quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Simulação de compras periódicas – CSNA3

A história não pode ser esquecida, pois através dela os investidores evitam a repetição dos erros cometidos e aprimoram suas estratégias através dos acertos encontrados. Nem sempre é preciso errar para aprender. Sábio é aquele que aprende com o erro dos outros.

Nesta série de compras periódicas, vimos simulações de compras de duas empresas totalmente diferentes. 

A primeira simulação foi da Embraer, representante nacional no desenvolvimento e produção de aeronaves, postagem que poderá ser acessada clicando AQUI. Acompanhamos a história do Zé Teimoso, que insistia em comprar ações da empresa. No final das contas, este investimento apresentou um resultado péssimo, menor do que a poupança, pelo menos no período estudado.

A segunda simulação foi da Souza Cruz, tradicional fabricante de cigarros, postagem que poderá ser acessada clicando AQUI. Vimos que Zé Abastado era mais informado que seu primo, obtendo resultados espetaculares. Poucas ações da bolsa retornaram tanto para seus acionistas.

Simulamos então empresas de dois tipos. Uma decepcionante e outra espetacular. Com o objetivo de transformar esta série de compras periódicas em algo além do que uma simples simulação, seria interessante estudarmos o comportamento de uma empresa que obteve um padrão diferente.

Imagine você durante anos comprando ações de uma empresa considerada boa. Conforme os anos forem passando, é natural que as ações de empresas boas fiquem “mais caras”, pois estas empresas se tornam cada vez maiores e lucram mais com o passar do tempo. Imagine ainda que, após um bom tempo comprando ações cada vez mais caras, esta ação boa se transforme em uma ruim (ou não tão boa como antes). Qual seria o retorno de um investimento deste tipo?


Para procurar uma resposta, peguei as ações da Cia Siderúrgica Nacional, uma empresa cíclica que apresentou resultados fabulosos durante parte do tempo, e decepcionantes em outro. Veja o gráfico abaixo, que mostra o comportamento das ações desde o ano 2000:


Podemos observar que de 2000 até 2008 o resultado das ações da empresa foi pujante. Um investidor com bastante disposição compraria ações cada vez mais caras. Após um período de longa acumulação, este mesmo investidor veria suas ações desabarem. Mesmo assim ele continuou comprando de forma ferrenha. Qual seria o resultado? Será que ele perderia por ter comprado muitas ações a preços bem mais altos que o atual ou se daria bem por hoje comprar ações por um preço bem mais em conta? Esta pergunta não é fácil de responder pois, se observarem, a cotação do final do período é equivalente à cotação de 2006. 6 anos de compras resultaram em ganhos, e outros 6 anos em perdas.

Nesta simulação adotaremos as seguintes regras:
-O aporte de todo o período será o equivalente a R$500,00 atuais (estamos em 2013). Então, para períodos anteriores, haverá um ajuste de acordo com a inflação. Por exemplo, o aporte mensal do ano 2000 foi de R$216,62. Esta medida de ajuste pela inflação foi realizada com o propósito de manter o mesmo poder de compra para todos os períodos.
-O investidor aporta mensalmente, mas faz compras trimestrais. Logo, ele acumular dinheiro por três meses para depois comprar.
-O investidor falou para seu corretor automaticamente comprar no preço de abertura no primeiro dia de cada trimestre.
-Os dividendos e JSCP recebidos serão acumulados por três meses, de forma a coincidir com a compra trimestral.
-Os JSCP terão a sua retenção normal de 15% de imposto de renda.
-A cotação utilizada na simulação é a cotação de época, não ajustada.
-O investidor também falou para seu corretor automaticamente comprar o máximo de ações da CSNA3 possível, utilizando seu dinheiro em caixa (aportes + proventos).
-O corretor cobrará uma comissão de 2% sobre o valor total de cada compra.
-Todos os dados utilizados para a simulação (dividendos, JSCP, cotação, desdobramentos) foram retirados da Bovespa.
-Nosso herói não terá nome nem história. Vamos direto ao ponto.


