sábado, 18 de outubro de 2014

Mudanças na carteira – Trocando ETER3



Na postagem de fechamento do mês de setembro de 2014 externei a intenção de vender minhas ações da ETER3 para substituí-la por ações de outra empresa. Com isso, neste mês concluí a operação pretendida (ações vendidas por R$4,01) e gostaria de compartilhar com vocês suas motivações.


Por que vendi ETER3?
Antes de tudo, sou contra o casamento com ações. A carteira de ações de um investidor precisa ser composta por ações que ele esteja plenamente confortável. Como nossa capacidade de analisar empresas é limitada, inevitavelmente teremos ações que, com o tempo, não corresponderão à expectativa do investidor. Nessas ocasiões, o investidor pode analisar outras empresas e avaliar uma possível troca. O investimento não pode ser baseado em Buy & Forget ou Buy & Hope. O investidor precisa continuamente reavaliar suas ações e as ações que estão a sua disposição. Se ele considerar que uma troca pode ser interessante, não é necessário ficar com dor na consciência. No meu caso, vendi todas as ETER3 de uma vez por estar bem abaixo de 20 mil reais, limite para o pagamento do imposto de renda.
Dito isso, o motivo principal desta venda é o meu descontentamento com a situação operacional da Eternit. Não que ela seja muito ruim ou péssima. Apesar da empresa estar longe de uma situação caótica, considero que há opções melhores no mercado.
Um ponto a ser destacado são os lucros da empresa, que estão de lado. Estou ciente de que não é de se esperar uma explosão de lucros de uma empresa voltada para a distribuição de dividendos. Mas eu esperava no mínimo um leve aumento, o que não vem acontecendo desde 2010. E não vejo qualquer perspectiva de que este aumento virá no curto/médio prazo.


Isso me faz refletir sobre até quando a empresa manterá a política de distribuir 20 centavos por ação por trimestre (10 centavos agora com o recente desdobramento de ações). Se os lucros não aumentam, aumentar os dividendos será prejudicial. Se diminuir os dividendos, a empresa cortará uma de suas poucas atratividades. Se manter os dividendos “congelados” por um longo período de tempo, estes terão cada vez menor poder de compra devido à inflação. Considero este impasse em relação aos dividendos uma questão importante a ser resolvida. Muitos olham esta distribuição regular e fixa de dividendos como um atrativo, mas eu enxergo como uma ameaça no longo prazo. Como a empresa distribui muito dividendo, sobra pouco para investir em seu crescimento orgânico, o que deixa a empresa a mercê de empréstimos. Apesar dos recentes investimentos em novas fontes de renda e na diversificação de portfolio, como por exemplo na cia Sulamericana de Cerâmica, a empresa não tem demonstrado a confiança necessária (pelo menos para mim) para mudar a situação. A própria se recusa a investir no aumento de sua capacidade de produção do amianto (que opera a 100% há anos) devido ao risco de ser severamente proibido. Ao mesmo tempo a empresa assume que estes novos produtos possuem rentabilidade menor que o seu “case” principal, as telhas de amianto.
Não quero ser sócio de uma empresa que está apenas preocupada em manter o lucro e distribuir o mesmíssimo dividendo durante um longo período de tempo. Se for para investir assim, prefiro então escolher um Fundo de Investimento Imobiliário que pague uns 10% ao ano. Pelo menos estes tem perspectiva de aumento dos proventos distribuídos.
Além dos comentários acima, estranhei o recente desdobramento realizado sob o pretexto de aumentar a liquidez de uma ação que estava cotada na casa dos 8 reais, o que acho ridículo. Este fato me fez refletir sobre o motivo da administração gastar esforços para sugerir uma coisa que não trará qualquer valor para o acionista. Se querem liquidez, que aumente a qualidade da empresa. Esta que deveria ser a verdadeira preocupação.
Como meu perfil é formado por empresas voltadas ao crescimento que apresentem lucros crescentes, dividendos crescentes, boas margens e preferencialmente baixo valor de mercado, uma empresa como a Eternit não está adequada, pois, apesar de possuir baixo valor de mercado, seus lucros e dividendos são horizontais, as margens estão caindo e suas perspectivas não me convencem.

