sexta-feira, 8 de abril de 2016

Discrição é fundamental quando o assunto é dinheiro



  Aprender sobre ações, fundos imobiliários, Tesouro Direto e mercado mobiliário, assim como suas peculiaridades, é interessante, mas não podemos esquecer de alguns aspectos comportamentais que fazem parte do dia a dia do investidor. Um desses comportamentos é a adoção da discrição nos diálogos envolvendo dinheiro.


  Você, caro leitor, que acessa este blog, muito provavelmente é, no mínimo, alguém propenso a ter um perfil poupador. Entretanto, o poupador é considerado uma anomalia se contextualizarmos sua inserção em uma sociedade habituada a ter péssimos hábitos financeiros, que conta com os exemplos de atitudes do brasileiro comum abaixo:


(1) Aquela pessoa que sempre sobra mês no fim do dinheiro, ou seja, seu salário nunca cobre as despesas mensais. Esta pessoa coloca a culpa no baixo salário, mas não tem qualquer controle nos seus gastos e demonstra nenhum esforço para obter salários melhores ou novas fontes de ganho;

(2) Aquela pessoa que trata o cheque especial como complemento de renda;

(3) Aquela pessoa que parcela tudo o que puder, no máximo de parcelas que puder, desde que a parcela caiba no orçamento;

(4) Reclama que a poupança rende pouco, mas tem horror a qualquer coisa que seja diferente da poupança;

(5) Famílias que não contam com colchão de segurança;

(6) Aquela pessoa que nunca leu nada sobre investimento e nunca investiu em nada na vida, mas quando o assunto é investimentos, ele acha que sabe de tudo;

(7) Aquele trabalhador que acha normal conter, em todos os meses, empréstimos consignados;

(8) Aquela pessoa que avalia seus conhecidos como bem sucedidos na medida de quão caro é o seu carro, suas roupas ou qualquer item que ele demonstra ter;
(9) Aquela pessoa que acredita que não dá para construir nada sem empréstimo;
(10) Aquela pessoa que não conseguiria viver apenas com um cartão de crédito.


  Poderíamos descrever diversos outros hábitos que deixam o brasileiro médio com a corda no pescoço, mas o ponto que devemos chamar a atenção é que muitas pessoas não estão preparadas para lidar com um conhecido que possua um perfil investidor. E quando é falado em “lidar”, pode-se puxar para aspectos extremamente negativos da natureza humana, como por exemplo a inveja, sentimento comumente instigado quando se está diante de uma pessoa financeiramente estável. 



  No primeiro momento que se descobre um investidor, a princípio pode parecer que a pessoa trate a informação com indiferença. Mas com o tempo, é perceptível o tratamento diferenciado. Lembro-me uma vez que mencionei a um colega de trabalho que investia em ações. A partir deste momento, todos os dias este meu colega passou a acompanhar o índice Ibovespa. Quando o mesmo caía, este colega me perguntava no dia seguinte, com uma aura de prazer, o quanto eu tinha perdido. Uma situação constrangedora que poderia ter evitado se eu tivesse ficado quieto.


  Há inúmeras reações desencadeadas por pessoas que estão diante de um investidor, mas o mais comum é que seu círculo social torne-se repleto de interesseiros. São aquelas pessoas que não conseguem segurar o impulso de se aproveitar da situação do conhecido endinheirado (pois o cidadão comum entende que só investe quem é rico ou se está sobrando muito dinheiro). Neste círculo social estão incluídos seus colegas e amigos (incluindo os melhores amigos e os de infância), além de familiares e parentes, como primos(as), tios(as), cunhados(as) e namorados(as), podendo até ter efeitos em seus próprios pais e em cônjuges. São pessoas que no menor aperto financeiro vão pensar primeiramente em você como banqueiro para empréstimo sem juros, com alta possibilidade de calote. Eles vão esperar que você pague o almoço e ofereça seu celular para ligações. Nos aniversários, eles esperarão de você os melhores presentes. Você será chamado para ser padrinho de batizado dos filhos de seus colegas e familiares, com a intenção de ser um presenteador periódico. Caso você investidor não satisfaça suas expectativas, será tratado como o muquirana do grupo, sendo alvo de piadas. A quantidade de dinheiro que você transparece ou revela nas conversas será proporcional à quantidade de oportunistas que aparecem. E eles sempre pensam que você é muito mais rico do que na verdade é.