No período acima, a ação ficou de lado entre 1T00 e 3T03, engrenando um período de alta somente a partir deste período. Podemos observar que com menos de 100 ações em carteira nosso investidor recebia dividendos na casa dos milhares. Pode parecer bom, mas podemos observar também que a empresa não tem qualquer consistência nos dividendos. Em certos anos eram bons, em outros eram bem ruins. Em 2002, quando o investidor tinha mais de 200 ações, ele recebeu apenas R$346,73. Finalmente a ação engrenou o período de alta, desdobrando suas ações em 1:4, o que quadruplicou a quantidade de ações em carteira.


As ações continuaram a subir freneticamente, os dividendos recebidos passaram a ser mais generosos, e nosso investidor não tinha o que reclamar. No final do período, quando as ações custavam cerca de R$150,00 cada, houve outro desdobramento 1:3, o que triplicou a quantidade de ações.


A subida continuou mesmo com o recente desdobramento, atingindo o pico no 3T08, quando deflagrou a crise. Os dividendos estavam melhores do que nunca. Então as ações pararam de subir e surgiu um momento de indefinição. Quem acompanhava o mercado na época lembra que o momento era de fortes oscilações. Nosso investidor manteve seu planejamento de compras periódicas de ações. No final do período, houve o último desdobramento 1:2, duplicando as ações em carteira.



A ação iniciou um período de baixa, depois de anos superando topos históricos. Vejam que, se dependesse apenas dos aportes, nosso investidor compraria poucas ações. Os dividendos, inconstantes mas extremamente gordos, influenciaram muito positivamente a compra das ações. Nossa simulação acaba com a cotação de abertura de 3T13, com o preço de R$6,03.


Desta vez teremos algumas imagens. Foram adicionados alguns gráficos, coisa que não fiz nas simulações passadas. Os gráficos possuem a vantagem de transmitir diversas informações de forma rápida e prática. E como fiquei sabendo que vocês adoram gráficos, aí estão eles.


Observem porque o começo de um investimento é o período mais árduo. O investidor compra, compra e compra, mas sua quantidade de ações não sai do lugar. É preciso ter bastante paciência para que os juros compostos comecem a ter efeito.

Estão vendo os saltos? Eles são os tais desdobramentos de ações. São um total de 3 saltos, referentes aos 3 desdobramentos ocorridos. Lembrando que desdobramentos são pouco relevantes para investidores de longo prazo. Aumenta-se a quantidade de ações, mas o patrimônio continua o mesmo. Não existe almoço grátis. De qualquer forma, é legal percebê-los no gráfico.

Logo no final do período é possível observar alguns saltinhos. Estes saltinhos são exatamente os dividendos recebidos e reaplicados.



Achei extremamente interessante este gráfico. Podemos observar que ele é (obviamente) bem parecido com o gráfico da ação. Outra aspecto perceptível é a glória e a decepção ao longo do tempo. Imagem bem esta cena. Através de singelos aportes iniciados no ano 2000, o investidor sentiu o cheiro do milhão de reais em 2008, vendo então uma grande queda seguida de uma grande recuperação, quando sua carteira atingiu o patamar de R$700k. Na cabeça de um investidor, ele interpretaria que a crise de 2008 foi um fato atípico e puramente emocional do mercado, visto que suas ações recuperaram-se totalmente no final de 2009. Ledo engano. Em 2010, o investidor que estava sentindo a brisa do milhão passou a ver seu capital minguar para patamares abaixo de R$200k. Imagine o controle emocional que uma pessoa precisa ter em uma hora dessas.


Outra imagem que mostra como o investidor precisa ter bastante paciência com seus investimentos, especialmente no início quando os dividendos costumam ser baixos. Outra informação importante é a comprovação de inconsistência nos dividendos. Isso impossibilita a realização de estimativas de quanto a empresa pagará de dividendos no futuro. Particularmente, se eu fosse depender da empresa para viver de dividendos, eu garantiria uma quantidade imensa de ações, me preparando para os anos de vacas magras.

