quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Análise e opiniões – AES Tiete x Tractebel

Estaremos começando uma série nova série no blog. Nesta série iremos analisar e comentar indicadores e perspectivas futuras sobre empresas que estão listadas na bolsa.
Fazer este tipo de postagem não é uma tarefa fácil. Ao analisar uma empresa ou um grupo de empresas, nos deparamos com diversas informações que deverão ser processadas. Cada investidor processa uma informação de acordo com seu conhecimento e experiência, dando a sua devida relevância. As informações prestadas nesta postagem não são suficientes para que você tome a decisão de comprar, vender ou manter alguma destas empresas. No entanto, está aberta a possibilidade de discutirmos informações relevantes sobre seu desempenho ou perspectivas futuras do setor ou de determinada empresa.
As informações em sua maioria foram retiradas dos relatórios que são divulgados pelas próprias empresas. Quando a fonte não for originada destes relatórios, será informado a fonte de onde a informação foi retirada.
Começaremos então analisando sobre duas empresas: AES Tiete x Tractebel. Ambas estão no setor elétrico, particularmente na geração de energia elétrica.


Perspectivas do setor elétrico no Brasil
O Brasil ainda tem um consumo pequeno em comparação com o mundo, o que pode indicar que no longo prazo serão necessários maiores investimentos em parques de geração e distribuição de energia. Veja no gráfico abaixo a estimativa de consumo de eletricidade per capita do ano de 2012:


Em comparação com alguns de vizinhos latinos como Uruguai, Venezuela e Chile, estamos consumindo menos. Entre os BRICS, somos o 2º país que menos consome energia elétrica. Isso mostra que se o país quer mesmo permanecer como um dos destaques mundiais, o investimento no setor de energia elétrica será essencial.

Perfil de cada empresa


A Tractebel é a maior empresa privada de geração elétrica do Brasil, possuindo usinas hidrelétricas, termoelétricas, biomassa e eólicas (dando um total de 35 usinas), além de contar com projetos de construção de novas unidades. A empresa tem como estratégia a venda gradativa de energia disponível, principalmente os momentos em que o mercado está mais disposto a comprar.



A AES Tietê tem por objetivo o foco na excelência operacional e na disponibilidade de geração de energia através de investimentos na modernização do parque hidrelétrico existente. A empresa possui um parque composto por 18 hidrelétricas localizadas nos rios Tietê, Grande, Pardo e Mogi-Guaçu (São Paulo).

Gráficos comparativos

Clientes

A Tractebel possui uma gama diversificada de clientes, abrangendo distribuidoras, comercializadoras e clientes livres (indústrias), estes últimos contando com uma diversificação entre os diversos setores econômicos.


A energia da AES Tietê é vendida majoritariamente para a AES EletroPaulo, com contrato de vigência até 31/12/2015. Este contrato se mostrou bem vantajoso para empresa, permitindo a venda de energia a um preço acima da média do mercado.

Capacidade
O gráfico abaixo mostra a evolução da capacidade de geração de energia de cada empresa.


Podemos observar que a capacidade de geração da AES Tietê permaneceu praticamente a mesma desde o ano de 2005. Enquanto isso, a capacidade da Tractebel aumentou 17,8% no período.

Preço médio de venda de energia


Podemos observar que ao longo do tempo, a AES Tietê obteve um preço mais vantajoso por cada MWh gerado, principalmente devido ao contrato bilateral que obteve com a EletroPaulo.

Energia Gerada


A energia gerada pela AES Tietê obteve um tímido crescimento ao longo dos anos. Em contrapartida, no mesmo período a Tractebel obteve um crescimento de cerca de 50% de sua energia gerada.

Lucro Líquido


A curva de crescimento de ambas as empresas é bem parecida. Cálculando o  crescimento médio anual fazendo uma média entre os 3 primeiros e 3 últimos anos, podemos constatar que a AES Tietê obteve um crescimento médio de 9,3% ao ano, enquanto a Tractebel obteve 7,2% ao ano.

