quinta-feira, 17 de maio de 2012

O número mágico da independência financeira


 Na postagem O que é riqueza financeira foi explicada a definição da independência financeira,  alcançada quando os ativos que a pessoa possui são suficientes para garantir os gastos gerados pelo seu passivo, sem depender de fontes externas. Se você ainda não viu, vale a pena a leitura.

A grande dúvida é: qual o valor? E a resposta é: depende.

Não seria correto definirmos um valor, como por exemplo 500 mil ou 5 milhões de reais, pois este valor dependerá da quantidade de gastos que a pessoa possui.  Como cada pessoa possui um gasto diferente (varia de região para região, necessidades pessoais, tamanho da família, qualidade de vida, etc), cada pessoa também deverá ter um ativo diferente.

Outro aspecto a ser considerado é o quanto (em %) esperar que este ativo gere no decorrer do tempo. Já vimos diversos artigos que recomendam taxas de retirada (4%, 5%), mas seguir estas dicas talvez também não seja a melhor opção. Uma taxa de 4% pode ser facilmente conseguida hoje no Brasil, mas o investidor teria que soar um pouco a camisa caso ele pertencesse a maioria dos países que possuem taxas básica de juros baixa, como por exemplo o Japão. Será que futuramente conseguir 4% será tão fácil quanto hoje no Brasil?

Então o que você propõe, Além da Poupança?

Conforme foi descrito acima, o tamanho do ativo deverá estar de acordo com os gastos da pessoa e com uma taxa de rendimento. Se o investidor estiver atento a esses aspectos, ele poderá seguramente pedir demissão (Talvez de forma cômica ou vingativa. Vai de cada um.) a sua chefia, sem medo de ser feliz. O valor deverá ser suficientemente capaz de assegurar que futuramente o investidor não precise voltar de joelhos pedindo perdão ao amado chefinho.

Taxa de rendimento segura

Para não definirmos uma taxa exata, devemos então levar em consideração a taxa básica de juros do país (no nosso caso a taxa Selic). Para trabalharmos em um patamar seguro, podemos considerar que nosso ativo será remunerado a metade da taxa básica de juros. Hoje a meta da taxa Selic está a 9% ao ano, então poderíamos considerar hoje uma taxa segura de 4,5% ao ano. 

É importante observar 3 aspectos. (1) Quanto menor a taxa de juros, maior será o tamanho requerido do nosso ativo. (2) Apesar de não ser nada confirmado, a tendência para o longo prazo é a taxa de juros brasileira esteja em conformidade com a média internacional, ou seja, uma taxa de juros baixa. (3) Apesar de a cada reunião do COPOM, o Banco Central esteja mudando a meta da Taxa Selic, isto não é normal. A taxa básica de juros é um instrumento muito importante para a economia, sendo então alterada com pouca frequência pelos outros países.

Gastos

Para termos uma visão geral dos nossos gastos, é importante considerarmos os gastos anuais da família que será sustentada pelo ativo. Não se esqueça de adicionar os gastos do carro e da casa (IPTU, IPVA, seguro, etc). Este valor varia de pessoa para pessoa. Obviamente, quanto maior os gastos familiares, maior será o ativo. 

Ainda falta considerar o fator segurança. Contar apenas com metade da taxa básica de juros talvez não seja suficiente. Devemos também levar em consideração que o ativo deverá ser realimentado. Para isso, é necessário colocar mais algumas gordurinhas, para nos certificarmos de que o ativo segurará as pontas. Para isso, proponho dobrarmos os gastos mensais.

Para resumir, o valor do ativo deverá levar em consideração metade da taxa básica de juros e o dobro dos gastos familiares. Em outras palavras, nosso ativo, remunerado com metade da taxa básica de juros, terá que ser suficiente para sustentar o dobro dos nossos gastos. Com este critério, o investidor pode se sentir seguro em ser um independente financeiro.