  Por isso, é prudente não contar para ninguém o quanto você tem ou o quanto você aporta. Muitas vezes é importante que você nem revele que possui poupança ou investimentos. Se desconfiarem do seu perfil e souberem que você poupa/investe, NUNCA revele valores. Se a pessoa for cara-de-pau e perguntar quanto você investe todo mês ou quanto você possui de patrimônio, jogue o valor para baixo. Se você investe mil reais ao mês, diga que é cem nos meses que sobra.


  Apesar da maioria dos investidores possuírem a discrição como um costume inerente, há alguns que se sentem a vontade para contar aos seus próximos o quanto ganham, o quanto gastam e o quanto têm investidos. Para esses, o risco de ser alvo de “solicitações de empréstimos” e de comportamentos estranhos será bem maior. 


  Além disso, falar para conhecidos exatamente os valores investidos não tem a menor importância. Qual o ganho real de se falar valores a não ser atrair pessoas interessantes ou mal intencionadas?




  Diante do contexto em que nós investidores vivemos, a recomendação desta postagem é que infelizmente devemos nos esquivar de citar informações sobre os investimentos e as poupanças que realizamos. Quando não é possível ocultar a informação, revele valores bem mais baixos do que a realidade. Além do diálogo, há também a questão visual. Quando você finalmente comprar aquele carro que você gosta ou aquele celular que tanto desejava, conte uma historinha triste que mostre que você teve dificuldade em comprar o item. As pessoas são muito mais solidárias ao ouvir que você precisou financiar o carro do que ao saber que você tinha o dinheiro guardadinho na poupança e o pagou a vista. Infelizmente é assim que você precisa agir se quiser evitar desgastes com colegas, amigos, familiares e até eventuais desconhecidos.

58 comentários:

  1. Há algum tempo atrás escrevi um post sobre isso. Não dá para querer ser o "Senhor Franco", temos que mentir para baixo nossas posses financeiras, o ser humano convencional tem pouca convicção para montar uma reserva financeira e desdenha quem consegue.

    ResponderExcluir
  2. muito bom o texto, realmente são poucos q são poupadores, e quando sabem que você poupa vira motivo de piada.

    Mas vamos seguindo a estratégia.

    ResponderExcluir
  3. Eu ia compartilhar esse post, mas é melhor ficar quieto. Muitas verdades aí.

    Felisberto.

    ResponderExcluir
  4. E será q isso é uma característica do ser humano q é potencializada pelo fato de sermos brasileiros ou é algo mais do BRHUE?

    ResponderExcluir
  5. Eu não falo nem para o meu pai quanto aporto por mês. Mas de vez em quando me perguntam quantas ações eu tenho. Quando falo que são quase 50 já acham que estou milionário, rs. Se eu for falar que giro por semana quase meio milhão no day-trade aí vão achar que estou bilionário, rs.

    ResponderExcluir
  6. ADP,

    Perfeito! Ainda mais no Bostil, que é um país de invejosos, a nossa preocupação tem que ser REDOBRADA.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Ótimo texto. Pois é. Às vezes até queremos ajudar as pessoas, mas, na dúvida, é melhor evitar. É duro deixar as pessoas afundarem. Porém, nossa ajuda pode resultar em algo negativo para nós. Muitos também caem na questão do ego (é bonito falar que investe no mercado de ações), mas de novo, uma armadilha feita por nós mesmos.

