domingo, 9 de fevereiro de 2014

Dividendos. Um fim, não necessariamente um meio

Após dedicar horas de estudo sobre diferentes estratégias de investimentos, o investidor sente a necessidade de formar a sua própria. Em relação à filosofia de investimentos de longo prazo, uma em particular é muito difundida entre os investidores: o foco em empresas que pagam altos dividendos. Nesta postagem discutiremos a importância desta metodologia.

Antes de começar esta exposição, devemos ter em mente o por quê da distribuição dos dividendos. Como vocês sabem, os dividendos são a parte dos lucros que as empresas distribuem a seus acionistas. É importante ressaltar que uma empresa, em tese, somente distribui dividendos quando não há melhores formas de empregar este recurso. De um lado estão as empresas que não tem planos de grande expansão, seja por terem atingido um grau de maturidade elevado ou por questões orgânicas, fazendo com que não haja fortes motivos para a retenção dos lucros, com consequente alta distribuição de dividendos. Por outro estão as empresas que possuem potencial de crescimento e que devido a isso precisam reter o máximo de lucro possível e distribuir o mínimo de dividendos.
Em relação às empresas faladas anteriormente, não há lógica para o pequeno investidor alocar recursos visando apenas os proventos distribuídos. Ao concentrar suas atenções apenas neste aspecto, o investidor estará investindo em empresas que possuem pouco potencial de crescimento. Qual o motivo de jovens investidores, que estão na intenção de investimentos de longo prazo, dedicarem seus aportes em empresas com baixas perspectivas de crescimento?

Levando em consideração o longo período de que o investidor pretende dedicar, é importante ressaltar sua intenção em querer focar em empresas que pagam generosos dividendos. Há apenas duas possibilidades no uso desses: gastos diários ou reinvestimento. As pessoas que utilizam os proventos para gastos diários são uma minoria proprietária de uma carteira robusta que paga dividendos suficientes para este fim. Esse perfil é completamente diferente do jovem investidor, pertencente à maioria esmagadora que tem a intenção única de reaplicar seus dividendos. Ora, se a intenção é a reaplicação dos proventos, por que não deixar que as empresas de crescimento façam este trabalho? Elas saberão empregar o dinheiro de forma muito mais eficiente do que a reaplicação em empresas com baixo potencial de crescimento.

Um jovem investidor que possui a visão de longo prazo precisa dedicar seu esforço para identificar quais empresas terão potencial para multiplicar seu tamanho ao longo dos anos. Normalmente estas empresas não se dão ao luxo de distribuir dividendos generosos, mas seu crescimento orgânico poderá traduzir em aumento de lucros, com consequente crescimento exponencial dos dividendos. Esse incremento será significativamente mais rentável do que a mera reaplicação de proventos em empresas com baixas perspectivas de crescimento. É por isso que o investimento em empresas como Ambev, Vale, Bradesco, Grendene e Alpargatas foram extremamente recompensadores.

Diante do exposto, não há motivos para a dedicação de muito tempo e esforço no investimento das maiores pagadoras de dividendos, pois o jovem investidor não gozará os dividendos de hoje, apenas futuramente. A alocação de seus investimentos em empresas de crescimento tornará sua carteira muito mais eficiente, rentável e alinhada a seus objetivos de longo prazo.

66 comentários:

  1. Bom artigo Além da Poupança. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Gostei! Só faltou dizer pra ter cuidado com empresas que sonegam o dividendo sob pretexto de aumentar capital, ganhos e investimentos e faz pagar salários inchados a executivos inúteis...

    eu geralmente gosto da minha grana no meu bolso... :P

    Abraço,
    Victor

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente. Mesmo tendo em minha carteira algumas que pagam dividendos na carteira, tudo o que vem em dividendos vai para compra da mesma ação que pagou. Em janeiro comprei 6 ABEV3 com os dividendos distribuídos.

    A reaplicação é fundamental para o crescimento da carteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A reaplicação dos dividendos potencializa a carteira.
      Abraços

      Excluir
  4. "Ora, se a intenção é a reaplicação dos proventos, por que não deixar que as empresas de crescimento façam este trabalho?"

    Muito simples, amigo AdP: porque não são só as empresas que desejam ter poder de decisão sobre seus lucros.

    Eu gosto de ter opções. Posso usar este dinheiro da forma que melhor convier - e isso faz toda a diferença quando acredito ser mais benéfico para minha carteira reinvesti-lo em outros ativos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas a decisão sobre o dividendo é exatamente a sua reaplicação, a mesma coisa que as empresas que pagam poucos dividendos fazem.
      Abraços

      Excluir
    2. Elas não pagam pouco: 1/4 do lucro líquido é muita coisa!