Margem bruta e margem líquida
São indicadores importantes para medirmos a eficiência da empresa, podendo ser um bom indicativo para a sua resistência às crises. Maiores margens significam que a empresa consegue vender seus produtos ou serviços a um preço bem acima de seus custos.



Pela margem líquida, podemos perceber que cada real que entra no faturamento da AES Tietê, ela embolsa cerca de 45 centavos após pagar custos, despesas e impostos. Em contrapartida, para cada real que entra na Tractebel, sobram cerca de 33 centavos de lucro. É importante ressaltar que ambas as margens são boas em comparação com outras empresas do setor.

Dívida
São utilizadas duas formas principais de medir a dívida de uma empresa. Uma compara a dívida com o patrimônio, enquanto a outra compara sua dívida com o seu lucro líquido anual. O gráfico abaixo mostra quantos anos de lucro seriam necessários para que uma empresa conseguisse saldar a sua dívida.


De acordo com o gráfico acima, basta apenas um ano de lucro para que a AES Tiete saldasse sua dívida. Em contrapartida, a Tractebel precisaria de cerca de 2 anos e meio para saldar sua dívida, em comparação com os lucros de 2011.

Payout
Payout é a parcela dos lucros que é distribuída a seus acionistas.


Na maior parte do tempo a AES Tietê tem distribuído todo o lucro apurado. Em alguns anos ela tem distribuído mais dinheiro do que tem lucrado devido a algumas despesas que, apesar de declaradas, não tem efeito de caixa.
Em contrapartida, em alguns momentos notamos que a Tractebel tem segurado uma parcela dos lucros, principalmente para a realização de novos investimentos.

Crescimento ano-a-ano

Este gráfico mostra a porcentagem de crescimento de lucros que a empresa apresentou em relação ao ano passado. Por exemplo, podemos notar que em 2004 a Tractebel lucrou 20% a mais do que 2003.
Observe que durante todo o período (com exceção de 2004) as duas empresas tem crescido seus lucros de maneira parecida.


Indicadores recentes das empresas

Considerações finais
Observando o P/L das empresas, poderíamos indicar que, a princípio, o mercado está disposto a pagar duas vezes mais pela Tractebel do que pela AES Tiete. Lembram do contrato vantajoso que a Tietê tem com a EletroPaulo (o mesmo que permite que ela venda a energia a preços bons e que permite boas margens de lucro)? Este contrato tem validade até o final de 2015 e o mercado já está demonstrando que está com o pé atrás. A empresa não poderá renovar este contrato com a EletroPaulo com os mesmos moldes. Por isso o mercado não está otimista com a empresa, pois está precificando uma queda das margens e dos lucros, com consequente queda dos dividendos.
A empresa já mostrou que está a procura de novos clientes. O que podemos esperar? O que podemos esperar é difícil de mensurar, mas o que dificilmente veremos é que a empresa consiga firmar novos contratos com as mesmas vantagens que firmou com a Eletropaulo. Vale a pena dar uma pesquisada nos relatórios de outras empresas geradoras e fazer simulações para estimar qual seria o impacto. Se a AES Tietê conseguir firmar contratos com preços parecidos com a da Tractebel, seria vantajoso? Como são os contratos das outras geradoras? O investidor que quer entrar deveria realizar estes questionamentos.
Nessa hora uma boa gestão é fundamental. Quando uma empresa é bem gerida, os sócios sabem que a administração da empresa encontrará meios de se sair bem. Se basearmos, por exemplo, nesse contrato com a EletroPaulo, podemos pressupor, a princípio, que a empresa foi muito feliz nesta operação. Enquanto a empresa não anunciar novos contratos, há a possibilidade do mercado continuar não tão otimista com a empresa (ou não. Nunca sabemos o que o mercado está realmente pensando!)
Vendo os perfis e os balanços, nos deparamos com dois tipos de empresa. Uma mais preocupada em crescer do que pagar dividendos e outra mais preocupada em pagar dividendos do que crescer.
Há uma boa possibilidade de a AES Tietê, após firmar novos contratos, continuar distribuindo fortemente seus dividendos, se preocupando basicamente com a modernização das usinas existentes, ou ampliando sua capacidade energética de forma modesta.
Já a Tractebel tem um perfil oposto. A preocupação maior é o crescimento, ampliando sua capacidade de geração. Para isso, ela terá que reter uma boa parte dos lucros e estará disposta a se endividar cada vez mais. Além disso, o investidor terá que pagar um pouco mais caro para participar deste crescimento.