Com isso, criei esta tabela que mostra diversos gastos (mensais) cruzado com diversas taxas de juros. Os gastos e as taxas de juros são os valores reais, não os de segurança. Lembrando que os valores dos ativos estão na casa dos milhares de reais:

Clique na imagem para melhor vizualização

Para exemplificar, para uma família que posssui um gasto mensal de R$7.500,00, em uma economia com taxa SELIC a 4%, seria ideal que eles possuíssem um ativo mínimo de 9,0 milhões de reais como garantia de independência financeira.

Para quem se interessar a calcular outros valores, a fórmula está abaixo:

Valor do ativo = 4800 * gasto mensal / taxa SELIC

Considerações finais

Alguns concordarão com o que foi descrito acima, outros terão a impressão de que fui muito ou pouco conservador, ou que as considerações estão em parte corretas. Uns podem achar que é possível definir um valor mínimo para o ativo, ou uma taxa predefinida. Cada um tem uma opinião diferente, e isso é parte mais legal quando o assunto é investimento. Seja qual for a sua opinião, deixe seu comentário abaixo. Vamos debater este assunto!

57 comentários:

  1. poxa AdP, vc acabou de dobrar o valor da minha meta, sento e choro? rsrs
    Essa de dobrar os gastos é interessante, eu diria que vc foi um realistat tendendo ao pessimismo, mas é interessante sempre trabalhar com as piores situações, nunca sabemos o q nosso governo vai aprontar mais p frente e q lado vai a economia mundial.
    Vou aguardar os comentarios e ver o q o povo acha.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu procuro ser pessimista nas minhas projeções. Pra alguns é pessimismo. Para mim é prudência.

      Abraços

      Excluir
  2. O que é o 4800 da fórmula e pq esse número?

    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma forma mastigada da fórmula real.

      Valor do ativo * tx selic / 100 / 2 = 2 * gasto mensal * 12

      A fórmula de cima é a verdadeira, mas como gosto de deixar tudo do jeito mais fácil para quem frequenta o blog, utilizei a matemática para simplificar:

      Valor do ativo * tx Selic / 200 = 24 * gasto mensal
      Valor do ativo = 24 * gasto mensal * 200 / taxa selic
      Valor do ativo = 4800 * gasto mensal / taxa SELIC

      Pura matemática.

      Abraços

      Excluir
  3. Legal.

    Mas você está considerando que o patrimônio permanecerá intocado até a morte ou você botou uma data para morrer?

    Hoje penso que ficaria com a segunda alternativa. Claro que a gente não sabe exatamente a data de nossa retirada, mas acho que minimiza os riscos botar uns 110 anos pra ter uma excelente margem de erro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Considerei que o patrimônio ficará rendendo e a pessoa/família utilizará seus rendimentos para pagar seus passivos, conforme http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2012/03/o-que-e-riqueza-financeira.html . Provável data de morte não entra no cálculo.

      Abraços

      Excluir
  4. Olá AdP,

    Utilizo sua planilha para fazer minhas margens e admiro seu trabalho aqui no blog, porém possuo uma dúvida, agradeço se puderes responder:

    Atualmente tenho todos meus investimentos em RF (CDB, LCI, Poupança) ( em torno de R$30.000,00) e penso em entrar no mercado de ações ou FII (talvez FII para começar), porém, meu salário é uma merda e eu não sou obrigado a declara imposto de renda ainda, se comprar ações ou FII automaticamente serei obrigado a declarar?

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também faz parte da obrigatoriedade da declaração quem:

      - obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

      Veja que tem um "ou" na frase. Então mesmo que suas operações não deem ganho de capital, há a obrigatoriedade sim.

      fonte: http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2012/declaracao/obrigatoriedade.htm

      Abraços

      Excluir
  5. Muito bom o estudo como sempre, bem argumentado :)
    Vai disponibilizar a planilha?

    Simulei aqui e foi desanimador, tomara que eu tenha errado a fórmula kkk

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É amigo, quem disse que a atingir a independência financeira é fácil?
      Esta planilha foi só para ilustrar. O cálculo pode ser feito com a fórmula da postagem.
      Abraços

      Excluir
  6. Muito interessante essa sua análise AdP.