Conclusão
Nosso investidor terminou a simulação (início de 3T13) com 23.843 ações, cada com o preço de R$6,03, e com um caixa de R$R$7.791,39. Logo, ele tinha R$151.564,68 de patrimônio.

Em todo o período, ele aportou R$58.173,97. Fazendo uma conta rápida, ele obteve um rendimento direto de 160,53% no período sobre o que ele aportou.

No ano de 2012 ele recebeu R$22.384,44 em dividendos, equivalente a R$1.865,37 por mês.

No ano de 2005 ele recebeu R$57.327,52 em dividendos, equivalente a R$4.777.29 por mês.

Pela Taxa Interna de Retorno (TIR), o rendimento médio anual que nosso investidor obteve com as ações da Cia. Siderúrgica Nacional foi de 13,10% ao ano, o que representa um rendimento médio mensal de 1,03%.

Se ele investisse apenas 1.000 reais em 03 de janeiro de 2000 e reinvestisse todos os dividendos, mesmo considerando todos os custos e imposto de renda sobre o JSC, estes 1.000 reais em um total de 1767 ações. Contando com os dividendos em caixa, estes 1.000 reais se transformariam em R$11.239,81 em 01/07/2013, equivalendo a um rendimento de 15,3% ao ano, ou 1,19% ao mês, pela TIR.

A ação fechou a simulação com o preço de mercado de R$6,03. O preço médio de nosso investidor foi de R$9,88. Entretanto, se considerarmos apenas o valor dos aportes, desconsiderando os dividendos, seu preço médio seria de R$2,44. Isto quer dizer que, para fins tributários, o investidor está no prejuízo, podendo então vender toda a sua posição sem pagar imposto de renda. Para fins pessoais, o investidor está no lucro.

No período de 2000 a 2013, a cotação da empresa multiplicou-se apenas 2,07 vezes, sem considerar ajustes de dividendos. Se considerarmos apenas o período entre 1T00 e o seu pico em 2T10, a ação teria se multiplicado em 12,3 vezes.

Na cotação de hoje, dia 11/09/2013, no valor de R$9,48, o patrimônio do investidor seria de R$233.815,92, sem considerar novas compras desde o início de 3T13.

Consideração Final
Considero que, apesar da grande queda das ações da empresa, seu desempenho foi satisfatório. É importante lembrar que a cotação final foi do início de 3T13, mas desde então esta cotação se recuperou muito.

O ponto fundamental do relativo sucesso do investidor seria seu controle emocional e não menos importante, a reaplicação dos dividendos. A reaplicação possibilitou que este investidor turbinasse sua quantidade de ações, principalmente no período de baixa.

Isso não quer dizer que se você possui uma ação boa, mas que com o tempo ela decepcione, há garantias de que você se sairá bem no final. Estudamos um caso específico que deu certo. Mas nada é garantido na bolsa. Na hora de comprar suas ações, é importante estar atento à diversificação e à manutenção de sua carteira. Trate suas empresas como se você fosse o dono dela, pois você é de fato. Estude, pesquise e analise a saúde de suas empresas, além de se manter frio em momentos de baixa injustificada.

Lembrando que esta postagem não é recomendação de compra, venda ou manutenção de ações da empresa. Esta postagem tem apenas o objetivo de informar ou despertar a curiosidade do leitor.


Gostou da postagem? Deixe sua impressão. Deixe também nos comentários uma sugestão de empresa para simulação.

65 comentários:

  1. Ótima postagem.

    Interessante ver que mesmo que o patrimônio tenha caído bastante ele ainda receberia bastante dividendos. Mais uma prova de que não devemos ficar vidrados em cotação e sim no retorno da empresa (LPA e dividendos).

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ludyson,
      A situação da empresa é mais importante que sua variação de preços. Ainda mais quando falamos de empresas cíclicas, como a CSNA3. A variação costuma ser maior do que a das não cíclicas.
      Abraços

      Excluir
  2. Gostei! Isso mostra que estar all-in tambem é uma cagada imensa. Tem aquela historia do Arnaldinho e seu all-in na Vale que é boa, mas se atualizada até hoje deve dar uma dor-no-saco terrível...