    ResponderExcluir
  8. ADP, excelente texto, eu estava rascunhando um texto justamente sobre a falta de habilidade do brasileiro médio em lidar com finanças. A idéia surgiu depois da última publicação do soulsurfer sobre os gastos com carros.
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Há um tempo atrás um amigo recebeu uma grana de herança e disse que estava querendo aplicar em ações da Petrobrás, aproveitar que tinham caído muito e estavam em 17 reais. E me perguntou o que eu achava já que ele sabia que eu me ligava em assuntos de economia e investimentos.
    Eu falei pra ele que não investiria na Petrobrás, que a empresa estava com sérios problemas e que as ações poderiam cair muito mais. E mandei pra ele um artigo do Roberto Elery sobre a situação da empresa.
    Ele me perguntou em que eu investia e eu disse que comprava ações dos bancos itau e bradesco, da seguradora Porto Seguro e da Ambev. Mas que minha preferência era pelos fii's, que ele nem sabia o que era.
    Tivemos uma longa conversa sobre investimentos e no final ele decidiu investir em titulos públicos.
    Blz, ajudei um amigo, livrei ele de ter um baita prejuízo e estar agora com um mico nas mãos.
    Mas foda é que ele comentou com outros amigos nosso. Não falei a ele sobre valores.
    Mas todos passaram a me pergunta sobre investimentos, sobre o que eu acho sobre a crise econômica, política.
    Mas o pior é os que me perguntam pq não troco de carro ou vou pra tal lugar, como que me dando indireta de que eu fico investindo ao invés de "viver".
    Um amigo nosso que vivia viajando e indo pra tudo que é festa, parcelando tudo no cartão, perdeu emprego um tempo atrás e veio me dizer que está endividado, mas se pudesse voltar atrás faria tudo de novo. Eu disse que as pessoas pensam diferente e ele me rebateu de forma meuo ríspida que quando morre não se leva nada.
    É foda. Fora que, apesar de não perguntarem, sinto que têm curiosidade de saber qto tenho guardado.
    Não sabendo eles que o que tenho rende pouco mais de 2 SM por mês, que minha grande diferença pra eles é que não tenho 1 real de dívida, que minha fatura de cartão de crédito dificilmente supera 10% do meu salário, que vivo de forma mais pobre que eles, apesar de nossos salários não serem muito diferentes. Outra diferença é que eu sou servidor público e não poupo e invisto medo do desemprego, mas pra ter uma vida mais tranquila no futuro breve.
    Quero muito elevar meu padrão de vida, mas só o farei qdo tiver uma boa poupança, acima de 500 mil, aí sim comprarei um carro melhor, vou viajar, mas sem irresponsável.
    Meu carro é um gol 2008, que comprei zero e terminei de pagar em 2013. O carro tem 330 mil km, mas tá novo, nunca bati, sempre fiz manutenção, só eu dirijo e dirijo bem, pra que vou trocar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passamos por experiência do tipo, pior que foi em família... Ninguém compreende nossas atitudes e pouquíssimos fazem o mínimo esforço pra entender que temos objetivos opostos. Mas a qualquer sinal de melhoria em nossa situação financeira, logo aparecem os "amigos" e "parentes" pra tentar surfar nas mesmas ondas...

      Excluir
    2. Amigos e família funcionam assim: não fazem nada para sair da merda, mas não querem que vc saia também.

      Excluir
  10. ADP post muito interessante, ultimamente tenho falado muito pouco de investimentos em casa e com amigos. Já estou até começando a pensar em forjar uma bancarrota, vou vender meu carro e minha moto e quando me perguntarem vou dizer que precisava do dinheiro para quitar minhas dívidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. bom plano

      mas tem um porem


      se vc comprar outro carro mais para frente vão achar que ta cheio da grana denovo

      Excluir
  11. Excelente texto ADP, concordo plenamente. Abraco

    ResponderExcluir
  12. Excelente texto ADP, concordo plenamente. Abraco

    ResponderExcluir
  13. Tragam dois troféus para esse homem, um pelo artigo e outro caso alguém peça emprestado o primeiro! rsrsrs...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  14. Texto excelente, quisera eu ter lido antes isso;
    Pois havia comentado com amigos (estes mais próximos) e com o pessoal do trabalho, que eu "invisto".