    Eu faço a minha projeção de outra maneira.

    Basicamente pego o valor que eu quero receber por mês hoje, multiplico por 2, ou seja, dobro o valor, e esse seria 0,5% do meu patrimônio.

    Mas por que isso dobrar?
    Primeiramente, dobro o valor pelo mesmo motivo que você dobrou. Metade do que eu conseguir, vai para dar uma engordadinha no patrimônio.

    Mas por que 0,5% ?
    O meu patrimônio está sendo construído para eu ter 6% (nominal) de dividendos ao ano. Com isso, se dividirmos 6% do patrimônio por 12, temos 0,5% ao mês.

    Nestes casos, podemos ser mais ou menos pessimistas. Caso você queira ter certeza que nada vai dar errado, diminua os dividendos para 5% ou 4% ao ano.

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 'Caso você queira ter certeza que nada vai dar errado,'

      troque essa frase por

      'Caso você queira ter uma certeza maior, sendo mais pessimista,'

      Excluir
    2. Entendi seu raciocínio. Muito interessante.
      Eu particularmente não gosto de trabalhar com uma taxa fixa, pois pode ser que no futuro 6% ao ano seja uma tarefa árdua. Meu balizador é definido como metade da taxa básica de juros.

      Abraços

      Excluir
  7. Rapaz eu nem prefiro calcular KKKKKKKKKKKKKKKK
    Bem eu penso em continuar a trabalhar só que em ritmo menor de forma a não torrar as minha resevas.

    Um abração meu amigo.

    Lord.

    ResponderExcluir
  8. Acredito que estes cálculos ajudam bastante quem julga estar chegando na reta final das suas alocações.

    Agora, para nós reles mortais que ainda engatinhamos nesta busca pela IF, sinceramente, é algo um tanto depressivo de se fazer hehehe, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é depressivo, mas atingir a independ~encia financeira não é nada fácil. É tarefa para poucos.

      Abraços

      Excluir
  9. Ok... então será que vale a pena?? anos e anos atrás do 1k?
    Sem contar que muita gente esquece alg primordial no Brasil: Convênio Médico... conforme o tempo passa mais cara ele fica pra você (velhice).
    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O investidor terá que avaliar os possíveis gastos futuros na hora de calcular o número mágico. Os gastos médicos na velhice são muito mais altos.

      Abraços

      Excluir
  10. Acho meio conservador e me desanima um pouco.... pra não falar muito.rs

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desanima não, cara. Seguimos com disciplina e determinação.

      Abraços

      Excluir
  11. Eu sei que não é o foco do seu post, mas também sei que você admite discussões assim, então... Acho que as pessoas superestimam a importância da SELIC. O fato de o governo querer pegar dinheiro emprestado a 1% ao ano não me faz ficar satisfeito com 3% no mercado, não! Eu vou continuar querendo pelo menos 6% porque, se não, não faz sentido economizar, pra começo de conversa! Basta ver o que acontece nos Estados Unidos: mesmo com juros reais negativos, o P/L médio das empresas que compõem o Dow Jones está pouco acima de 10! Muito próximo da média brasileira!

    Eu conheço bem essa ladainha de que sempre que os juros caem, a bolsa sobe, li muito isso nos livros e ouvi muita gente repetindo, mas acredito firmemente que a taxa de desconto do mundo real decorre da inclinação para a poupança de uma sociedade, ou seja, essa expectativa de remuneração não é manipulada por canetadas do governo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi seus questionamentos. Só não se esqueça que estamos em um período baixista.

      Lembrando que eu não disse que quando os juros caem a bolsa sobe e vice versa.

      Abraços

      Excluir
  12. Essa de dobrar o gasto mensal médio pra mim é nova... Pessimismo inspirado pelo bear market?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O artigo foi feito independente do período atual.

      Abraços

      Excluir
  13. Fala, AdP!

    Cara, isso não é conservadorismo, é pessimismo! rsrsrs

    Duas coisas: vc está considerando juros da renda fixa. Pq não viver de Dividendos?

