sábado, 23 de novembro de 2013

Concursos públicos – Dicas gerais – Parte 1



Na postagem de Introdução desta série falei que compartilharia com vocês algumas experiências que obtive no percurso para me tornar um servidor público.
Esta postagem tem por objetivo retratar algumas dicas gerais a respeito de preparação para concursos públicos. Como esta série de postagens é um punhado de dicas derivadas de minha experiência, é natural que muitos concursados ou concurseiros discordem de algumas delas ou tenham realizado a dica, mas de forma diferente. Cada pessoa possui um perfil e dificilmente encontraremos uma regra ou método que se aplica a todas as pessoas, principalmente quando o assunto é estudar para concurso. De qualquer forma, a abordagem de dicas pode gerar discussões úteis tanto para quem participa da discussão, quanto para quem apenas observa. Veremos abaixo algumas dicas que reuni:


Um passo de cada vez
Se você tem um emprego médio na iniciativa privada ou ainda é estudante no ensino médio ou até de uma faculdade e quer fazer concurso público, pouco adianta mirar no início concursos TOP como o do Senado, Câmara ou outros que pagam inicialmente um salário de 5 dígitos. Poucas pessoas possuem a base necessária para passar em concursos deste nível. Seja humilde. Mire inicialmente concursos que paguem até 4 mil reais iniciais. Há muitos concursos deste tipo, abrangendo desde os mais práticos (agentes, bombeiros, militares, etc.) até a área administrativa (assistentes, técnicos, alguns analistas, etc). Esses concursos servirão como um importante trampolim para alcançar o topo da pirâmide. Depois de passar para um concurso deste tipo, aí sim você poderá contar com experiência e recursos necessários para passar em um concurso TOP.

Focar apenas um concurso
Concurso público é uma área onde a diversificação é inimiga do concurseiro. Se um concurso em si é difícil, imagine estudar para diversos concursos ao mesmo tempo? Por isso, escolha um cargo que chame a tua atenção e foque nele. Ao fazer isso, suas chances aumentarão.
Somente aconselho a diversificação apenas para os concurseiros que já estão em um cargo médio, e que, durante seu estudo para um concurso TOP, surja um concurso que possui diversas disciplinas em comum. Mas se você é inexperiente e nunca passou em um concurso, focar em apenas um possivelmente será o mais adequano para você.

Fazer cursinho, sim ou não?
Cursinhos ajudam muito os candidatos, mas não pense que cursinho é garantia de passar em concurso. Entre estudar apenas no cursinho e estudar apenas em casa, prefiro mil vezes estudar apenas em casa.
Sobre fazer cursinho ou não, dependerá muito de seu perfil. Particularmente tenho facilidade em aprender sozinho. Compro livros e vou lendo até aquele conteúdo entrar na minha cabeça, nem que seja “por osmose”. Por isso, utilizo os cursinhos quando tenho muita dificuldade ou não acho um material confiável para determinada matéria. Para meu perfil, meu rendimento é maior estudando sozinho do que em cursinho.
Entretanto, sei da importância dos cursinhos. Muitos professores dão dicas importantes sobre a disciplina em estudo. Muitas destas dicas ou macetes não estão escritos nos livros. Os cursinhos ensinam muitas técnicas que facilitam o aprendizado. Mas tem que tomar cuidado, pois como em qualquer área, há as aulas boas e as aulas ruins.
Há por exemplo professores que são especialistas em enrolar. Contam muito sobre sua vida ou sobre coisas que não tem a ver com a matéria, mas mesmo assim muitos alunos gostam da aula deste professor porque ele é “um cara legal”. Outro ponto que já notei nos cursinho é que toda turma tem aquele cara que pergunta coisas que não tem nada a ver e que não cairão na prova, tem aquele que gosta de mostrar que tem dinheiro, aquela menina metida a ser gostosa, o sabichão falador, o piadista, os que não querem nada e outros atores que se repetem. Cursinho é um local onde você precisa focar na aula, ignorando os colegas.
Observe também que a diferença de qualidade da aula dos cursinhos está caindo, pois muitos professores não são exclusivos. Quanto mais específica for uma matéria, maior a possibilidade de um determinado professor dar aula em diversos cursinhos diferentes.
Minha recomendação é de que se você tiver tempo para fazer um cursinho, faça. Mas não se esqueça de que você precisará estudar principalmente fora do cursinho. Se não puder fazer cursinho, não desanime. Com esforço também é possível passar estudando sozinho.