    Os amigos próximos (3 no caso), 2 tem uma boa postura financeira e é interessante trocar idéias com eles, como forma de Benchmark;
    O amigo restante sobre sérios problemas financeiros, e eu, preocupado como amigo, quis incentivá-lo a economizar, e acabei citando o meu exemplo.

    Resultado: 3 dias depois, me veio pedir 200 reais emprestado.

    Já o pessoal do trabalho, que convive mais comigo, sabe que eu não sou do luxo, que levo uma vida simples, tranquila. Ouço várias pessoas me caçoando, dizendo para eu "Viver a Vida", ou brincando que sou pão duro.

    Hoje, já não falo sobre dinheiro com ninguém, com excessão da blogosfera...

    Deveria ter lido esse texto antes hehe

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Igual aqui, mas é muito difícil se esquivar no trabalho (ainda mais no serviço público que a remuneração é divulgada até na internet, então todo mundo sabe quanto ganho)... porém cada dia que passa falo menos, apesar da frugalidade continuar, aí o negócio e inventar que os gastos em outras coisas aumentaram e que os investimentos só dão prejuízo etc para justificar os poucos gastos com carro etc.

      Excluir
    2. Conheço bem essa sua realidade, Anon. Pior é que seus pares, às vezes até ganhando mais que você, vivem atolados em dívidas (famigerado consignado...) e ficam de olho em tudo o q conquistamos.

      Excluir
    3. Nunca digo que sou servidor público por causa da divulgação de salário na internet. Quando perguntam, digo que sou advogado. O pessoal do meu prédio (de alto padrão) pensa que sou advogado. Vivem me "consultando".De graça, of course. kkkkkk

      Excluir
  15. Excelente análise, que vai além dos investimentos, mas tem que ser tão levada a séria quanto!

    Abraços

    ResponderExcluir
  16. Perfeito!!!!
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  17. Texto excelente e realista. Em suma, o segredo é a alma do negócio! Na maioria das vezes, para obter sucesso, deve-se manter o sigilo dos meios que se dispõe.

    ResponderExcluir
  18. Texto excelente e realista. Em suma, o segredo é a alma do negócio! Na maioria das vezes, para obter sucesso, deve-se manter o sigilo dos meios que se dispõe.

    ResponderExcluir
  19. Infelizmente falei pra um amigo da faculdade quando ainda cursava, que investia e tinha uma reserva financeira considerável, não deu outra. Um tempo depois veio me pedir 2000 emprestado pra devolver em 10 parcelas, e iria usar o dinheiro pra uma carta de motorista, sendo que o mesmo ostentava e vivia gastando com festas e comendo fast-food.

    ResponderExcluir
  20. Realmente não da para conversar com as pessoas sobre investimentos, ainda mas quando você está em uma situação mais confortável, comecei a poupar desde os meus 18 anos, e no início comentei com alguns sobre a minha ideia de investimentos, o que eu mais escutava era... vai que eu morra amanhã. Alguns anos se passaram e hj vejo eles reclamando da crise que não tem dinheiro pra isso não tem pra aquilo, mas sempre com carros acima do que poderiam ter, roupas e celulares melhores do q o meu, eu apenas escuto e falo... eh realmente ta difícil as coisas. .. mas na verdade estou bem tranquilo financeiramente....

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que as vezes vem de dentro de casa mesmo... minha mãe vivia me pedindo empréstimo.. pede até hoje...

      Excluir
  21. Olá AdP,

    Realmente, é um problema para quem gosta de investimentos estar em círculo de pessoas que não gostam e não fazem a mínima questão de aprender.

    Dureza é ter que falar de futebol, ainda mais nesse momento de completa perda de credibilidade e falta de interesse por este esporte.

    Abçs!

    ResponderExcluir
  22. Pura verdade. Comentei também e recebi um pedido de empréstimo de um primo. Fui sincero e falei que podia perder o dinheiro e o amigo. Se começa com um...É melhor cortar de primeira.