    Eu escrevi um artigo parecido:
    http://www.youtube.com/watch?v=nwnZPfM7VtI&feature=digest_fri

    Não consigo entender pq migrar pra renda fixa durante a aposentadoria. Como eu falei já várias vezes, aposentado quer Fluxo de Caixa e não Patrimônio.

    Enfim, eu já fiz 2 cálculos, um mais otimista e outro mais conservador (esse do link). O seu ficou acima do meu conservador. Mas é pelo fato dos juros baixos. Considerei 8% de dividendos ao ano.

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em nenhum momento citei que é preciso migrar para a renda fixa. Eu acredito que dificilmente em uma economia onde a taxa básica de juros seja na casa dos 2%, os dividendos pagos serão na casa dos 12%.

      Abraços

      Excluir
    2. Algum de vcs ja pesquisou os valores de dividendos nos EUA, França, Espanha...?
      Acho que vale a pena incluir isso como informação p quem espera retiradas altas em Dividendos
      Bjs

      Excluir
    3. Pois ééééé, Ostra!

      Exato! Já andei procurando esse tipo de informação, mas não encontrei. Até perguntei por aí em alguns blogs, mas ninguém sabe de nada.

      Eu queria saber, justamente, qual o DY médio das boas pagadoras de Dividendos dos EUA.

      Em tempo, saiu um link do Youtube ali, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      link correto:
      http://di-finance.blogspot.com.br/2012/03/aposentadoria-com-dividendos-e-possivel.html

      Excluir
    4. vou facilitar seu trabalho dimarcinho, pois hj estou de bom humor, mas em troca depois passa lá na minha sala e faz o povo folgado tirar os pés do sofá :P

      esse é do Dow Jones: http://indexarb.com/dividendYieldSorteddj.html
      mas estranho muito o DY da AT&T, até pq tenho um conhecido que trabalha lá e as coisas não andam bem na empresa, mas enfim...

      aqui uma lista dos mais altos dividendos do mercado:
      http://www.dividend.com/dividend-stocks/high-dividend-yield-stocks.php

      outra de top:
      http://www.moneycontrol.com/stocks/marketstats/bsetopdiv/index.html

      alguns da belgica:
      http://seekingalpha.com/article/540711-6-dividend-yield-stocks-from-belgium
      alguns da frança:
      http://seekingalpha.com/article/357931-5-solid-dividend-stocks-from-france

      algumas informações:
      http://dividendmonk.com/7-companies-with-unrivaled-economies-of-scale/

      tenho muita coisa por aqui, mas acho q por esses vc já consegue fazer um levantamento
      beijão

      Excluir
    5. Poxa, Ostra, trabalho pro fds??? rsrsrsrsrs

      De qq maneira, dei uma lida na diagonal aki.... o DY médio do DJI fica em torno de 3%. É baixo.

      No entanto, o DY médio do Ibovespa fica em torno de 4,2%, mesmo com um monte de empresas que nem pagam. Lá todas pagam.

      Numa análise inicial, ainda to tranquilo! rsrsrsrs

      Excluir
    6. dimarcinho, queria que eu passasse tudo pronto? Para isso eu cobro mais caro!

      Sim é baixo, e EUA ainda paga bem, media 'nas zooropa' é bem mais baixa. Aqui ainda é mais alto mas a questão é: até quando?
      Futuro é imprevisivel e tb gosto de trabalhar com cenario pessimista, mas não tão tragico como o AdP kkkk ainda estou com frio do balde de gelo que ele jogou na minha cabeça! :P

      beijão bom fds p vc´s

      Excluir
    7. hauhauahua

      na verdade vc me ajudou MUITO! Reclamei pq tu podia ter passado isso na segunda-feira, né? Agora vou passar o fds to estudando!!!!!

      Minto, só o domingo. Amanhã é dia de churrasquinho com amigos! hehehe

      Mas ajudou caminhões. Eu já to pra fazer um levantamento de dividendos pagos pelas empresas. O que atrapalha mais são os desdobramentos, bonificações, etc, pois muda a base de cálculo!

      bjao e bom fds pra ti tb!