    Como sugestão de estudo:
    - ETER3
    - CMIG3
    - SBSP3
    - CIEL3
    - VLID3

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Victor,
      Não recomendo all-in para ninguém, a não ser que a pessoa saiba muito bem o que está fazendo, o que é mais fácil falar do que fazer. Fora isso é pura sorte ou jogatina.
      Acho que Arnaldo ainda está tranquilo, pois suas ações performaram bem e ele recebeu bons dividendos durante o período. Acho que a ação não está em um preço tão baixo assim para quem está comprando há anos.
      Sugestões anotadas. Acho que na próxima simulação compararei uma empresa de dividendos com outra de crescimento. CMIG é de dividendos, então é uma forte candidata.
      Abraços

      Excluir
  3. Boa tarde, de onde saiu esse valor de patrimônio (R$ 466990,89) no cenário atual? Pois 23843 ações ao preço de R$ 9,48 são exatos R$ 226031,64. Vc poderia me explicar? Não consegui entende direito isso ae.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato,
      A explicação é a seguinte. Queria mostrar na conclusão uma simulação de aportes ao dobro. Quando alterei os dados, vi que o patrimônio final era praticamente o dobro também. Logo, decidi não mostrar este dado para vocês. Só que eu tenho mania de ficar salvando meus documentos, e acabei salvando esta alteração no Excel. Quando fui calcular o patrimônio atual, calculei em cima dessa quantidade dobrada. Mancada minha. Obrigado pela auditoria. Consertarei o erro.
      Abraços

      Excluir
    2. Ok, excelente. É q fui acompanhando o texto e de repente pensei qa eu estivesse comendo bronha. Mesmo assim, a matéria ficou excelente. Parabéns. Isso prova o qto é importante poupar e ter disciplina. Abraços e sucesso.

      Excluir
  4. isso só prova que uma pessoa com uma carteira diversificada com boas empresas mesmo q teha problemas com algumas, no longo prazo com aportes regulares e reinvestimento dos dividendos é muito difícil não obter sucesso.. acredito q longo prazo seja superior a 10 anos.. e acho q nós da blogosfera q fazemos o verdadeiro buy and hold c frieza estaremos muito bem... abraço e parabéns pelo excelente texto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AJ,
      O longo prazo é por aí mesmo. 10 anos ou mais. Quando se investe em ações, ficar discutindo valorização ou desvalorização de curto prazo não faz sentido.
      Buy & hold é uma estratégia que é colocada à prova sempre nos momentos de baixa (hoje em dia por exemplo) ou nas altas de um setor específico (por exemplo o de tecnologia no final do século passado). Mas ainda acredito no Buy & Hold.
      Abraços

      Excluir
  5. Gosto muito de ler esses tipos de artigos porque me dão mais força de vontade e firmeza para continuar investindo todo mês,parabéns,otimo post.
    ANDERSON.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anderson,
      Também fico animado quando faço estas simulações, ainda mais quando vejo que o começo dos investimentos é a parte mais árdua. É um trabalho de comer grão em grão.
      Abraços

      Excluir
  6. ADP, Excelente postagem, caramba!
    Meus parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio. Que bom que gostou da postagem, amigo.
      Abraços

      Excluir
  7. Interessante. Seria interessante ver também o exemplo oposto. Uma ação que passou por alguns anos ruins, mas que se performou muito bem no último ano. Ou seja, quedas sucessivas anuais relativamente grandes (maior que dez ou vinte porcento), e que fez uma boa alta recente (uns 100 porcento no ano, ou duzentos)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Consigo pensar em PTBL3 e BEMA3. Ambas possuem um histórico pequeno mas é o que tem :)

      Excluir
    2. A ideia é boa também. Deverá ter um resultado muito bom, pois são anos acumulando na bixa e no final tendo uma alta.
      Abraços