E você, prefere dividendo ou crescimento?

Não se esqueça de participar dos comentários. Há diversos fatores que não estão descritos na postagem, mas que serão lembrados por vocês. O objetivo da postagem é o compartilhamento de opiniões.
Além disso, caso exista outra(s) empresa(s) que você queira que seja feita uma postagem dedicada, deixe também nos comentários.

Lembre-se. Não tome decisões de compra, venda ou manutenção de ações baseado apenas no que você leu nesta postagem. Muitas informações foram retiradas dos relatórios das empresas, mas as considerações finais foram retiradas da cabeça de uma pessoa comum como você. Quem clicará o botão no Home Broker será você, então cabe a você a pesquisa, análise e tomada de decisões.

40 comentários:

  1. Difícil AdP...
    Com esse valor atual da Geti3, fica complicado não escolhê-la para entrar na carteira.
    A empresa tem uma ótima gestão e está muitíssimo descontada.

    ResponderExcluir
  2. Eu acho a tractebel, mais segura. Me agrada mais!

    ResponderExcluir
  3. Hoje, são duas excelentes empresas... Mas meu plano de investimentos prioriza empresas que possuem vantagens competitivas duráveis, e infelizmente, na minha opinião, a AES Tietê possui uma excelente vantagem competiviva, mas que tem prazo definido para acabar. Sem falar que a AES Tietê possui o risco hidrológico concentrado.

    Também prefiro empresas que procuram se expandir de forma eficiente, como é o caso da Tractebel.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. A propósito, bela carteira. Sou sócio de quase todas elas, menos ETER3, pois evito ser sócio de empresas metidas em rolos ou com pendências judiciais relevantes, apesar de ser uma boa empresa e CMIG3. Prefiro observar de fora como a empresa vai se comportar frente a nova realidade de receitas e lucros imposta pela MP 579, apesar de ser muito boa empresa também.

    Sucesso!!

    ResponderExcluir
  5. Neste caso eu preferiria GETI3, principalmente se o papel encostar ou cair abaixo dos 17,00. É um dos raros casos de empresa boa e barata (relativamente barata) que temos hoje na bolsa.

    Abcs,

    ResponderExcluir
  6. gosto das duas empresas, mas em relação ao preço acho a geti mais atraente ela tem pago 0,63 por trimestre ou 2,52 por ano temos 2013, 2014 e praticamente todo 2015 ou seja 7,56 de dividendos por ação, ADP vc falou muito bem quem prefere dividendos fica com geti quem quer crescimento tractebel. O lucro com certeza diminuirá depois de 2015 difícil prever, mas se cair 50% ainda esta atrativa ao preço de hoje

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Ainda dá pra tirar algum caldo da GETI3 antes de acabar o contrato. Ela ainda não mostrou qualquer sinal de que diminuirá os dividendos.

      Abraços

      Excluir
  7. AdP, parabéns pela qualidade da análise, abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi AdP !
    Sou o Daniel que perguntou sobre a sua troca de GETI3 por TBLE3

    Muito boa e simples sua análise, bem didático
    Depois do que você falou fui analisar um pouco a TBLE e gostei da empresa.

    Particularmente, não gosto do projeto de Jirau - acho mais um embróglio do PAC, com custos muito altos tanto operacionais quanto administrativos.