    ResponderExcluir
  23. Ainda bem que temos essa comunidade da blogosfera pra tratar desses assuntos, afinal, até pelos comentários é possível perceber que nossas realidades são bastante parecidas: enquanto por aqui nos apoiamos e compartilhamos informações, em família e nos círculos profissionais ou de amizades acabamos passando por loucos/sovinas, sempre atraindo "olho gordo" por todo lado. Força pra nós, galera!

    ResponderExcluir
  24. É... só dá pra falar em viver de renda .. depois que tiver dinheiro pra investir .. e pra ter dinheiro pra investir. só tem uma fórmula.. gastar menos do que se ganha .

    ResponderExcluir
  25. POST MATADOR.

    Como o analfabetismo financeiro é a regra no país, qualquer pessoa que saia do padrão de se endividar e sustentar bancos com juros fica sendo vista como iluminada ou amaldiçoada.

    Colegas de trabalho falam gracinhas, parentes querem pedir empréstimo.


    O chato é a nossa solidão pois falar sobre algo de que gostamos é inerente ao ser humano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. frase perfeita! realmente queremos compartilhar nossa experiência, e acabamos caindo na tentação de não escolher criteriosamente os ouvintes... é incrível como os relatos aqui espelham nossa propria vida, parentes, amigos, colegas de trabalho, zoações como pão-duro, "vá viver a vida", etc.. Acho que o mais me incomoda é pensar como algumas pessoas conseguem viver a vida desregradamente, como deitam a cabeça no travesseiro e dormir com a incerteza do amanhã.

      Excluir
    2. EU PENSO QUE QUANDO DESCOBREM QUE TEMOS ALGUM DINHEIRO INVESTIDO, COMEÇAM A NOS AMALDIÇOAR E BOTAR OLHO GORDO. TALVEZ SEJA IMPRESSÃO, MAS É O QUE EU NOTO...

      Excluir
  26. Perfeito texto!!! Percebo, também, que é importante entrarmos no jogo, no que tange ao chorar, dizendo que a situação financeira está difícil. Por que se você ficar calado, vão achar que está tudo bem. E se está tudo bem, ele tem dinheiro!!!rsrs

    ResponderExcluir
  27. Quando o assunto é investimento a saída é sempre a mesma: "Capitalização, eu gosto é tipo uma conta/fatura que te força a economizar todo mês."
    É desonesto intelectualmente mas dane-se.

    ResponderExcluir
  28. Excelente ADP!
    Eu costumo falar que se um dia for rico, vou fingir ser pobre até pros meus filhos pra eles darem valor ao dinheiro haha

    ResponderExcluir
  29. Olá Pessoal,
    Fico feliz em saber que a postagem teve receptividade. Estive sem internet durante alguns dias e fiquei surpreso ao ver essa quantidade de comentários.
    Obrigado pelo apoio e abraços.

    ResponderExcluir
  30. Esse foi um dos melhores posts sobre como lidar com seus investimentos, pois nos mostra que devemos ser discretos, até mesmo para nossos entes queridos. Parabéns, ADP!!!

    ResponderExcluir
  31. Algo que eu achei que não iria acontecer, foi minha ex-namorada criticou de eu poupar e investir.

    Ela chegou a investir em ações comigo durante um ano, mas depois pediu o dinheiro para gastar com viajem! eu não quis ir junto e ela terminou comigo, pois segundo ela não estava "vivendo a vida"!

    VSFder. pqp

    ResponderExcluir
  32. Eis um dos benefícios proporcionados pela blogosfera de finanças: poder ver que há pessoas com equilíbrio financeiro e com elas compartilhar informações e angústias sobre investimentos. Não dá pra fazer isso no mundo real, conforme o texto aborda perfeitamente.
    Eu, por exemplo, convivo com muitas pessoas que ganham muito bem, mas nenhuma sabe o que é uma LCI. Ações então...
    Belo post AdP!

    ResponderExcluir
  33. Gostei realmente muito, Adp e rapaziada. Eu era do primeiro tipo antes, mas resolvi dar uma virada e hoje estou um pouco melhor, me quebrando com o primeiro imposto de renda de ações, que já vi que mandei errado... mas é melhor ter imposto de renda do que ter consignado... rs.