      Excluir
  8. Sempre muito bom!
    Seria legal fazer algo parecido com um "zé cuidadoso" que possui mais de 1 empresa! acho que ao fazer com 2 (mesmo sendo pouca diversificação) teríamos resultados bem surpreendentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ri aqui com o nome "Zé cuidadoso", kkkkkk. Ficou legal.
      Dá um trabalhinho fazer com uma, imagina com duas. Mas dá pra fazer. Mas quando se faz o simulação com grupos de ações, o ideal seria adotar um critério. Por exemplo, ações que pagavam o maior DY, ou com maior margens de época, ou algo do tipo. Como temos a imagem do retrovisor, seria muito fácil pegar duas ou mais ações TOP e fazer simulações. Mas acho que perde a graça. Tem que ter algum critério.

      Abraços

      Excluir
  9. Grato pelo post AdP!

    Eu ainda acho que o Sr sem nome do post perdeu o bonde de vender no topo.

    Mesmo sendo uma estória fictícia, acho que seria bom ter citado nela que o B&H é saudável, mas que realizar o lucro é mais saudável ainda.

    Se o Sr sem nome tivesse vendido estaria muito melhor do que atualmente.

    B&H infinito pode ser ilusão. CSNA pode nunca mais voltar aos patamares de antes.

    Lambida do Poney !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Poney,
      B&H é legal sim, mas B&H não é casamento, pelo menos na minha opinião. Se o investidor não se sente confortável com uma ação, para que ele vai ficar segurando ela? Entretanto, o investidor terá que analisar bem se este desconforto é derivado de um descontrole emocional. Para ele tomar uma decisão de venda, é preciso estar com a cabeça fria.
      Ele poderia ter vendido a CSNA3 sim, mas veja bem a situação do cara. Ele estava com a ação há anos. A empresa entregando resultados melhores ano após ano. Como hoje temos a visão de retrovisor, é um pouco fácil falar que ele poderia ter vendido. Mas na época não era tão fácil assim não. Imagina um acionista da CRUZ3 que vendeu ações no meio do caminho. Se sairia bem, mas não tanto quanto se ele tivesse segurando suas ações.
      Mas como CSNA3 é do setor cíclico, o "sr sem nome" poderia sim ter analisado uma venda, nem que seja pelo menos parcial. Mas ele decidiu fazer o Buy & Hold legítimo misturado com Dollar Cost Averaging.

      Abraços

      Excluir
  10. Muito bom !!! Ângelo Real

    ResponderExcluir
  11. Fala ae AdP!

    Acabei de criar meu blog para participar das discussões da blog esfera, já acompanho a algum tempo os posts da galera inclusive o seu..

    Postagem muito inteligente, excelente analise como sempre!

    Abraço,

    IM.
    investidormochileiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vindo à blogosfera. Vê se permanece e não faz como a maioria que fica 3 meses e sai, kkkkkk.
      Abraços

      Excluir
    2. kkk.. blz vou fazer o máximo para manter a regularidade!

      Abraço,

      IM.
      investidormochileiro.blogspot.com

      Excluir
  12. Grade ADP,

    Ótima simulação. Realmente é muito motivante para quem acredita no B&H.

    Só fique com uma dúvida. Como é calculado o preço médio sem os dividendos? Faço uso de suas 03 planilhas e já havia me ocorrido que se um dia eu quisesse saber meu PM sem a reaplicação dos dividendos eu teria dificuldades em calcular.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simples. Preço médio = o valor gasto dividido pelo quantidade de ações. Valor gasto = aportes + dividendos.

      Considere apenas o que foi aportado e pronto.

      No caso da postagem, nosso colega efetivamente aportou cerca de 58 mil reais. Mas como recebeu muito dividendos, e como fez muitas compras na alta, seu PM aumentou.

      Mas não esquenta a cabeça com PM não. Ele é apenas uma medida para fins de imposto. O importante mesmo é a acumulação de patrimônio.

      Abraços

      Excluir
  13. ADP,

    Só mais uma coisa. Se não for pedir muito gostaria que você aumentasse a frequência das postagens de simulações.