Estudar é diferente de aprender
Lembra-se quando éramos jovens e toda turma tinha aquela pessoa que tirava nota boa, mas que não estudava muito? Esta é a diferença entre estudar e aprender. Este aluno conseguia ter um rendimento muito maior durante a aula, sendo esta suficiente para seu aprendizado.
É comum vermos na televisão pessoas que passam boa parte do dia estudando, mas que ainda não passaram em concursos. Por que será? Será que esta pessoa, apesar de estudar muito, não está conseguindo aprender?
Não me entenda mal. Não estou falando que estudar diversas horas por dia é ruim. Pelo contrário. Se você tem esta disponibilidade, com certeza você estará um passo a frente dos demais. Mas preste atenção se você está ou não aprendendo com seu estudo. Cada pessoa possui um método que facilita sua aprendizagem. Entretanto, muitas pessoas ainda não sabem que estão estudando de forma ineficiente. Muitas vezes, analisar sua forma de estudo vale mais a pena do que o estudo em si.

Estude para passar
Esta dica está relacionada à desculpa “Se não passar neste eu passo no próximo”.
Quando você decidir estudar para um concurso, estude para passar de primeira. Estude para destruiu a prova. Estude para mastigar a prova e cuspir as questões certas. Estude como se fosse sua última tentativa de concurso na vida. Para estudar com tanto afinco, um item importante a ser observado é o abaixo.

Motive-se
Uma pessoa motivada consegue atravessar barreiras e vencer obstáculos sem grandes frustrações. Observe na vida que pessoas de sucesso em geral possuem grandes motivações por trás, seja qual for a atividade desempenhada. Do lado contrário, observe que pessoas preguiçosas e que vivem reclamando não possuem objetivos para alcançar, ou se possuem, não estão imbuídas com nenhuma motivação que as faça deixar a preguiça de lado para correr atrás de seus sonhos.
Quando passei para meu atual concurso, utilizava meu antigo trabalho como motivação. Cada esporro que levava ou presenciava, cada puxada de tapete que via, cada ato injusto e coisa errada eram transformadas no seguinte pensamento: “Preciso estudar para sair daqui!”. Outra grande motivação era o salário pretendido, que apesar de não ser alto, era o dobro do meu salário antigo. Fiz questão de recortar uma matéria de jornal onde era destacado o salário, colando-a na porta de meu guarda roupa. Após acordar todo dia manhã, eu via a matéria e o salário, o que renovava minha motivação.
Colegas do meu trabalho possuíam motivações como falta de dinheiro, surgimento de filhos não planejados ou péssimas condições do antigo trabalho. Uma motivação não precisa ser algo bom, mas apenas motivadora. Você também precisa se certificar de que esta motivação seja de alguma forma renovada, o que potencializará sua vontade de passar. Seja motivado e seus estudos serão menos torturadores do que pensa.

22 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente conheço pessoas que dizem estudar 8 ou 10 horas por dia e que não sabem nada. Das duas uma: ou são mentirosas, ou são burras. Burras por não perceberem que todo esse tempo não está sendo útil.

    Sei que essa é a postagem 1, mas eu já me adianto e acrescento duas dicas importantes:

    1- Dormir e se alimentar bem. De nada adianta virar as madrugadas debruçado nos livros se o cérebro está cansado.

    2 - O material de estudo tem que ser de ótima qualidade. Sem perder tempo com materiais de internet, apostilas, videozinhos etc. Nada disso substitui um bom livro .

    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há uma terceira opção: não saber estudar.

      Estudar 8h/dia exige rodízio de matérias, paradas, descanso e MUITA disciplina.

      Eu qdo estudava, ia no máximo 3h/dia planejado. Só passava disso se eu estivesse empolgado com os estudos e não percebia o tempo passar. Não adianta ficar forçando algo que não vai funcionar.

      Excluir
    2. Mas o que vemos na televisão é justamente o contrário. Vemos pessoas dedicando o dia todo para os estudos, chegando a largar o emprego para ter dedicação exclusiva, e mesmo assim não passam.