      Excluir
  14. Além da Poupança,

    Sua análise está totalmente equivocada. A taxa de retirada na sua tabela beira 1% a.a a depender da taxa. Nos EUA, com taxa de 0%, ninguém precisa de 36 milhões para gastar ao máximo 7.500,00 ao mês.

    Tem um livro de Jim Otar que fala exclusivamente sobre isso, "unveiling the retirement myth". O mesmo concluiu com dados empíricos que com uma taxa de 3% ou menos ao ano é impossível o portfolio exaurir, independente da alocação de ativos ou do valor da taxa básica de juros.

    Seu cálculo também torna impossível tocar no principal. É um desperdício muito grande de poder de compra e portanto muito ineficiente.

    Cuidado com essa relativização "cada um tem sua opinião e vamos todos ser felizes", esse cálculo seu se levado a sério pode levar a consequências desastrosas pro investidor (trabalhar MUITO além do necessário, etc.)

    Abraços,

    VR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá VR,
      É interesante vermos estes estudos em livros, mas devemos sempre manter uma visão crítica. Não devemos seguir de olhos vendados o que lemos por aí, pois há vários estudos, com os mesmos dados de análise, mas que obtem conclusões totalmente opostas. Já cheguei a ver estudos que diz que é impossível para o pequeno investidor atingir a "independência financeira". E o seu estudo pessoal, você já fez? Não venda seus olhos.

      A ideia não é "cada um tem sua opinião e vamos ser felizes". A ideia foi discutir o assunto. Digo que EU me sentiria confortável assim.

      Se você se sente confortável com uma taxa fixa de 3% seja qual for o portfolio, então que seja. Se acha que é impossível exaurir, seja onde estiver investido, então boa sorte. Afinal de contas, ricos nunca voltam a condição de pobres, não?

      Regra básica de investimentos: evite utilizar as palavras "sempre", "nunca", "óbvio", "com certeza", e "impossível", que foi falado por você.

      Se eu tiver que trabalhar muito para atingir o que foi escrito, então que seja. Para mim, trabalhar não é o fim do mundo. Pelo contrário.

      Abraços

      Excluir
  15. Concordo com você, Além da Poupança. Trabalhar não é o fim do mundo. O mais importante da vida é ter segurança. De que adianta largar o trabalho pra viver uma ilusão e acabar passando por dificuldades. Eu, particularmente, ainda estou fazendo meus cálculos e vendo se será possível e quanto seria necessário para alcançar a independência financeira. De qualquer forma, faço meus investimentos. Não sei se vou alcançar a independência ou não, mas essa não é minha primeira motivação para poupar e investir. Minha principal motivação é ter esse dinheiro como mais uma forma de me sentir segura. Sou servidora pública e as pessoas dizem que não preciso me preocupar com segurança financeira, mas eu discordo inteiramente. Sabemos que a vida sempre nos surpreende e que nada é garantido neste mundo.

    Também concordo com você que cada um faz como quer. Somos livres e temos necessidades diferentes, em todos os aspectos. Não nos cabe criar regras gerais baseando-nos nas nossas necessidades e ignorando as diferenças.

    Obrigada por compartilhar seus passos conosco. Acompanho o blog há um bom tempo, mas nunca tinha me sentido motivada a postar. No entanto, senti necessidade agora. Gostaria de parabenizá-lo pela seriedade dos seus posts e sei que sempre faz com a melhor das intenções. Alguns disseram que você os desmotivou e que suas considerações não fazem sentido. Mas eu pergunto: se não faz sentido, por que os afetou tanto? Pessoalmente, considerei sua opinião bastante realista. Mas, enfim, cabe a cada um julgar e construir seu próprio caminho.

    Felicidade a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janaína, seja bem vinda ao blog e obrigado pelo depoimento.