    Acredito que deva dar muito trabalho, mas com certeza são postagens com grande sucesso de público e de crítica. ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael,
      Ultimamente tenho feito apenas 2 postagens por mês + 1 de fechamento. São pouquíssimas postagens. E mesmo assim está difícil de eu dar conta. Estou em um período bem complicado na minha faculdade. Estou pegando disciplinas a mais. Fora isso, já comecei a estudar para concurso. E ainda trabalho. Meu tempo está escasso. Não só postagens de simulação quanto de outros tipos estão difíceis de fazer. Faço mais por hobby mesmo. Mas vou tentar fazer outras sim.

      Abraços

      Excluir
  14. Parabéns AdP, uma excelente post, adoro esses seus estudos de compras periódicas.

    Interessante que dessa vez você pegou uma empresa de um setor controverso como o siderúrgico: hoje está com os resultados em baixa, mas se vê a força desproporcional que esse setor teve até 2008. O que teria acontecido se ele tivesse investido em Usiminas? Ou na Gerdau?

    Eu nao vivi o rali de 2003 - 2008 da Bolsa, mas esse exemplo diz muito.

    Enquanto isso, vamos de Ambev !

    Abraços !

    Daniel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O legal deste setor é que ele subiu muito e depois apanhou muito. Tem o gráfico diferente das preferidas da bolsa. Tenho curiosidade com a Usiminas, mas acho que seu resultado será ruim.
      Tenho até medo de fazer uma simulação da Ambev. Ela teve um resultado estupidamente positivo. O Sr Lemann fez um excelente trabalho. Infelizmente são outros tipos de pessoas que são "exemplos de empreendedorismo" brasileiro.
      abraços

      Excluir
  15. Nossa, imagino o trabalho que dá de fazer um post assim... Mas tb acredito que a satisfação ao final é muito grande. Adoro essa série de posts, acompanho desde o começo. É impressionante pra gente lembrar o quanto aportes constantes (no caso, os R$500 reais corrigidos nem parecem absurdos) podem ser poderosos na hora de acumular patrimônio. E mesmo com empresas cíclicas como CSN. Como sugestão, gostaria de ver uma empresa do ramo financeiro (sei que vc gosta do setor) que é menos previsível que uma CRUZ3, mas tb não deixa de ter um caráter defensivo, e até mesmo de crescimento. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também fico impressionado com o resultado que estes pequenos aportes fazem. Por isso que eu não concordo quando dizem que aporte é tudo. Ele é muito importante, mas está longe de ser tudo.
      Dá um trabalho sim fazer estes posts, principalmente na busca dos dados.
      Eu estava querendo fazer um programa que calcularia automaticamente, mas tem coisas que não ajudam. Por exemplo, as cotações são disponibilizadas pela Bovespa través de arquivos texto, ao estilo notepad. Mas os dividendos são disponibilizados através de Excel. Não há um padrão ou consistência nisso. Tem que ser em um ou no outro formato. As cotações apresentam dados de empresas que já foram negociadas e hoje não são mais, mas os dividendos apenas de empresas que são negociadas. A compatibilidade é baixa. Com um jeito até que dá pra resolver isso, mas a Bovespa não facilita. Mas o pior não é isso. O pior são os dados de desdobramentos/bonificações/grupamentos, que não há em nenhuma tabela ou arquivo. Para eu conseguir estes dados, eu preciso olhar todos os informativos. É muita coisa. E como colocar isso em um programa? Só se o usuário achar estes dados e inserir manualmente. Pegar estes dados fora da Bovespa está fora de cogitação. Tem que ser da fonte principal. Mas ela não colabora.

      Abraços

      Excluir
  16. Belo post, AdP!