    A GETI acho que todos conhecem os riscos. Importante lembrar que o grupo AES é especializado em geração de energia ao redor do mundo, o que considero uma vantagem competitiva.

    Mas, realmente, estou de olho da TBLE (hoje sai balanço) e a posição da GETI será dividida com ela, até como forma de um risco compensar o outro. Não vou vender GETI, só comprar TBLE até os capitais se equivalerem

    Abraços e novamente parabéns !

    ResponderExcluir
  9. Caramba AdP,
    Muito bacana sua análise.
    Qto tempo demorou para fazer toda a análise?

    Como nunca fiz nada próximo a isso, fico até assustado.rs
    Assustado na questão de eu ter escolhido minhas ações
    e não ter feito nada disso. Com certeza eu que fiz errado.
    Pelo menos busquei as ações que estavam consenso entre os "analistas".

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demorou alguns dias para fazer, mas vou fazendo aos poucos, sem pressa.
      Cuidado com estes conselhos de analistas, amigo. Se fossem bons, eles seriam ricos e não trabalhariam para corretoras. Vale a pena estudar os balanços e fazer suas análises. Mas análise fundamentalista não é só analisar balanços, como alguns pensam.

      Abraços

      Excluir
    2. Ainda creio que alguns analistas, economistas e blogueiros não são ricos pq os aportes são baixos.
      Por mais que o rendimento das ações sejam altos, o juros sobre juros precisam de tempo, anos para funcionar.

      E faço um paralelo com nutricionistas e prof. de educação física. Se fizessem tudo que recomendam, todos eles seriam magros.rs

      Pretendo ler o livro que vc me indicou um tempo atrás.

      Abs!

      Excluir
  10. Impressionante a qualidade das informações.
    Parabéns AdP, por disponibilizar material tão cuidadosamente elaborado e de forma gratuita.

    ResponderExcluir
  11. Muito bom AdP! Com certeza esses posts de análise farão muito sucesso!

    Confesso que nunca tinha chegado a analisar os números da Tractebel, e realmente são bem consistentes, é um crescimento mais sustentável que o da GETI.

    Acabei comprado GETI3 mais ou menos na mesma época que você vendeu hehe. A esse preço, uma futura queda de 50% nos lucros ainda manteria uns 6, 7% de dividendos, o que é atrativo pros juros atuais. Claro que tá cheio de incerteza no ar, mas a acredito que a experiência dos gestores prevalecerão.

    Fugindo um pouco do assunto, você cogita aumentar a quantidade de empresas na sua carteira?
    Eu to com 12, e tem pelo menos mais umas 5 que eu considero interessantes pra longo prazo.

    Excelente blog!

    Alexandre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu tenho cerca de 60 mil reais em ações, e como são 10 empresas, dá cerca de 6 mil reais por empresa. Acho que não faz sentido eu adicionar mais alguma. Estaria com a sensação de que estou atirando para todo lado. Daqui a pouco ficará um balaio de gato de tanta empresa que eu tenho. Minha meta é aumentar a posição nas empresa atuais. 10 empresas já está de bom tamanho. Só adicionaria alguma se fosse uma promoção que eu julgar bem flagrante.

      Abraços

      Excluir
  12. Olá ADP,
    Excelente análise, meus parabéns.
    Referente as elétricas, estou de olho em algumas para virar sócio. Estava quase certo em CMIG, mas agora vou estudar um pouco mais. rs

    Abraços!
    Pobre Poupador
    www.pobrepoupador.com

    ResponderExcluir
  13. Como sempre seus textos são otimos AdP, bem claro, linguagem simples, direta, simplesmente perfeito, parabens!

    Ambos os papeis são ótimos mas no momento estou preferindo GETI.

    bjs

    ResponderExcluir
  14. Muito bom estudo, parabéns!

    Na dúvida, eu ficaria 50% em cada uma delas! rsrsrsrs

    []s!