A nova ação
Eu monitoro de longe uma pequena lista de empresas que “na encolha” vem apresentando resultados interessantes. São aqueles tipos de empresas que comentam “A empresa é boa mas está cara” ou “A empresa é boa mas a liquidez é baixíssima”. Um exemplo deste tipo de empresa era a MDIA3, que monitorava desde os 30 reais e que não resisti, começando a comprar na casa dos 50 reais. O caso mais recente foi a adição da CGRA4, uma empresa com baixa liquidez, mas que operacionalmente não é das piores. Outra empresa que sempre estive de olho, mas confesso que tenho um pouco de preconceito com o setor, é a RENT3. Finalmente, a empresa que eu monitorava faz tempo e que recentemente foi adicionada a minha carteira é a PSSA3.
Se você der uma olhada nos dados da empresa do site fundamentus.com.br, verá um P/L de 6 e um DY de 9,6%. Entretanto, essas informações estão completamente distorcidas devido a um lucro não recorrente. Mesmo assim, seu P/L verdadeiro deve estar na casa dos 12, o que não considero caro.
Operacionalmente falando (desconsiderando o lucro não recorrente), os lucros da empresa vêm crescendo, desde 2003, na faixa de 17,5% ao ano. No mesmo período seu patrimônio cresceu cerca de 24,6% ao ano. Seu prêmios, que eram 2,2 bilhões em 2003 passaram a ser de 11 bilhões em 2013. Seu Payout médio é de 39%, o que mostra ser uma empresa voltada ao crescimento, satisfazendo meu perfil de investimento.
Outro atrativo da empresa é que seu valor de mercado é atualmente de 9 Bi, sendo que ela possui 6,5 Bi em caixa e aplicações. Sei que uma seguradora precisa possuir aplicações financeiras para manter-se, mas achei esta relação bem interessante. Em termos de comparação, BB Seguridade possui um valor de mercado de 61 Bilhões, mas seu caixa e aplicações financeiras são de apenas 4,3 Bilhões. Uma empresa que considerei uma relação muito interessante é a Sulamérica, que possui 4,5 Bilhões de valor de mercado, mas um caixa + aplicações de 8,2 Bilhões. A empresa possui mais caixa do que é avaliada. Entretanto, escolhi a Porto Seguro por apresentar um desempenho operacional mais vigoroso.
Devido a estar mais amadurecida, não espero crescimentos fenomenais por parte da empresa. Minha expectativa é de crescimentos modestos, um pouco acima da média. Por isso, decidi que as ações da empresa representarão cerca de 10% da minha carteira, ao contrário de 15% de minhas CGRA4, MDIA3 e ALUP11.
Acredito que minha troca de ETER3 pela PSSA3 trará maior qualidade para minha carteira, além de direcioná-la para meu perfil voltado a empresas de crescimento.

E você, o que achou? Deixe seu comentário.

44 comentários:

  1. ADP,

    Achei a decisão acertada. A ETER3, realmente, parece que deu uma parada nos últimos anos.

    Sobre a PSSA3, acho a empresa boa e seu segmento de mercado muito interessante.

    Ela e a CTIP3 estavam na minha lista inicial das 20 empresas que poderiam compor a minha carteira.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daqui para frente tudo pode acontecer, mas preferi trocar minha posição na ETER3.
      Sobre a PSS3, já estava de olho nela faz tempo.
      Abraços

      Excluir
    2. ADP,

      O segmento de seguros é muito promissor. A BBSE3 é outra boa opção, como você mesmo citou na postagem.

      Abraços!

      Excluir
    3. Não cheguei a fazer comparações com outros países, mas acredito que o setor de seguros ainda tem muito a crescer aqui no Brasil.
      Abraços

      Excluir
  2. Respostas
    1. Valeu, IeV.
      Parabéns pelo blog, que contém muita informação útil. Tô sempre acompanhando por lá.
      Abraços

      Excluir
  3. Boa noite! Além da poupança, também acho que devemos administrar de forma ativa a nossa carteira, tenho tanto Eternit como Porto Seguro e até o momento sou muito mais feliz com Eternit.
    As PSSA3, até o momento não recebi nenhum dividendo, além da cotação ter despencado depois da compra e já deve ter uns 6 mês que comprei as mesmas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu analisei de acordo com o quesito operacional e não em relação a cotação ou dividendos. Sei que receberei bem menos dividendos da PSSA3, mas operacionalmente a empresa está me agradando. E isso é ainda melhor enquanto não está refletido na cotação. Por mim, aceitaria receber o mínimo de dividendos possível, pois não vou gastá-los mesmo. Minha intenção é reinvesti-los, então tanto faz eu fazer isso ou a própria empresa fazer a tarefa por mim.
      Abraços