      E quem opta por investir numa empresa de crescimento espera que, no longo prazo, este percentual menor signifique um valor absoluto maior de proventos quando comparado a quem optou por ações de uma empresa de dividendos.

      Abraço!

      Excluir
  5. Discordo totalmente desta visao. Empresas de dividendos e empresas de crescimento tem caracteristicas completamente diferentes. Empresas de crescimento, em geral oferecem muito mais risco e são investimentos mais agressivos. Ambas devem fazer parte da carteira de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo,
      É exatamente esta diferença que me faz preferir empresas de crescimento. Muitos de nós tem 20, 30 ou mais anos a frente, e o investimento em empresas de crescimento é benéfico. Claro, o investidor está investindo, não comprando e rezando. Ele precisa monitorar as empresas que está investindo, seja ela boa pagadora de dividendos ou não.
      Veja bem, eu não estou criminalizando os dividendos. Eu adoro dividendos. Todos adoramos dividendos. Eu tenho empresas que pagam bons dividendos em minha carteira. Eu só estou contestando os investidores jovens que concentram sua carteira de ações visando apenas os dividendos, tendo assim uma carteira repleta de empresas com baixo potencial de crescimento. Este meu texto é uma quebra de paradigma muito grande e eu já esperava críticas, que são muito bem vindas e enriquecem a discussão.
      Abraços

      Excluir
    2. Quando a empresa de "crescimento" faz o seu trabalho, é muito lindo, porque ela usa dinheiro para produzir em "atacado" o que o acionista produziria no "varejo". Ou seja: ela usa R$ 1,00 de resultado para comprar R$ 0,10 de material/despesas/serviços, que serão revendidos por, sei lá, R$ 1,00 de novo, e assim o dinheiro/patrimônio se acelera muito mais rápido que na mão do acionista.

      Agora, se a empresa for pilantra como eu disse em outro lugar aqui no post, fica complicado.

      Por exemplo, eu acho o Daycoval um banco legalzinho. So que eu percebi que os viados estão recomprando ações a níveis mais altos (isso ocorreu ano passado) e me parece que eles tinham (os executivos) bonificações em opções. Quer dizer: tão usando parte do NOSSO dinheiro como acionistas para custear os interesses deles... E como eles, tem muitos que fazem bem pior, que não vou citar nomes porque não tenho provas, mas os indícios estão por aí...

      Analisem muito bem suas empresas! Eu serei acionista do DAYC4 até atingir meu preço-limite, após, adeus.

      Abraço,
      Victor

      Excluir
    3. Quem garante que empresas de crescimento gera maiores rentabilidades que empresas de dividendos?

      Excluir
    4. Tudo que você falou, abrangendo a incerteza de a empresa dar certo ou ser pilantra, má administração ou garantia de rentabilidade se aplica a todas as empresas da bolsa, independentemente de pagar bons dividendos ou não.
      Abraços

      Excluir
    5. Exato. Mas uma empresa que não pague bons dividendos sob esta alegação é roubada certa. Uma que pague bons dividendos e seja "meio pilantra", é aceitavel diante da remuneração. Quero dizer: a empresa poderia ser mais eficiente, mas é suficientemente eficaz (vejo como exemplo o Banco do Brasil, paga bons dividendos mas acho-o ineficiente -- dentro das suas possibilidades, quero dizer -- mas é eficaz: bons lucros, bons dividendos).

      Abraço.

      Excluir
    6. A empresa pode ser de crescimento, dividendos, mico, o que for, se for pilantra eu quero manter distância. Se a empresa é pilantra, ao vestir a carapuça de dividendos ela pagará menos dividendos do que deveria, e você vai reinvestir na empresa pilantra, que você é sócio. Se a carapuça for de crescimento, ela vai crescer menos do que deveria, e os lucros serão reinvestidos nesta empresa pilantra. Por que o recebimento de dividendos de uma empresa pilantra seria aceitável? Não serve nem para investir.
      Banco do Brasil cresceu expressivamente, principalmente na década de 2000. A empresa foi de crescimento, distribuindo poucos dividendos em relação ao seus lucros. Como é uma empresa que tem sido negociada com desconto, seu DY á alto, mas ela foi de crescimento nesta época. Logo, mesmo que você considere que ela é "meio pilatra", valeu a pena ter investido nessa empresa de crescimento.
      Abraços

      Excluir
  6. Souza Cruz é empresa de crescimento desde quando? Tá maluco?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Extremamente desnecessário o "Tá maluco"?. Sem ele a contestação seria a mesma.
      O investimento nessas empresas FORAM recompensadores porque em seu PASSADO estas empresas tiveram um crescimento acima da média. Em nenhum momento eu afirmei que elas são hoje empresas de crescimento.
      Abraços