    ResponderExcluir
  15. Parabens pelo blog

    Muito legal a iniciativa de fazer comparações entre empresas do mesmo setor.
    Para mim GETI e TBLE são as 2 melhores empresas do setor. No momento GETI é a melhor, mas a partir de 2015 tudo pode acontecer. Seu grande trunfo não existirá mais, porém quem garante que uma alternativa interessante seja encontrada. Afinal. trata-se de uma empresa muito bem administrada...

    Tenho apenas GETI e estou aguardando o balanço para decidir o que fazer. Esse setor está cheio de incertezas. Talvez TBLE seja a melhor opção no longo prazo, mas em compensação está mais cara que GETI. Difícil opinar, de repente o melhor é ficar fora do setor...

    Rodrigo

    ResponderExcluir
  16. Seu estudo está perfeito, ADP! Aliás, como todos os que vc faz.

    Ambas as empresas possuem excelente governança e prezam pelos seus minoritários. Serei sócio das duas, com certeza. O que me fez escolher TBLE3 no momento é a carteira diversificada de clientes e a concessão que vai vencer lá longe...

    Já a AES, com concessão próxima do vencimento e receitas concentradas em ELetropaulo, não está barata à toa, pois o mercado não é cego. Pode ser uma oportunidade, mas quem comprar tem que estar ciente de que o papel pode experimentar ainda mais volatilidade no curto prazo.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Troll,

      A concessão da GETI não vai vencer. O que vence em 2015 é o contrato mamata com a Eletropaulo. Depois disso ela vai pro mercado. Mas a concessão mesmo só em 2028.

      Excluir

  17. Parabéns pelo blog!
    Excelente análise.Eu particularmente prefiro a GETI, pois está bem descontada,e creio que haja tempo para a governança arrumar outros clientes quando acabar o contrato com a ELPL.Mas vc já definiu tudo:"empresa de dividendo ou crescimento?...
    Acionista25

    ResponderExcluir
  18. Realmente boa análise, parabéns!

    Não há como negar que são duas ótimas empresas, mas no momento ainda fico com GETI porque acredito que, se é verdade que será difícil renovar pelo mesmo preço, acho que não ficará muito abaixo do atual. Recomendo dar uma olhada no último balanço da Eletropaulo, já que ela é compradora de energia, pra ver o quanto ela está pagando pras outras fornecedoras (Itaipu, leilão e contratos bilaterais). A diferença pelo preço para essas últimas em relação ao preço pago pra Tietê diminuiu no último ano, ou seja, a energia da Tietê já não é tão cara assim!

    Espero ter contribuído pra discussão.

    Abraço

    Matheus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Matheus,
      Resgatando o release de 2005, antigamente a GETI tinha contratos com Bragantina, Nacional, CPFL, Eletropaulo, Elektro, Bandeirante e Piratininga, com preço médio total de R$70,24. Acredito que este talvez seja um piso a ser trabalhado, pelo menos para mim, acostumado a fazer estimativas bem pessimistas. Mas vale a pena dar uma olhada nos preços de hoje das outras geradoras.

      Abraços

      Excluir
    2. AdP,

      Esses R$ 70 de 2005 seriam por volta de R$ 105 hoje com uma inflacao de 5% (que 'e por volta do preco que a ELPL pagou para Itaipu, R$ 103, e leilao, R$ 112 ate o 3o tri de 2012). O preco medio que a ELPL pagou a GETI, tambem ate o 3o tri de 2012, foi R$ 176.

      Realmente a energia da GETI 'e mais cara, mas mesmo cobrando mais barato ela continuaria bem lucrativa na minha opniao, vide suas margens largas.

      Abraco!

      Matheus

      Excluir
  19. Ótima análise. Irei ler novamente quando o setor elétrico começar a dar sinais de melhora. Por enquanto posicionado só em CMIG.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Excelente análise, Adp! Acho que este tipo de post fará muito sucesso e ajudará muitos investidores.