      Investimentos não é uma ciência exata. Não há nada definitivo que servirá para todas as pessoas. Cada pessoa e cada lugar possui suas características.
      É necessário muito cuidado quando a pessoa decide viver apenas dos seus rendimentos. É preciso refletir e saber analisar muito bem qual seria o momento ideal. Por isso procuro ser pessimista em minhas projeções.
      Tenho ciência de que não sou dono da verdade, assim como os frequentadores da blogosfera de investidores. Mas tenho ciência também de que temos que refletir o assunto. A independência financeira é o objetivo da maioria dos investidores, mas nem todos refletiram sobre ela. Por isso, criei esta postagem para incitar boas discussões.

      Também sou servidor e alguns vizinhos ficam perplexos em saber que não tenho carro e que moro de aluguel, kkkkkkk. Às vezes parece que somos errados, mas fico feliz em saber que até alguns empresários (como o Corey) também mantêm atos simples.

      Abraços

      Excluir
    2. Também não tenho carro e moro de aluguel. Nossa, as pessoas me estranham muito. Os vizinhos, os amigos, os colegas de trabalho, a família. Eu não gosto de dizer que invisto, porque tenho medo de me pedirem dinheiro emprestado, achando que estou rica. Tenho medo até de ser sequestrada, mesmo não tendo muito dinheiro. Sou meio paranoica. Rs! Como não sabem que invisto, aí é que acham mesmo que eu sou doida. Perguntam se meu dinheiro cai em um buraco negro, porque eu não tenho nada (palavras deles). Eu minto. Digo que tenho muitas dívidas e uso o dinheiro para pagá-las. Assim, as pessoas me acham normal e param de se meter na minha vida, kkkkkkk. Enquanto isso, meus colegas de trabalho compram apartamentos de 500k em muitas prestações e fazem financiamento para andar em carros 4x4. Eu, sinceramente, acho isso uma futilidade, mas pra eles é uma necessidade. Não ficam felizes sem se afundar em prestações para comprar o que não podem ter.

      Abraços

      Excluir
    3. Para os meus bancos isto é uma maravilha kkkkkkk.

      Abraços

      Excluir
  16. Então, seria melhor ir para investimentos em imóveis, não?

    Se compro um imóvel cujo aluguel me retorne pelo menos 0,5%/ mês, teria R$ 45k por mês. Este valor subtraindo o IR, ainda sim seria bem maior do que os R$ 7.500,00. Concordam?

    Jose Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está falando de apenas um imóvel ou um conjunto de imóveis?
      Se for apenas um imóvel, que imóvel é este que dá 45k de aluguel?

      De qualquer forma, mesmo sendo 45k por mês, a uma taxa de 0,5% (Qual a taxa média de aluguel dos imóveis hoje?), você deveria ter 9 milhões em imóveis. Mas aí eu te pergunto. 45K ao mês é suficiente para você? Precisa disso tudo? Esta taxa de 0,5% será sustentável, ou há chance de você passar sufoco no futuro? Você vai gastar todos estes 45K? Se sim, não seria melhor adiar um pouco a independência financeira e acumular mais patrimônio, para não ficar sempre no limiar? Por isso gosto de colocar uma gordura no patrimônio.

      Abraços

      Excluir
  17. Oi AdP, concordo com seus cálculos, acho que pra largar realmente qualquer emprego remunerado, com o atual e futuro cenário dos juros no Brasil, tem que acumular muito dinheiro mesmo.

    Eu penso de outra forma, eu pretendo trabalhar bastante ainda, mesmo porque eu gosto do que eu faço. Porém eu quero acumular uma reserva grande justamente para me dar segurança e tranquilidade, além de claro algum fluxo de caixa extra para poder gastar com o que eu quiser.

    Valeu pelo post! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá RF
      Quando atingir minha independência financeira pretendo continuar trabalhando também. já pensei em participar de projetos sociais ou quem sabe ajudar outras pessoas na sua educação financeira.

      Abraços

      Excluir
  18. AdP!

    Se pessimista é a palavra, eu o sou. Concordo com seus números, e acredito que há muita gente iludida por aí. o buraco é mais em baixo! Só achei meio exagerado o fato de dobrar o valor da necessidade, mas com inflação comendo o bolo e alguns gastos surgindo no meio do caminho, não acho absurdo duplicar.