      Excluir
    3. Talvez seja por isso que não passem, rs

      Bjo

      Excluir
  3. Eu discordo um pouco do que foi dito.
    Desde que entrei na faculdade de direito, eu já tinha decidido que faria o curso de direito apenas para fazer concurso público.
    Durante os 5 anos do curso eu apenas estudava as matérias que me interessavam, bem como outras que não tinham no curso, tipo: matemática financeira, português, estatística, auditoria, e contabilidade geral e pública.
    Quando me formei só prestei concurso que, hoje, pagariam 5 dígitos, mas que na época pagavam 6 mil para cima. Ou seja, os tops.
    Formei na faculdade em 2004 e passei no concurso em 2006. Mas, em 2005 não teve concurso top.
    Não sou nenhum gênio, mas utilizei planejamento de longo prazo, o que muitos não aceitam (querem o agora).
    Eu disse que discordo não só pelo meu exemplo, hoje muitos fazem isso. Tenho amigos que fazem faculdade de direito e cursinho preparatório para concurso de juiz ao mesmo tempo.
    Concurso está ficando difícil porque as pessoas - dispostas a estudar, estão realmente focadas em passar em concurso. Além de estudar, planejam e seguem o plano.
    Isso dificulta demais para aqueles que são apenas um na multidão ou que estudam, mas não levam a sério. O verdadeiro "me engana que eu gosto".
    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, vc fez o certo.

      Mas a série é, pelo q eu entendi, para quem já está formado e não consegue passar...

      []s!

      Excluir
    2. Caro anônimo, permita-me discordar de você quanto ao fato de os concursos estarem se tornando mais difíceis pelo fato de as pessoas estarem realmente focadas e dispostas a estudar. Não creio que isso esteja acontecendo, muito pelo contrário. O que vejo é cada vez mais pessoas com fraca formação básica, incapazes de escrever ou interpretar corretamente um texto.

      Um exemplo claro são as carreiras da magistratura, nas quais sempre sobram vagas por falta de candidatos suficientemente capacitados. Na minha opinião isso acontece porque um advogado realmente competente pode ganhar milhões, e portanto não se contentaria com o salário de juiz substituto, atualmente 15 mil reais líquidos.

      Excluir
    3. Pelos rótulos que a Fernanda sempre gosta de sugerir, encaixo-me no de burro, pois estudo há 3 anos para o concurso do Legislativo Federal e fiquei, até agora, entre 400 de 30.000 inscritos. Ainda estudo para CD, nível médio, e SF. Depois, desisto de tudo.

      Fernanda, por que vc não dá uma dica desse cargo maravilhoso que sua inteligência extraordinária fê-la ocupar?

      Betônio.

      Excluir
    4. Parece que o seu problema é mesmo a dificuldade para interpretar textos.

      Eu disse que burra é a pessoa que, apesar de estudar 8 horas diárias, não consegue ser aprovada. E a burrice se dá pelo fato de não ter percebido que está jogando todo esse tempo fora (ou seja, que o método está errado).

      Excluir
    5. Ao primeiro anônimo,
      Sim, existem muitos exemplos de pessoas que passam de primeira em concurso TOP, sem precisar de um trampolim para isso. Eu conheci uma pessoa que empossou em um cargo TOP aos 20 anos de idade, mal saído da faculdade.
      Mas como você disse no seu caso, houve um planejamento de longo prazo, o que eu posso deduzir que você obteve uma orientação, ou tinha pr perto algum exemplo que te serviu como referência. Algumas pessoas já estão inseridas em uma família que tem boas condições de orientação, muitas vezes um pai e uma mãe que estão bem resolvidos, com boa instrução, e/ou que são são servidores. Não sei em que condição você estava inserido para entrar em uma faculdade já pensando diretamente em concurso TOP, mas quantas pessoas realmente tem condições e preparo para isso? Eu era cercado por pessoas que não tinham tempo nem condições financeiras para obter uma preparação para um concurso médio, quanto mais um TOP. Eu era um desses. Tive que penar muito para conseguir este meu atual. Na verdade, não fui de soldado do exército para o meu atual. De soldado fui para um concurso, que me deu base para o meu atual. E espero que o meu atual me dê base para o próximo.
      Sim, é perfeitamente possível passar de prima em um concurso TOP. Existem diversos exemplos. Mas para cada exemplo que você der de uma pessoa que conseguiu, poderei te dar outros três de pessoas que não passaram. Não por falta de capacidade, mas por falta de recursos para bancar os estudos, tempo para estudar, e experiência. Os concursos de nível médio estão realmente difíceis, com um nível bem alto. Mas mesmo assim eu os acho mais acessíveis para uma pessoa que não tem muito tempo nem base para concurso.
      Agora, se uma pessoa for bem orientada e tiver de alguma forma algo ou alguém que financie seus estudos, então eu apoio sim que ela vá direto para um concurso TOP. Mas como esta condição não é realidade para a maioria das pessoas, por isso recomendo tentar um concurso médio para depois tentar um concurso TOP, de grau em grau.
      Mas como disse, é apenas minha opinião, e não quer dizer que é necessariamente a correta.