    Intuitivamente eu sempre evitei falar do que tenho, apesar de tentar ajudar os colegas a investir. Mas realmente parei. Parece que as pessoas ficam chateadas quando vc mostra pra elas que estão perdendo dinheiro em previdência privada, capitalização e poupança.

    Bom falar com a galera que passa pelo mesmo perrengue.

    Meu nome é Robson e eu consigo investir... pouco

    ResponderExcluir
  34. Já passei por situação de parentes vir querer dinheiro meu e fui (do ponto de vista deles) grosseiro e frio e não dei um centavo sequer.
    Atualmente meu parentes nem falam comigo e agradeço por isso.
    Ass.: Invest Alien (meu blog é de investimento mas preciso atualizar).

    ResponderExcluir
  35. A fêmea da mosca da espécie Drosophila melanogaster acasala com vários machos pré selecionados e após copular com vários deles consegue selecionar dentro de seu canal reprodutor qual esperma será fecundado. Está é a conclusão do College of Arts and Sciences da Universidade de Siracusa, localizada no Estado de Nova York, nos Estados Unidos.
    Fêmeas de gafanhotos, escorpiões e aranhas se alimentam dos machos logo após a cópula com o propósito de adquirir nutrientes específicos para a gestação saudável e evitar que os mesmos machos devorem seus deliciosos filhotes.
    Quando fala-se de dinheiro nessa sociedade decadente, desprezível e hipócrita , moldada por "valores religiosos superficiais", fala-se em um amontoado de regras e preceitos em busca da vida perfeita ( o Eden moderno).
    A meritocracia do esforço, da economia, do planejamento ideal, só lhe transformará numa pessoa mais egoísta, mais cética, mais endurecida. Tome cuidado para não torna-se uma pessoa cheia de grana e investimentos projetando sempre o futuro perfeito e humilhando o próximo, sendo arrogante, amante de tudo que é material ( ainda que em segredo, afinal, esse é o propósito de tal artigo).

    Enriqueça, invista e esconda tudo desses devoradores de filhotes ( no caso os recursos da sua prole abençoada pelo seu deus da economia planejada).

    Todas as relações na natureza visam a sobrevivência, não há amor, não há respeito, pois não há racionalidade.

    Todos os conselhos do presente artigo e de seus seguidores que marcham pela peregrinação rumo ao enriquecimento planejado, desconsideraram, que os familiares e amigos em questão são apenas pessoas. Considere suas vidas, histórias, dificuldades, trabalhos exercidos, limitações diversas. Considere se são mais altruístas que você, mais sensíveis e menos racionais.

    Economia de recursos, investimento, planejamento são apenas estratégias. Não generalize, não minimize tudo e culpabilidade as pessoas mal sucedidas como se tudo fosse reflexo dos atos delas. Olhe o país, sua precariedade, a corrupção, os favorecimentos, as injistiças... Reconheça que tal mundo é sujo e covarde.

    Talvez, você tenha nascido num lar mais estruturado, tenha estudado em bons colégios e principalmente tenha tido APOIO. Ou nao.

    Talvez você tenha tido tmb uma história muito difícil e hoje tenha dado a volta por cima, mas será que tudo valeu a pena?

    De que adianta ganhar o mundo todo e perder o crescimento de um filho, a velhice de um pai um avô etc. Agora vc está mais rico, mais seguro,porém, mais triste e mais velho também.

    Estamos perdendo a racionalidade, a sensibilidade, o amor. Não vi na além de amantes de riquezas e odiosos de humanos imperfeitos. Cade os exemplos de solidariedade, cade ações de ajudar um doente, um faminto, um abandonado?

