investimento, somou com o que ele tinha em caixa e viu que o fundo agora valia 1950 reais. Dividindo este valor pela quantidade de cotas, ele viu que cada cota está valendo R$ 0,9987, o que fez com que o rendimento no mês fosse de -4,88%, mas fosse de apenas -0,013% ao ano.

No outro mês o nosso investidor recebeu uma bonificação na empresa do qual ele trabalhava e aportou 1500 reais no fundo. Com isso, comprou 1501,95 cotas a R$0,9987, e ficou no final com 3454,33. Com isso ele foi repetindo esse processo cada mês para avaliar como anda seu rendimento mensal e anual.

Tudo bem Além da Poupança. Você já explicou tudo e a gente entendeu. Mas não tem um jeito mais fácil de calcular isso não?

Pensando nisto, fiz uma planilha simples mas bastante útil, que pode ser baixada e utilizada por qualquer investidor. Ela pode ser também divulgada em qualquer site ou blog na internet. Seria legal também se puder mencionar que ela foi retirada do Blog Além da Poupança.

Vejam abaixo uma imagem de como ficou meus rendimentos desde o início do ano:


 
O arquivo contém também uma explicação de como preencher a tabela, além de gráficos de acompanhamento do rendimento mensal e anual. Não é nada complicado utiliza-la. Só é necessário preencher o valor do aporte e o valor da carteira. O restante a tabela calcula automaticamente.


A planilha pode ser baixada AQUI.

Obs.: Há uma nova versão da planilha. Seu tópico poderá ser acessado clicando AQUI.


Através deste sistema, eu vejo minha carteira como uma Holding com participações em companhias elétricas, mineradoras e bancos, dividida em várias cotas do qual sou o único cotista. 


Com isso, recomendo fortemente que os investidores utilizem este sistema a fim de acompanhar corretamente o rendimento de suas carteiras.

11 comentários:

  1. Ainda não uso o sistema de cotas. Baixei sua planilha. Vou pensar nisso...

    ResponderExcluir
  2. Considero esse sistema de cotas desnecessário.
    O que importa pra mim é o quanto que o patrimônio aumentou ou diminuiu de um mês para o outro, não importando se foi porque eu aportei muito ou se determinada ação subiu muito naquele mês, etc.
    Afinal de contas, quando eu determino objetivos a serem atingidos, o importante é chegar lá, não importando se é com aportes, juros, dividendos, aluguel etc.
    Valeu!

    ResponderExcluir
  3. Cada um tem uma necessidade específica.
    Tomei a iniciativa de reproduzir esta planilha devido a 2 motivos principais: (1)Porque muitos investidores calculam de forma errada suas rentabilidades e (2) dificuldade de encontrar planilhas que auxiliam de forma simples os seus investimentos.
    Discordo com você que o importante é apenas chegar lá, não importando se é com aportes, juros, dividendos, etc. Quer dizer então que você sai investindo em qualquer investimento, sem considerar a sua provável rentabilidade, ou juros, ou quanto receberá de aluguel? Como você quer chegar a um objetivo se não quer avaliar o caminho que está percorrendo. É lógico que você se importa com os juros e dividendos recebidos.

    A verdadeira questão é a sua necessidade de separar ou não estas informações. Tem gente que gosta de ver detalhadamente sua rentabilidade e deixar um registro para saber o impacto ao longo do tempo. Tem gente, assim como você, que não faz questão de ter estes registros. É pura questão de escolha e necessidade.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, estou aprendendo muito no seu blog, comecei meus investimentos agora com 65 ações da ELPL4, mais já tive dor de cabeça logo de cara.
    Comprei a R$38 3 hj ela ta valendo R$28, espero que melhore nos próximos dias.
    Vc pode disponibilizar a planilha no meu e-mail, pois estou tendo problemas para baixa-la, segue e-mail danielpeixer@terra.com.br.

    Obrigado e espero que você continue ensinando os outros o que vc sabe e rumo a nossa independência financeira.

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigado por compartilhar a planilha! Testarei para ver se é uma boa para acompanhar meu patrimônio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem uma planilha nova neste link
      http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2012/04/planilha-de-acompanhamento-de.html

      Abraços

      Excluir
  6. já baixei a sua planilha ( e te mandei email até ehehe espero que responda :D) mas ainda não sei se compreendi bem o pq da sua afirmação " Quando ele investe em meses de baixa, não seria correto estes meses terem mais impacto do que quando investe em tempos de alta? "

    fiz uma simulação com 2 preços de ações diferentes R$50 e R$20. Com R$100 , tu compraria 2 e 5 ações respectivamente. Se elas se valorizarem o mesmo percentual , o valor das duas carteiras será igual.. então não compreendi....

    Abraçoss
    Shugyo
    ps: estou postando nesse artigo mais antigo pois estou lendo todos os seus começando do zero :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Shugyo,
      Fazer simulação com ações diferentes não tem a ver com ciclo de alta ou baixa. Ciclo de alta ou baixa refere-se a apenas um único ativo. Faça uma simulação com ações compradas em 20 reais e as MESMAS ações compradas em 50 reais. Caso a ação vá a 100, as ações compradas a 20 reais terão maior rentabilidade.
      Abraços

      Excluir
  7. boa tarde, parabéns pela planilha. Entretanto fiquei com uma dúvida: Como você considera a questão dos proventos? Você os junta com os aportes? No meu entender os proventos devem compor a rentabilidade, não apenas a valorização e desvalorização dos ativos. obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Proventos não são aportes.Eles são considerados na carteira, que é a soma do valor dos ativos com o valor em caixa.
      Abraços

      Excluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.