    Fico feliz sempre que vejo comprovada a importância dos proventos no crescimento exponencial da carteira, contrariando a tese do Bastter de que esse dinheiro, por ser descontado do preço da ação, não faz diferença na formação do patrimônio.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá LL,
      Acredito que quando o Bastter diz que dividendos não faz diferença, ele se refere no curto prazo. Ele mesmo já apresentou gráficos mostrando que a reaplicação dos dividendos turbina a carteira.
      Veja a partir de 6:30 do vídeo abaixo:
      http://www.youtube.com/watch?v=7-xpfEKjCak

      Abraços

      Excluir
  17. Setor siderúrgico já foi um dos melhores no passado, hoje monitor apenas Gerdau mas nem sinto seguro para aportar, e olha que vou lá nas usinas todo mês.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  18. AdP, parabéns pelo post.

    Quanto a questão da obtenção dos históricos de cotações, dividendos, grupamento, split, o que você acha do Yahoo Finances?

    Obter esses dados diretamente da Bovespa é um parto. É simplesmente muito ruim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outra coisa AdP,

      No site do Bastter e no GuiaInvest dizem que houve Grupamento em 29/04/2004 de 250/1.


      Houve grupamento ou desdobramento em 2004?

      Excluir
    2. Olá Bruno,
      Procuro utilizar as informações direto da fonte, pois são as verdadeiras e corretas. Qualquer local fora da Bovespa é replicação,e replicações são suscetíveis a erros. No máximo utilizaria os dados de desdobramentos de outra fonte.
      Coloquei o link de todos os avisos de desdobramentos e grupamentos, direto da bovespa, pois pego a info da fonte. O que você se refere é este aqui:
      http://www.bmfbovespa.com.br/empresas/consbov/ArquivoComCabecalho.asp?motivo=&protocolo=29041&funcao=visualizar&site=B

      O que acontece é o seguinte. Antigamente muitas ações eram negociadas por lote de milhar. Hoje podemos comprar apenas uma ação, mas antigamente era 1000 mínimo. Eu já tinha feito o ajuste na minha simulação. Por exemplo, quando no 1T00 ele comprou 9 ações, na verdade ele comprou 9000 delas. Quando chegamos em 2T04, ele tinha na verdade 354000. Como houve este grupamento de 250/1, ele ficou com os 1416 da tabela. O comunicado diz que houve desdobramento 1:4 e grupamento 1000/1, resultando em grupamento 250/1. Como já tinha feito o ajuste 1000/1 desde o início da simulação, então eu considerei apenas o desdobramento. No final é a mesma coisa.

      Abraços

      Excluir
    3. Perfeito AdP.

      Agora ficou claro.

      Abraços.

      Excluir
  19. ADP, grande trabalho, excelente post. Bagual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bagual.
      Por acaso você é o loucão do João Bagual torcedor da OGX que comenta no portal da Infomoney? kkkkkkkk

      Abraços

      Excluir
  20. Excelente post, realmente as compras periódicas se mostram as opções mais seguras, mesmo em situações adversas como esta.

    Abraços,

    Blog Economicamente Incorreto
    http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto muito dessas simulações. O bom das compras periódicas é que compramos mais ações quando o preço está caindo e menos quando está subindo. A preocupação maior é com relação à saúde da empresa, pois fazer compras mensais em tralha é a pior estratégia possível.

      Abraços

      Excluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. ótimo estudo!!!! sempre nos ajudando!!!
    Só o fato de ter conhecido seu blog, já valew a pena eu ter entrado nesse mundo de blogueiros investidores...

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, que honra pelas palavras, Scott. Que bom que você tenha gostado da postagem.

      Abraços

      Excluir
  23. Este blog é um dos meus preferidos, que venho adquirir conhecimento sério sobre finanças.Eu sei que é muito trabalhoso em fazer estas simulações.Parabéns Além da Poupança.
    Vantoir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vantoir, obrigado pelo apoio.
      Dá um trabalho sim fazer estas simulações. E olha que procuro automatizar muitas coisas pelo Excel, kkkkk.
      Abraços

      Excluir
  24. Mais um ótimo post!

    Fiquei mais confiante em minha estratégia. Se até a CSNA ainda tá dando um lucro razoável...

    O perigo é só não se repetir um período tão espetacular quanto 03-08. Mas não me parece que o capitalismo vá acabar agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que chegamos no ápice de crescimento das empresas? Eu acho que não.