      Abraços

      Excluir
    6. Além da Poupança, modere os comentários da Fernanda Figueiredo, pois ela não é médica para diagnosticar problemas nem professora de língua portuguesa para avaliar a correção de interpretação de texto.

      Se a ideia aqui é contribuir com a jornada dos concurseiros, as colocações dela, sobranceiras, apenas afetam o sentido a que se propõe esta série. Falta-lhe educação, decoro, virtudes que, infelizmente, não são avaliadas para o ingresso no serviço público.

      Abraços,

      Betônio.

      Excluir
    7. Betônio...

      Que cargo é CD e SF?

      Excluir
    8. Câmara dos Deputados - CD e Senado Federal - SF.

      Abraços.

      Betônio.

      Excluir
    9. São bons pra caramba mesmo? Quantos R$?

      Excluir
  4. Grande AdP!

    Amanhã recomeço minha luta:

    http://www.podereenergia.com.br/2013/11/12-weeks.html


    Valiosíssimas suas dicas. Meu leque de diversificação abrange somente MTE, DPF e PCDF.

    Pra mim, n existe cargo melhor que o de Auditor-Fiscal do Trabalho.. Realização profissional total..

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sorte no concurso. pelo que vi o salário é de 3k3, o que nã minha opinião não é ruim. Está se preparando a partir de agora ou já estava estudando há um tempo?

      Abraços

      Excluir
    2. sempre estudei meia boca, nada sério.. vamo ver agora engata de vez!

      abraço!

      Excluir
  5. Continue o bom trabalho, AdP
    Para as pessoas normais, que não têm q.i., como eu, concurso é realmente uma opção profissional muito boa. Eu já passei em alguns e nunca trabalhei no setor privado, embora tenha certeza que um profissional top (que eu seria, se fosse meu objetivo) poderia ganhar muito mais que no setor público, em linha com o que disse a Fernanda comparando juiz e advogado (até porque são duas carreiras em que, para ter sucesso, não basta o conhecimento técnico, pesa também o fator interpessoal -- muito mais do lado da advocacia particular, sem dúvida).
    De todo modo, o que eu queria dizer é que nunca é demais lembrar (até porque isso é frequentemente esquecido): planejamento é fundamental. Tal como investimentos na bolsa, não há receita garantida, mas sem uma rotina de estudos e foco em um tipo de concurso, a chance de sucesso fica ínfima, até porque logicamente quem não sabe aonde quer chegar nunca chegará a lugar nenhum.

    Abraço a todos, sucesso aos que merecerem.
    J.R.

    ResponderExcluir
  6. Grande ADP....Muito boa a ideia de escrever a respeito de concurso publico. Tb estou nessa batalha há 3 anos. Só presto concurso para fisco estadual, ou seja, os ICMS ´s. Por ter que trabalhar 10 hrs/dia, ser casado e filhos, isso dificulta um pouco, pois é preciso administrar muito bem o pouco tempo que tenho.

    No entanto com um planejamento a longo prazo é possível conquistar objetivo almejado. Sou excedente do ICMS SP e agora vou fazer ICMS MS. A cada concurso que presto sinto-me mais confiante e minhas notas mostram que estou no caminho certo.

    Para aqueles que gostam de uma boa história de superação e força de vontade, indico esse link.

    http://www.forumconcurseiros.com/forum/showthread.php?t=331657

    Infelizmente os concursos estão sim cada vez mais dificeis. E não dá para ficar colocando culpa na formação das pessoas. Quem estuda sério pra concurso é só pegar uma prova de fiscal dos anos 90 e uma prova atual para ver a diferença. É gritante o nível de dificuldade. Uma prova do ano 1992,1993 é possivel fazer acima de 80%, atualmente pegar uma prova do ICMS RJ por exemplo é muiiiiiiito dificil fazer esse percentual. Não dá pra comparar. Concurso está sim mais dificil. NO entanto o que temos a nosso favor são informações e materiais com bons professores disponiveis ($) a nos ajudar. Curso presencial, Curso online, video aula, pdf , coaching etc.....

    Me lembro de um comentário de um Auditor da Receita que dizia que com força de vontade, determinação, planejamento e disciplina é possível superar qualquer dificuldade.

    Abs e bela iniciativa....Sigamos estudando

    Paulo

    ResponderExcluir
  7. Comentários antigos... queria contribuir com algumas risadas comentariológicas.

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.