    Eu tenho Tractebel, pois optei por crescimento e pelo investimento de longo prazo. Para a GETI, depois de 2015, há muitas incertezas, apesar de ser uma boa empresa e, atualmente, ter um dividend yeld excelente.

    No setor elétrico, como forma de diversificação, eu tenho a transmissora Taesa. Ela ainda tem um longo prazo de concessão e reajustes de receitas atrelados à inflação. Alguém também tem em carteira ou gosta da Taesa?

    ResponderExcluir
  21. Crescimento, sem dúvida!
    Bela análise. Eu tb comecei com análise de informações financeiras, como um exercício para mim, seguindo os passos do livro sobre o jeito do Warren Buffett de análise de balanços. Dá uma passada lá, seus comentários seriam importantes para dizer se estou no rumo certo.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  22. Grande análise!!! Parabéns, um show de post. Concordo com o Troll : concessão próxima do vencimento e concentração na Eletropaulo depõem contra a AES. Está com preço descontado, é uma oportunidade com mais chances de dar certo que errado a longo prazo. Mas eu tô preferindo a TBLE, mesmo sendo considerada cara por alguns!

    ResponderExcluir
  23. AdP. Excelente post. Eu tenho restrição as duas, a GETI está ligada a ELPL com um contrato com valor acima do mercado já com data para acabar. A Tractebel muito cara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo. Entretanto, a GETI está sendo castigada. Mesmo que ela tenha redução nos preços de venda de energia, talvez valeria a pena analisar sua situação.
      A Tractebel está cara porque é mais focada em crescimento. É difícil vermos empresas como essa a preços satisfatórios. Há a possibilidade de que seu crescimento futuro venha a compensar os acionistas que paguem seu preço hoje.

      Abraços

      Excluir
  24. Alguem realmente sabe quado a concessao de geti acaba ? 2027 junto com elpl isso e perto ? O contrato com elpl acaba em 2015 sao coisas distintas espero ter contribuido

    ResponderExcluir
  25. Excelente análise AdP! O setor elétrico como um todo está descontado e isso gera oportunidade, mas de todas, hoje, os números e perspectivas que mais me agradam são da CEMIG.

    ResponderExcluir
  26. A análise está muito boa ! Parabéns!
    GETI realmente hoje, a meu ver, mesmo com a queda de receita projetada do preço da energia em função da extinção do contrato com a ELPL (aprox. -20%, segundo meus calculos), considerando um cenário até o final da atual concessão (2029), e a metodologia apresentada pela EPE de crescimento aprox. de 3% (considerando um cenário intermediário-baixo crescimento) na demanda energética (sem considerar ainda o aumenta da matriz de eletricidade propriamente dita, que será maior que as outras fontes, a uma taxa de desconto de 7,5% anuais e reduzindo seu payout para 80% anuais (vem distribuindo bem mais...), ainda estaria descontada em torno de 3-5% mesmo que tivesse crescimento ZERO no preço da ação nesse período. Com a saída da dívida atual realizada por meio da emissão de debêntures e considerando ligeiro aumento em sua eficiência operacional, bem como a equipe de gestão atual com seu brilhantismo e talento reconhecidos, a ação oferece uma BOA MARGEM DE SEGURANÇA, a meu ver. Em tempos de crise, a palavra é segurança !

    ResponderExcluir
  27. A GETI3 é uma ação que faz parte da minha carteira e que vem apresentando excelentes indicadores.
    Muito boa margem, ROE, baixo grau de endividamento, Fluxo de Caixa Positivo... e pode-se observar uma constância no período de 10 anos.
    Não consigo prever o futuro, e olho unicamente para os demonstrativos. Empresa continuando assim, me mantenho sócio! :)

    Value Investing: Blog
    http://valueinvesting.blog.br

    ResponderExcluir
  28. Excelente blog. Estou seguindo a partir de agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, seja bem vindo.
      Abraços e sucesso.

      Excluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.