quinta-feira, 24 de abril de 2014

Concursos públicos – Erros comuns



Na postagem de Introdução desta série foi falado que eu compartilharia com vocês algumas experiências que obtive no percurso para me tornar um servidor público.
Esta postagem tem por objetivo retratar os erros mais comuns cometidos pelos concurseiros. Já cometi quase todos eles, mas espero que você não os cometa.

Estudar apenas no cursinho
Muita gente paga um cursinho caro e acredita que este cursinho será suficiente para passar na prova. O cursinho será de grande ajuda, mas não adianta você fazer um cursinho se você não estudar fora dele.
A aula no cursinho é uma maravilha. Seu professor transmite belas dicas da matéria. Vocês resolvem de uma maneira bem tranquila as questões mais difíceis do concurso. Com o conhecimento recém-transmitido, todos saem com o entendimento fresco na memória.
Mas é nessas horas que muitos se enganam. Algumas pessoas se encantam tanto com a aula no cursinho que negligenciam o estudo individual. Aquele entendimento fresco na memória torna-se nulo quando não praticado e todo o dinheiro gasto no cursinho vai para ralo.

Não estudar Português
É comum pessoas focarem seus estudos na parte específica da prova, deixando português em segundo plano. Algumas destas pessoas, após verem o resultado, descobrem que foi um erro gravíssimo. Não passaram por causa de alguns poucos pontos em português. Não o negligencie, pois português tem derrubado muita gente. Você precisa se preparar para português da mesma forma que as outras matérias, pois ambas caem na prova.

Não se preparar para o teste físico
É incrível como tanta gente sabe que alguns concursos exigirão do candidato um teste físico. Isto não é surpresa nenhuma. Mesmo assim uma quantidade considerável desta gente não passa.
Provas militares, policiais e áreas similares costumam ter um edital bem detalhado sobre o que será cobrado no teste físico, mas mesmo assim muitos começam a treinar apenas após saberem que foram classificados, o que normalmente faz sobrar um tempo insuficiente para os sedentários adquirirem o mínimo do edital. Passar na prova teórica e reprovar no teste físico é mais comum do que vocês pensam.

Estudar para vários concursos
Sei que vou parecer repetitivo, pois já retratei este assunto em outra postagem. Mas estou aqui para escrever os maiores erros que já observei nas pessoas que não passam em concursos. Um deles é diversificar o estudo.
Certas provas são parecidas, mudando apenas uma disciplina. Rogo para que, mesmo nestas provas, evite a diversificação. Foque seu estudo apenas para uma prova. Esta será a prova no qual você estará preparado. Evite alterar momentaneamente seu estudo por causa da abertura da inscrição de um concurso parecido, principalmente se você é uma pessoa que não tem experiência em concursos. Se você fizer isso, estará abrindo mão do foco do concurso anterior para dedicar o escasso e precioso tempo que possui para um novo concurso que você não está preparado. Fatalmente você estará fadado a não passar em nenhum dos dois.

Não estudar todo o conteúdo
Como falei para vocês, deixar de estudar um conteúdo contando com a sorte dele não cair é contra o que diz a Lei de Murphy. É fato. A possibilidade de um assunto cair na prova é inversamente proporcional ao tempo de estudo que você dedicou. Logo, se você deixou de estudar algo, tenha em mente que a possibilidade deste algo cair na prova é alta.

Não levar concurso a sério
Há pessoas que não levam o estudo a sério quando estão se preparando para concursos. Elas até chegam a estudar, mas sabe como é, né? Naquele ritmo. Não há um dia ou horário específico para estudar. Só estudam quando sobra tempo. Mas o engraçado é que estas mesmas pessoas reclamam que não possuem tempo para estudar. ou seja, raramente estudam. Somente decidem estudar com afinco quando faltam uns 15 dias para a prova. Estas pessoas não passarão em concursos enquanto manterem esta atitude.