      Excluir
  4. Estive namorando a PSSA por um longo tempo, mas como estou comprando ITUB então tirei ela do radar pois indiretamente ITUB se beneficia dos lucros dela. Então adicionei a BBSE no lugar, mas ainda não fiz o primeiro aporte. Gosto muito do setor de seguros, da mesma forma que gosto muito do setor de aluguel de carros. Inclusive penso que o futuro do mundo dependerá muito de aluguel de carro, o governo tem entender que nas grandes cidades não é correto permitir uma construtora contruir uma apartamento com 4 vagas na garagem, tem que ter no máximo duas, e olha lá. Os governos tem que investir em transporte publico e para de incentivar vendas de carros, sendo assim as pessoas iram alugar mais carros para transporte entre cidades. Eu mesmo tenho um carro bem velhinho, um Corsina ano 2001, e para viagens longas alugo carro confortável e mais seguro. Imagina todas famílias das grandes capitais se comportando desta forma?
    Comprei 15K em ações da ETER na sexta feira, mas é trade, rs. Tenho algumas para longo prazo, mas não vendo, de qualquer forma aportes nesta empresa eu não devo fazer mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chegou a aproveitar aquela queda da ETER3? Se não me engano ela chegou a bater R$3,6X, não?

      Excluir
    2. Sim, comprei a 3,61. Agora preciso vender rápido, este papel tá uma verdadeira batata quente, rs, não dá pra segurar muito tempo. Esta queda em período de silêncio pode ser bomba vindo aí. Mas hoje amanheceu com o volume fraco, vamos aguardar o mercado americano abrir pra ver se anda, ou vai subir mais um pouco ou vai voltar a cair. Como é trade então no máximo amanhã tô saindo fora.

      Excluir
  5. Pessoal já que se está discutindo estratégias o AdP declarou que vai manter 15% de seu capital em Alupar, esse não é um percentual muito alto para uma empresa tão nova na bolsa? as duas pertencem ao setor elétrico então qual o diferencial dessa empresa em relação a Tractebel para alocar um percentual tão grande do patrimônio na primeira?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Ela é nova, contudo, seus dados (aparentemente) parecem ser bons. Eu, pessoalmente, no setor elétrico, só gosto da GETI3 e da TBLE3.

      Abraços!

      Excluir
    2. Estudei e gostei da Alupar. Não vou descartar a empresa por ter pouco tempo de bolsa, apesar de considerar que isto também é um fator a ser observado. O que gostei bastante na empresa são seus contratos de longuíssimo prazo e sua pequena diversificação na América Latina (entre os poucos países que são confiáveis, como Chile e Colômbia).
      Sobre a TBLE3, minha tendência é eliminá-la por dois motivos. Primeiro que quero retornar a minha posição original de 10 empresas. Segundo é diminuir minha exposição ao setor elétrico. Dentre as três que tenho (CMIG3, ALUP11 e TBLE3), TBLE é a mais cotada. No momento enxergo a ALUP11 como uma espécie de GETI3 de 7 anos atrás, só que do setor de transmissão com uma pitada de geração e com contratos mais largos.
      Abraços

      Excluir
    3. ADP,

      Fique atento com a CMIG3. Com a vitória do Aécio 45, a companheirada vai toda para Minas. E a Cemig provavelmente pagará o pato...

      Abraços!

      Excluir
    4. São os boatos. Cemig e Copasa seriam as últimas tetas do PT, pelo menos nesses 4 anos, rs. Chegou a ver o vídeo fake do PT colocando falsos atores pró-Aécio com argumentos absurdos? Tá circulando no Youtube.
      Abraços

      Excluir
  6. Comprei ETER3 a 3.65.
    Cada um busca sua estratégia, mas os bilionarios Parisoto e Barsi não vendem.
    PSSA3 é uma boa empresa.
    sucesso, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Cada um na sua estratégia.
      Barsi e Parisotto não vendem pois eles adoram dividendos, mas eles chegaram a protagonizar um atrito recente na Eternit. E se engana quem acha que eles não trocam de posição. Parisotto, por exemplo, está hoje com a carteira assim:
      BBAS3 - 27,6%
      CSNA3 - 15,7%
      BRAP4 - 11%
      ELET6 - 7,8%
      ETER3 - 6,3%
      BRKM5 - 4,9%
      TCSA3 - 3,9%
      BICB4 - 3,8%
      ELPL4 - 2,3%
      Celesc - 2%
      USIM3 - 5,9%%
      CIEL3 - 0,1%
      GRND3 - 0,1%
      CITI CASH BLUE FI Ref 8,2%

      Ele já teve posições bem maiores em Cielo, Grendene e Eletropaulo. Além disso, sair da Eternit é mais complicado para ele que tem 107 milhões de reais em ações. Para ele talvez seja melhor deixar como está, ainda mais considerando que ele adora dividendos. Para mim um movimento de saída é muito mais simples.

