quarta-feira, 24 de outubro de 2018

[OFF] O que o próximo presidente pode fazer pelo Brasil?


Sou partidário de que as verdadeiras mudanças não virão de políticos, mas sim dos cidadãos. Mas não podemos fugir da realidade: Brasília concentra atualmente parte significativa do poder do país e suas ações são determinantes para modificar o nível de prosperidade da nação.

Estamos às vésperas das eleições e vou expressar brevemente minha humilde opinião sobre o que o próximo presidente deveria ter como prioridade.

Considerando a liberdade econômica, se dividíssemos os países em 6 grupos, sendo eles os totalmente livres, bem livres, parcialmente livres, parcialmente fechados, bem fechados e totalmente fechados, em qual grupo você acredita que o Brasil se enquadraria? Acertou quem respondeu que o Brasil faz parte do grupo totalmente fechado. Tá certo que o país não é uma bolha isolada ao estilo Coreia do Norte, mas se pegarmos a classificação dos países e dividíssemos por seis grupos, o Brasil estaria no último.

Pensando nisso, creio que o próximo presidente precisa buscar aumentar consideravelmente a liberdade econômica do país, seja reduzindo impostos, desburocratizando, desregulamentando, privatizando, encolhendo seu tamanho. O Estado não precisa criar incentivos para segmentos empresariais. Não precisa ser o Estado paizão. Basta sair da frente e deixar que as pessoas trabalhem.
Mamãe do céu. Eu só queria criar minha microempresa de biscoitos da vovó! Pra que isso tudo?
Infelizmente, a situação atual exige que, para qualquer ação, em algum momento a pessoa precisa “pedir a benção” do governo. Não há paz para o empreendedor, que é tratado como um inimigo. Além disso, o cidadão comum basicamente é incentivado a depender do Estado.

Sei que é algo difícil de se fazer, pois para isso os governantes basicamente precisam abrir mão do poder de interferência na vida das pessoas. Quem está disposto a perder poder? Mas não custa sonhar.


Outro fator é o respeito a propriedade privada. Para isso, é necessário limitar o poder de intervenção do estado e fortalecer mecanismos de punição aos que transgridem a propriedade alheia.

Após este breve resumo, acredito que dando um grande nível de liberdade para as pessoas e fortalecendo os mecanismos de defesa da propriedade, o restante dos problemas da sociedade (ou pelo menos os mais graves) serão amenizados ou até resolvidos com o tempo. Se o próximo presidente junto com o congresso conseguir mover o país nesta direção nos próximos quatro anos, movendo nossa classificação para um dos três primeiros grupos de liberdade econômica, consideraria que este será o melhor governo das últimas décadas.

E você, o que acha? Deixe nos comentários.

11 comentários:

  1. Caro Adp,

    Concordo com as suas propostas.
    O inimigo a ser combatido é o poder quase que absoluto do estado.
    Tem que diminuir a máquina e descentralizar o poder de decisão de Brasília.
    O sistema político utópico da social democracia que vigora no país não é sustentável no longo prazo.
    Abs

    ResponderExcluir
  2. Concordo totalmente. Os numeros que corroboram seu artigo podem ser vistos no relatório "Doing Business" do Banco Mundial. O fato é que a China tem mais liberdade economica e estimulo para empreender do que o Brasil (muito mais). Entendo que a democracia que temos é a democracia "eleitoral" , a qual nos assegura o direito de votar, porem os mecanismos de suporte a grupos e partidos impediam a renovação do poder. Acredito que somente agora, 30 anos depois da promulgação da constituição vamos ter eleições onde a vontade poular vai prevalecer sobre o poder de compra do poder. Vamos esperar que o governo eleito nos de liberdade de empreender.

    ResponderExcluir
  3. Olá AlemdaPoupança,

    Concordo com você, sou a favor do liberalismo econômico e principalmente contra essa sujeira que plantaram nas cabeças dos que não tinham conhecimento da verdade e, me incluo entre eles a respeito do que foi o regime militar e a tentativa de implantação do comunismo no Brasil. Vamos aguardar e ver se desta vez o país possa avançar como uma nação em desenvolvimento.

    ResponderExcluir
  4. Olá ADP,

    São os pontos que julgo serem fundamentais para esse país sair do eterno voo de galinha. Porém, tenho minhas dúvidas se em 4 anos começaremos a seguir esse caminho.

    Entretanto, ficarei feliz se pelo menos iniciarem e o próximo governo continuar

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Concordo que o Brasil precisa ser um país mais liberal, que dê mais liberdade econômica para as pessoas e empresas, esse é o caminho do crescimento sustentável.

    Porém esse não é um caminho de 4 anos, envolve, além da recuperação econômica, toda uma mudança cultural, no sentido de incentivar o empreendedorismo, a inovação, o acúmulo de capital, etc.

    ResponderExcluir
  6. Considerando a desigual correlação de forças entre os países capitalistas centrais e os do mundo subdesenvolvido, a única alternativa é a derrocada da exploração do homem pelo homem, o que jamais poderá ser feito no sistema do capital, que avança para produzir cada vez mais destruição dos recursos naturais, emprega de forma crescente mais investimento no complexo militar-industrial e, assim, empurra a humanidade para o precipício. As tentativas de reformá-lo foram historicamente tentadas. Todas falharam. Convém destruí-lo ou nos destruiremos.

    ResponderExcluir
  7. Vamos ver se com um novo governo teremos novas mudanças =D

    ResponderExcluir
  8. Fala AdP! Esse quadrino da Turma da Mônica já explicou o que penso, e só com o Bolsomito podemos ter isso, depende da vontade política. Só sei que com o Malddad não teremos liberdade nenhuma. Um abraço!

    ResponderExcluir
  9. O problema é que o candidato do PSL nunca foi liberal, vestiu a carapuça para ganhar a eleição e vai repetir todos os erros de governos anteriores, com o plus de incentivar o ódio, perseguir inimigos e a imprensa. O sonho do capitão é ser um ditadorzinho tropical.

    ResponderExcluir
  10. Quem vai pagar a conta da mudança que o Bolsonaro irá fazer é a própria classe média que o elegeu. A primeira conta que a classe média irá pagar será a reforma da previdência. Boa sorte aos que conseguirem trabalhar até os 65 anos pra se aposentar, pois com 50 anos vc já está velho para trabalhar na maioria das empresas. Enquanto isso os milicos vão para reserva aos 50 anos.
    Tem que diminuir o tamanho do Estado! Ah é verdade, mas há alguma proposta do "mito" para diminuir o número de senadores / deputados? Há alguma proposta para tirar os penduricalhos do judiciário ? Não tem. Quem vai pagar a conta é o pobre coitado que trabalha com carteira assinada.

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.