Estudar somente após o edital
Este é sem dúvidas o campeão dos erros. Quando decidem fazer um concurso, muitas pessoas pesquisam na internet quais são os que estão prestes a abrir o edital. Quando miram um concurso, elas pesquisam para ver quais foram as disciplinas cobradas nos concursos anteriores. Quando sai o edital, estas pessoas compram os livros, fazem cursinhos, definem dias e horas específicas para estudar e de fato estudam bastante. Só que a maioria destas pessoas não passa. Por quê? Tempo curto demais. Muitas destas pessoas têm um incrível potencial de passar em concursos. O que as separa do cargo público é o tempo dedicado aos estudos. Se elas focassem com afinco em um concurso que ocorrerá daqui a pelo menos 1 ano (o mínimo estourando para se dedicar a um concurso, na minha opinião), provavelmente estas pessoas teriam uma performance melhor.
Infelizmente o que acontece para a maioria das pessoas que estudam após o edital é que estas, ao não passarem em um concurso, procuram saber qual será o próximo concurso que está para abrir o edital. E o ciclo do eterno concurseiro estará selado. Não passa no concurso, faz o do próximo edital. Não passa, faz o próximo, e assim sucessivamente até desistir da área de concursos, dizendo que é coisa para gênios superdotados ou apadrinhados pré-escolhidos. E seu pensamento até que é compreensível. Estudar apenas 3 meses para passar em um concurso onde mais de 500 pessoas disputam uma vaga, só se a pessoa realmente possuir uma inteligência muito acima da média, ou for um apadrinhado, ou se ela for bem sortuda e acordou enquadrada com o alinhamento dos cosmos. Fora isso, é melhor esta pessoa dedicar 2 anos ou mais para um concurso, o que significativamente aumentará suas chances de sucesso.

17 comentários:

  1. Já cometi alguns desses erros, caro amigo AP. Tem vezes que nem sei como consegui passar (zoando... Foi muita HBC, hehehe)
    Hoje mudei de estratégia, mas hei de retomar os estudos assim que me formar :)
    Excelente matéria :)
    Ilustra bem o sofrimento de quem começa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio, Maria. Também já cometi quase todos eles.
      Abraços

      Excluir
  2. Ótimas dicas ADP, parabéns pelo post.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Fala, AdP!

    Erros bastante comuns. Com certeza o do edital é um dos mais graves. A disciplina e um planejamento também são importantíssimos. De fato, percebei que inteligência tem pouco a ver com aprovação. Obviamente ajuda. Tem uns malditos gênios que sempre encabeçam as coisas. Mas creio que vai muito mais de disciplina e foco do que qualquer outra coisa.

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza disciplina e planejamento são importantíssimos, seja para estudar ou para investir. Valem até mais do que inteligência.
      Abraços

      Excluir
  4. diversificar o estudo em uma area eh mto importante

    eu, por exemplo, foco em seguranca publica (policias, bombeiros, segurancas, vigilantes)

    a pressao e os eventuais riscos de se dedicar a apenas um certame n vale a pena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, compreendo o que você disse mas o que afirmei é baseado na minha própria experiência. Só comecei a passar em concursos quando foquei em apenas um.
      Citando seu exemplo, recomendo sempre que ao invés de um candidato se preparar para a segurança pública em geral (policias, bombeiros, forças armadas, etc), ele estude apenas um concurso específico. Ao invés dele estudar para Polícia Civil, Polícia Rodoviária, Polícia Federal, Polícia do Senado, dentre outras, escolha apenas uma delas e seja um especialista. As chances destes candidato aumentam substancialmente ao focar em apenas um concurso. Se ele focar em apenas um concurso e não passar, muito menos passará estudando 5 concursos ao mesmo tempo. A ideia é que ele foque apenas um e estude para passar de primeira.
      Não sei exatamente a que pressão e os riscos eventuais que você refere em focar em apenas um concurso que não existem quando se diversifica o estudo. Na minha opinião os riscos vem de não focar em um concurso. Concursos são difíceis demais para o candidato se dar ao luxo de dividir seus estudos em vários. Recomendo isso apenas para os mais experientes.
      Abraços

      Excluir
  5. ADP, como declaro minhas CMIG, brother master?