      Abraços

      Excluir
    2. O cara (Guilherme Affonso Ferreira) que convencer o Barsi e o Parisotto a investirem na Eternit já pulou fora há muito tempo... Este Guilherme tem faro fino para boas compras e para pular fora no momento certo.

      http://exame.abril.com.br/revista-exame/noticias/racha-no-clube-do-bilhao

      Excluir
    3. Parisotto tá cheio de tranqueira no portfolio, kkk, ele parece que ficou no passado.

      Excluir
    4. Parisotto gosta de empresas de setores tradicionais, como bancos, elétricas, siderurgias e mineradoras, com baixo P/L e alto DY. É um verdadeiro discípulo de Ben Grahan. Por isso não me surpreendo dele ter vendido CIEL3.
      Não vou dizer que o cara está cheio de tranqueira, pois ele tem uma visão bem maior que a minha. O cara é um bilionário selfmade. Mas confesso que algumas das ações dele eu não compraria.
      Abraços

      Excluir
    5. O problema é que o boom das commodities foi de 2003 a 2010. Por isso que as mineradoras e siderúrgicas subiram tanto nesse período. Agora, segundo o Uó, o momento é da educação, rs.

      Abraços!

      Excluir
  7. AdP, ótimo post. Na minha opinião este é um tipo de post dos mais importantes para a colaboração para a blogosfera, pois abre espaço para reflexão, aprendizado e troca de idéias.

    Eu sou suspeito para falar, pois tenho as 2 empresas (ETER3 e PSSA3) na carteira e elas fazem parte do grupo das últimas empresas que entraram na carteira, há cerca de 1 ano. Inicialmente eu havia estabelecido um percentual igual para ambas 4%, justamente por estarem entrando na carteira.

    Após reformulação em agosto, decidi aumentar o percentual em PSSA3 justamente pelas qualidades levantadas por você. No meu caso eu acho que ainda não é o momento de vender ETER3, pois ainda quero ver o comportamento da empresa por um tempo, após investimentos em nova fábrica no CE. Como pela minha estratégia eu tenho espaço para ambas (carteira com 16 empresas) eu permaneci com ambas, mas se tiver que escolher apenas uma, a Porto seguro me agrada mais.

    Fiquei em dúvida porque a sua estratégia de vender de uma vez, ao invés de ir vendendo aos poucos eu deixar de aportar, diminuindo o percentual com o tempo.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá EI,
      Vendi por vários motivos: (1) vender não é pecado, (2) estava insatisfeito com a empresa, (3) não quero ter um carteira com diversas empresas, (4) achei uma empresa que considero ser melhor e (5) venda abaixo dos 20k. E se eu fosse vender aos poucos iria gastar mais corretagens. Minha posição é muito pequena para vender aos poucos.
      Abraços

      Excluir
  8. Olá ADP, vejo que você também possui PRCB. Tenho vontade de adicionar um banco pequeno na minha carteira, porém noto que a ação não sai do lugar.
    Estou em duvida se compro ABCB ou PRCB. Seria muito interessante se você fizesse um comparativo entre os dois bancos.
    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cotação não sair do lugar não é problema. Tem que olhar a questão operacional da empresa.
      Analisar bancos é algo muito complexo para mim e por isso vou ficar devendo esta postagem de comparação de bancos. Sugiro você a dar uma lida nos releases, ITR's, DFP's e nas audioconferências das empresas.
      Abraços

      Excluir
  9. Olá ADP. Parabéns pelo trabalho.
    Em que pese todos os fundamentos favoráveis, o que podemos esperar mais de MDIA3:
    P/L 19,85
    P/VP 3,60
    DY 1,1%
    COTAÇÂO 96,70

    Não lhe parece uma ação cansada? Também tenho-a em carteira.
    Desde já, obrigado.

    José Claudio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto da empresa. Ela tem entregado resultados interessantes e não mostrou nenhum sinal de cansaço, pelo menos para mim. O P/L, P/VP e outros indicadores estão, na minha opinião, refletindo a qualidade operacional da empresa. Sigo comprando.
      Abraços

      Excluir
  10. Apoiado ADP ! ETER3 não me atrai mais já tem um bom tempo, acho realmente que você tomou uma decisão acertada com base em seus próprios critérios.
    Seu blog é sensacional, gosto muito cara!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. ETER custando quase 1 real, nem precisava ter feito split, kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra que este desdobramento? Cada ação valia menos que um saco de arroz e agora vale menos do que uma Coca. Se fosse numa MDIA3, onde cada ação custa 100 reais cada ação, até que é aceitável. Mas para uma ação que custava 8? Pra que?
      Parabéns pelo seu trade na ação.
      Abraços

      Excluir
    2. Disseram que foi pra aumentar a rentabilidade, rs
      Parabéns por pela troca.