    Sabem o que seria incrível? Voltar a escravidão... Ela é rentável, o melhor investimento. A propósito só acabou pq tornou-se menos vantajosa que os modelos atuais, pois agora paga-se um salário mínimo e tchau. Antes havia todo envolvimento com parte do alimento produzido além da moradia nas senzalas. Mas isto vc já sabia. O que também saiba, ou não, é que Os maiores "empresários" desse país estão envolvidos em esquemas de enriquecimento, desvio de verbas públicas e esquemas com licitações fraudulentas. Muitos patrões enriquecem às custas do trabalho exploratório desses mesmos trabalhadores incapazes de investir no futuro. E quem investiu neles? E quem ao menos reconheceu os trabalhos prestados pelos mesmos?

    ResponderExcluir
  36. Ontem vi o filho de um empresário daqui da cidade saindo de um dos estabelecimentos do pai.
    Duas situações mexeram comigo... A freieza e tratamento dado ao funcionário na hora de pedir uma chave da loja. E sua saída ríspida em direção à sua caminhonete suv importada de 200k.
    Certamente esse jovem de 22 anos tem boas escolhas ao investir, sua carteira é diversificada. Que modelo!
    Ainda que ele seja uma exceção, que seu pai possa ser um bom empresário e que somente esteja colhendo frutos dos outros... Em nada justifica - se tratrar um funcionário daquele modo. É fácil atribuímos sucesso à ele devido aos esforços. Mas o funcionário não se esforçou? Não acordou cedo? Não luta todo tempo?
    O pior é a falácia da riqueza conquistada pelo esforço limpo. Um jovem de 22 anos não tem nem tempo suficiente de vida para ter merecido uma carreira, um carro tão caro etc.
    Mas aquele frágil funcionário pode trabalhar 70 mil anos e economizar tudo que ganhou, que JAMAIS, saberá o gosto de um bom vinho francês das vinícolas de Lilie, jamais terá provado a culinária variada italiana, respirado o ar puro nas montanhas ou mergulhado nas belas praias do nodeste em suas férias. Certamente adquirirá dívidas em bancos que o explorará com juros impagáveis afim de pagar seu aluguel ou dar de comer à sua família.
    Concluo minha crítica condenando todo tipo de ostentação e mal aproveitamento de recursos, seja de ricos ou pobres, mas não sejamos injustos com aqueles que não tiveram as mesmas oportunidades.
    Do contrário reconheçamos nossa condição apenas de homo sapiens sapiens, que utiliza se das formas mais sordidas de enriquecimento, onde nosso fim é ser mumificado em um túmulo revestido de ouro e prata numa caveira inútil que a terra rejeitará devorar.

    Já vi pessoas serem ajudados por irmãos mais velhos, por uma mãe solteira que passou de tudo para cria los e depois de se tornar uma criatura "bem sucedida" possuí esse discurso de merecimento e esforço próprio. Só tenho a lamentar pela sociedade que temos constituído. Depois não venham com falso moralismo quando seus tesouros forem arrancados à força por àqueles que vcs mesmos condenam.

    ResponderExcluir
  37. Vivem me perguntando o quanto eu tenho ou quanto eu ganho nos investimentos, eu sempre omito, se a pessoa insiste eu falo 'tenho mais de 10 mil' por exemplo, dando a entender que tenho perto disso. E sobre aporte eu faço o q vc disse, sempre chuto um valor bem mais baixo haha

    ADP pode adicionar meu blog na sua lista? Obg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá LoD,
      Espero que entenda, mas adiciono blogs com pelo menos 6 meses de vida e ao menos 1 postagem por mês, devido a alta evasão dos blogos novos.
      Abraços

      Excluir
  38. Estou conhecendo essa blogosfera agora. Adoraria ter conhecido antes. Adorei o texto e seu pragmatismo. ADP e demais "associados" meus parabéns!

    ResponderExcluir
  39. ¿Está buscando un préstamo? O fue que se negó un préstamo por un banco o una institución financiera para una o más razones? Usted tiene el lugar adecuado para sus soluciones de préstamo aquí! firma préstamo Elina Johnson estamos limitados en dar préstamos a empresas y particulares a una tasa de interés baja y asequible de 2%. Por favor, póngase en contacto con nosotros por e-mail hoy a través de ramzan_help@hotmail.com

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.