    Possuía 500 CMIG3 a 21,52. Com a bonificação, fiquei com 564 CMIG3 (qual meu PM?). Recebi também 173 CMIG4. Vendi estas por R$ 2.249,00 em fevereiro de 2014.

    Valeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja:
      http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2012/06/serie-mastigado-preco-medio.html
      http://alemdapoupanca.blogspot.com.br/2014/03/guia-de-declaracao-de-imposto-de-renda.html

      Abraços

      Excluir
    2. Li e reli e nada entendi. Como aparecer essas 64 CMIG3 se não as comprei? Fruto da bonificação, no valor de R$ 5,00 cada, além das 173 CMIG4?

      Explica aí, mestre, se não o Leão vai me engolir.

      Excluir
    3. Sim, fruto de bonificação. Eu deixei para declará-las apenas em 2015 pois oficialmente estas ações só "caíram" na conta em 2014. E segundo a interpretação da empresa, o valor de cada uma é zero.
      Abraços

      Excluir
  6. Eu me formo no fim desse ano e já estou separando as dicas pra começar a estudar a partir do próx semestre!
    Grande abraço AdP!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que minhas postagens sejam de grande valia na orientação de seus estudos. Já é hora de você começar a escolher um concurso e pesquisar sobre material de estudo. Quanto antes, melhor.
      Abraços

      Excluir
  7. Concordo com quase tudo, e discordo em partes na parte da diversificação.

    Acho que concursos afins, com matérias praticamente idênticas e/ou 1 ou 2 matérias de diferença podem servir de exercício.

    Não adianta nada focar para uma só prova que pode, ou não, abrir de 2 em 2 ou 4 em 4 anos e chegar na hora não passar, apesar de preparado, devido a nervosismo ou "não ter tempo" para marcar o cartão por falta de experiência de prova.

    Digo por experiência própria, passei praticamente um ano focado em uma área, cada concurso que fiz passei em posições melhores. Ainda não estou no meu objetivo, mas me sinto bem mais preparado para ele.

    ResponderExcluir
  8. Sobre o nervosismo ou "não ter tempo", isso não tem nada a ver com o fato do cara focar ou diversificar os estudos. Conheço gente que já fez mais de 30 concursos que ainda se embanana com o tempo da prova. E claro, esta pessoa é uma daquelas que diversifica seus estudos.
    Sobre estas 1 ou 2 matérias que são diferentes entre os concursos parecidos. É exatamente isso que derruba o desempenho do concurseiro. Uma ou duas matérias é coisa pra caramba. Não estamos falando de uma ou duas folhinhas, estamos falando de leis, livros, assuntos com conteúdo diferente. O cara que diversifica tem que estudar muito mais coisa em menor tempo. Como suas chances aumentam fazendo isso?
    E eu digo por experiência própria também. Quando eu diversificava porque eram apenas "uma ou duas matérias diferentes" eu só tomava bomba nas provas. Quando foquei em apenas uma prova, aí que comecei a passar em concursos. E se demorar 2 anos para abrir o concurso melhor ainda. É melhor passar 2 anos estudando para apenas um concurso do que 2 anos estudando para 6. A chance de passar em apenas um é muito maior. Neste meu último concurso eu fiquei 16 meses estudando para ele, e este tempo que estudei é muito pouco.

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Allan Magnus Muller24 de julho de 2014 22:04

    Concordo em partes... Um dos maiores erros é estudar somente quando sai o edital, ou pouco antes... No entanto acho válido fazer outros concursos, até por que tem concursos que saem de 4 em 4 anos... ... porém deve-se ter foco no concurso que pretende fazer, estudar entre 6 meses e 1 ano antes do edital, para um concurso acho válido esse período, se ja tem experencia nos concursos da area, começa a ver que é bastante parecido os conteudos das provas, mesmo que de diferentes concursos... além de, é claro, adquirir experencia de prova, o que eu acho muito valido.

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.