      Excluir
  12. Eternit é minha poupança, ótima empresa, quem conhece, confia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De duas, uma: ou não conheço a empresa ou esta afirmação não é uma regra, rs.
      Abraços

      Excluir
  13. A Eternit está investindo em outros negócios e produtos. Seu objetivo é ser uma empresa com o lema de preencher a residencia do "piso ao teto".
    Ela está diversificando sua linha de produtos. Está investindo, de forma conservadora como sempre foi.
    É uma empresa conservadora. Tem baixas dívidas e distribui seus lucros.

    Agora, acho interessante deixar claro que é uma empresa que a muito tempo é assim. É uma empresa com forte presença no mercado, marca confiável e dificilmente vai perder sua fatia.

    Se alguem busca construir uma carteira diversificada, com empresas de dividendos, crescimento, blueship, etc, ETER é uma ótima pedida.

    Por fim, PSSA foi uma ótima escolha também.
    Acho que no seu lugar eu não venderia minhas ações da Eter. Eu compraria PSSA.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Dois meses em total estagnação e um pequeno mundo desmoronado, esse foi o resultado de uma terrível tragédia familiar. Refletindo em como viver os próximos anos da minha vida, recebo um tal de "insight" e tudo acontece repentinamente...hoje, tenho 25 anos, não tenho filhos e estou solteiro. Foi uma decisão fatigante mas acabo de abandonar o curso de ciências farmacêuticas em uma universidade pública, fiz um acordo no trabalho e estou livre para pensar fora da caixa, dessa situação aprendo que a segurança é um sentimento pérfido.

    O Campo de Batalha surge como o diário de um jovem homem brasileiro resiliente, um sonhador de origem humilde com uma enorme apetência de vitória, que como milhões de outros continua lutando pela tão sonhada independência financeira. Há um ano estudando de forma autônoma posso afirmar, conheço de perto todas as dificuldades que rodeiam os iniciantes do universo empreendedor e no mercado financeiro!

    Deixo antecipadamente um pedido de perdão aos especialistas, analistas de mercado e imortais da Academia Brasileira de Letras, o objetivo aqui é dividir o conhecimento acumulado (e aprender) da forma mais simples possível, prometo que com o tempo e a prática irei melhorar.

    Assim começa uma nova história, repleta de objetivos e sem saber quais obstáculos terei que enfrentar nas sinuosidades da caminhada, se você tiver coragem e disposição para enfrentá-los traga uma mochila bem grande, vamos mergulhar juntos em um mar repleto de novas luzes, é uma região selvagem e somente com muita disciplina vamos vencer os desafios... quem sabe assim deixaremos uma trilha menos perigosa para novos exploradores.

    Conto com o seu apoio, envie críticas, elogios, sugestões de conteúdo e revisão textual, o blog é seu!

    LINK: http://campodebatalha1.blogspot.com.br
    LINK: http://campodebatalha1.blogspot.com.br
    LINK: http://campodebatalha1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Mês passado troquei BGIP por PSSA3 o setor de seguro no país ainda tem muito a crescer diga-me o que achou do ICA dela?

    ResponderExcluir
  16. ADP, apenas por curiosidade, não cogitou BRIN3?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que ela está passando por uma grande reestruturação.
      Mas ela foge do seu perfil?

      Excluir
    2. O mais legal das rendas variáveis é, a diversidade de opiniões sobre o mesmo tema - no caso ações. Eu por exemplo, com pouco $ para grandes lotes de boas ações - com valor de mercado substancial - vou nos lixos mesmo. Baixo valor, baixa liquidez mas com boas variações. Desta forma, sempre garanto o chopp da semana e a porção de picanha fatiada. Prefiro mereça na mão sempre do que esperar pela variável. André Tadeu

      Excluir
  17. Olá adp,

    meu nome é Tiago e estou começando a estudar e analisar algumas empresas para compor minha carteira. Seu site tem sido uma grande fonte de estudo. Comecei a estudar a PSSA3 estava olhando os dados dela no site fundamentus.com e me chamou atenção que a receita liquida anual (somando os trimestres) é sempre 0. Poderia me explicar como isso é possível?

    Obrigado

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.