    Particularmente não estipulo meta. Minha vida financeira e meu trabalho é totalmente irregular. Esse mês pensei que o faturamento da empresa ia bombar e por fim não chegará a empatar com o mês passado, então não tenho previsibilidade. Também não sei quanto vou precisar no futuro, nem as taxas que irei obter. Então é impossível estipular metas.

    Uma ideia interessante é a semi-aposentadoria, pretendo parar aos poucos...

    Abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Corey, dobrar as coisas talvez tenha sido um exagero da minha parte. Mas por enquanto vou mantendo os números. Talvez no futuro eu faça alguns ajustes e veja que a situação não é tão preta assim. Mas essa transição de trabalho para IF tem que ser feita com muito cuidado.

      Abraços

      Excluir
  19. Seleção laurarichene.blogspot.com.br ganha mais um post :)

    ResponderExcluir
  20. Ai, ai... Qd vejo essas contas me bate um desanimo que é paradoxalmente positivo.
    Explico: e que, pelo meu nível de renda, vou ter que trabalhar o máximo possível, mas o lado bom e que minha renda e alta.
    E depois que comecei a acompanhar esses blogs estou procurando gastar menos e meus gastos tendem a diminuir no tempo. Ou seja essa e a fase mais difícil pra mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A grande ironia de quem quer parar de trabalhar é que é necessário trabalhar muito mais. Engraçado, não?

      Abraços

      Excluir
  21. Cara... gosto muito do seu blog e uso sua planilha para a análise e acompanhamento dos meus investimentos...

    Mas esse post de agora... acabou comigo...

    Se coloco uma meta alta para mim, imagina pensando agora tendo que dobrar!
    hahahahahahahahahaha...
    Estou com a cabeça baixa... poutz!

    Mas é isso... a idéia é bem argumentada... o jeito é cortar as gorduras e trabalhar mais!

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa não foi a intenção, kkkkk.
      Acho que seria bom você analisar para tirar a sua meta de um valor para a IF. Eu levei em consideração apenas estes 2 fatores, mas podem ter muito mais. Foi apenas uma ideia lançada para ver os comentários dos colegas.
      Abraços

      Excluir
  22. Mas o que e mais fácil. Quem ganha 2 k chegar a independência ou quem ganha 20k

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode parecer que quem ganha 20k fica mais fácil, mas dependerá dos gastos de cada um também.
      Pode ser que quem ganha 20k tenha maiores gastos com saúde, pague pensão, além de não saber administrar muito bem o dinheiro. Ele pode ganhar mais, mas precisará também de um ativo maior para sustentar seus passivos.
      Talvez quem ganhe 2k gaste bem pouco, e administre bem o dinheiro.

      É relativo. Mas se os dois estiverem no mesmo patamar, quem ganha 20k fica mais fácil.

      Abraços

      Excluir
  23. Perguntei porque quem ganha 20k vai precisar de uns nove milhões para manter essa renda e arrumar nove milhões sem ganhar na lotéria,receber herança e muito difícil.
    E com uma renda de 20K o padrão de vida da pessoa tende a aumentar com o tempo. E ainda tem o perigo de ele ter que pagar uma pensão.
    Ao passo que quem tem um padrão de voda de 2k com menos de um milhão pode sobreviver.
    E diminuir o padrão de vida e um negócio muito difícil de se fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Sandman. Mas eu vejo pela ótica dos gastos, não da renda da pessoa. Talvez a pessoa que ganhe 20k se satisfaça com 10k, então para ela não será tão difícil atingir a IF.

      Abraços

      Excluir
  24. Adp, não entendi muito bem a questão da independência financeira: caso o investidor chegue ao montante final desejado (os 9M do exemplo), deverá migrar o seu portfolio para um investimento que pague aprox a Selic (TD no caso)? Não poderia continuar no mercado de ações ou em FII ou mesmo imóveis (aluguel)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há nenhuma migração. O investidor viveria apenas de dividendos ou vendendo patrimônio.
      Abraços

      Excluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.