      Abraços

      Excluir
  25. Sem palavras p/ descrever essas series de postagens AdP !!
    simplesmente meus parabéns !! recuperar esses dados da Bovespa é um pé no saco, uma tarefa Hercúlea !! rsrs

    Abraços !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bovespa é muito desorganizada. Eles poderia compilar as informações de desdobramentos, mas não compilam. Tem que buscar na raça.
      Abraços

      Excluir
  26. Sensacional ADP!!

    Continue com essas postagens.

    $ucesso

    ResponderExcluir
  27. Obrigado, cara. Estudos assim mantém minha alma tranquila durante minha longa caminhada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também fico mais tranquilizado quando faço estas simulações. Paciência acima de tudo na nossa jornada.
      Abraços

      Excluir
  28. Fala, AdP!

    Muito bom post!

    Como sugestão, seria interessante vc colocar uma tabela com resumo anual (aplicado/patrimônio/dividendos), acho que fica mais fácil, pois estamos acostumados a ver os resultados anuais!

    Parabéns, pois fazer esse tipo de estudo eu sei que é bem chato e dá um trabalho considerável.

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima sugestão. Eu dividi em trimestres pois fica mais fácil para o pessoal verificar as contas. Tem pessoas que gostam de auditar os números, o que para mim é ótimo. Mas posso adicionar uma tabela anual.
      Abraços

      Excluir
  29. Investidor Troll ou "Inventador Troll"?

    Todo acionista da cielo viu o desdobramento de 1:5 ocorrido em abril/maio de 2013. Só o troll que não:

    http://investidortroll.blogspot.com.br/2013/06/atualizacao-mensal-maio-de-2013.html

    Aqui ele diz que comprou 280 cielos... hum... para quem tinha 720, era para terem entrado 144 novas ações da cielo, sem a compra, totalizando portanto 280 + 720 + 144 = 1144 ações da cielo.

    Mas ele posta somente que comprou as 280, a 55,00, o que completa 1000 ações cielo. Agora, tenho certeza que ele irá procurar em todos os blogs um jeito de corrigir as mentiras dele, ou dizendo que "esqueceu" de computar ou então que as 280 já conta com as 144 recebidas... HAHAHAHAHA

    Sem contar que ele é a JOVEM INVESTIDORA, caso vocês não tenham percebido ainda...

    Olhem o alem da poupança, acionista de verdade da cielo:

    http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2013/05/fechamento-abril-de-2013.html

    Aqui ele fala que recebeu 1 por 5... e sua conta fecha!!!

    FORA TROLLETA FAKE MENTIROSO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A data ex da bonificação foi no final de abril...

      Excluir
    2. O cara não sabe fazer cálculo de porcentagem e nem somar. O que posso fazer senão morrer de rir?

      Excluir
  30. Quanto a garimpar os dados direto na fonte, no caso a Bovespa, eu sou 100% a favor. É a mesma coisa que faço na medicina, uma coisa é ouvir o que o colega falou de orelhada, pode até ser verdadeiro. Mas só confio indo na fonte, em um livro, ou artigos científicos confiáveis como o de metanalises. Vira e mexe há discrepâncias entre o que é dito, e o que é confirmado, e pode ser extremamente prejudicial tanto no mercado financeiro quanto na medicina.

    Sobre o programa de captar esses dados partindo de extensões diferentes, como o notepad e o excel, se vc fizesse isso teria certeza que é um mago da computação, e poderia ocupar até o lugar do brasileiro que saiu do Android recentemente (boatos sobre o chefe ter pego a namorada dele e tals). MAs a Bovespa também, sacaneia até quando não precisa, né? Custa lanças as informações em mesmo formato? Incompetencia não é só no setor público não...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A garimpagem de informações do notepad até que está indo bem. Depois vou partir para o Excel. Acredite, não é um trabalho digno de magos, kkkkkkk. Só é preciso ter um pouquinho de conhecimento e tempo disponível para pensar. O problema que isto é um trabalho extra e tenho muitas outras prioridades.

      Abraços

      Excluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.