      Excluir
    2. Veja que há 100 anos Souza Cruz é uma empresa de dividendos. As outras tudo bem, mas Souza Cruz não se enquadra na lista de crescimento

      Excluir
    3. Depois de analisar os dados passados da empresa, realmente conclui que você está certo. Considerei que nos anos 90 a empresa era voltada para o crescimento, mas vi que estava equivocado após analisar seus dados. Vou realizar a devida correção.
      Obrigado e abraços

      Excluir
    4. é importante reconhecer os equivocos, mas neste caso, se mudou de opinião sobre Souza Cruz, isso faz toda diferença, pois o post fica sem sentido já que cita que não vale a pena focar em empresas de dividendos e souza cruz desmente esta tese. Eternit é outra na mesma situação. Empresa boa é empresa boa, independente se é de dividendos ou crescimento

      Excluir
    5. Onde está escrito no texto que não vale a pena investir em empresas de dividendos?
      Você está confundindo/inventando as coisas. Como disse, não tenho nada contra os dividendos. O texto critica os investidores que focam seus investimentos em empresas de dividendos, algo muito comum. Dividendo é apenas um dos vários aspectos a ser considerado. É óbvio que sei que há empresas que pagaram bons dividendos e trouxeram retornos a seus acionistas. Já fiz postagem sobre isso. Mas o que você disse de invalidar a postagem não tem nada a ver. Se fosse assim, só porque é possível ir do Rio de Janeiro à La Paz a pé invalidaria um texto que defende que é melhor ir de avião.
      Abraços

      Excluir
    6. uhauahua... Eu adoro as cortadas do AdP. Rio de Janeiro a Lapaz a pé... hehehe..

      Excluir
  7. Na minha análise curta, as boas pagadoras de dividendos se deram melhor.

    http://investidordefensivo.blogspot.com.br/2013/10/sera-que-e-melhor-investir-mais-em.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como o IDIV é composto por empresas lucrativas, é natural que ele tenha uma vantagem sobre IBrX50, Ibovespa, SMLL e IEE , que tem um mix de empresas de N tipos. Uma empresa que paga pouco ou nenhum dividendo não quer dizer necessariamente que é empresa de crescimento.

      Abraços

      Excluir
  8. Olá AdP, após um longo inverno estamos de volta :)

    Minha reles ideologia sobre a reaplicação de dividendos beira o jardim de infância. Digamos que haja uma boa distribuidora de dividendos, digamos 10% anuais, fora a valorização das ações. Não poderíamos dizer que houve um "crescimento" da carteira em 10%?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Mas o crescimento da carteira também advém de empresas de crescimento. Se você investir em empresas de dividendos por um longo tempo, poderá reaplicá-los, fazendo a carteira crescer, mas não espere que daqui a 10 ou 20 anos as empresas serão tão diferentes. E durante este tempo o investidor fará a reaplicação dos dividendos, exatamente a mesma coisa que uma empresa de crescimento faria.
      Abraços

      Excluir
  9. Num mundo de executivos honestos sérios, seria perfeito deixar que as empresas reaplicassem todos os seus lucros.

    Mas como executivos honestos e o coelhinho da páscoa são muito amigos do Papai Noel, é melhor que eu tenha meu dinheiro na minha mão.


    Na teoria, as empresas podem realocar melhor os lucros que os investidores. Mas no mundo real é melhor que cada um possa ter controle sobre sua grana.


    Ass.: Carioca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carioca,
      Já que tocamos neste assunto, é inocente acreditar também que seus dividendos estarão isentos de qualquer ação dos executivos. Com certeza, se executivos honestos são amigos do papai noel, seus dividendos serão menores do que deveriam ser. Em relação ao controle sobre sua grana, você reaplicará o dividendo, seja na mesma empresa ou não.
      Abraços

      Excluir
    2. Eu não seria tão radical como o Carioca, mas quem garante que mesmo a empresa sendo competente ela irá reaplicar bem o lucros? a empresa pode pegar o lucros e fazer uma aquisição (tudo certo, sem falcatrua) que simplesmente não dá os resultados esperados, desta forma empresas de crescimento, mesmo as honestas, embutem um risco muito maior para o investidor.

      Excluir
    3. É verdade. Uma empresa que busca crescimento embute sim mais riscos do que aquele empresa que busca manter sua produção constante.
      Não há garantias de que os recursos da empresa de crescimento serão bem empregados, assim como também não há garantias de que os proventos de uma empresa voltado ao pagamento de dividendos serão sempre pagos, apesar do risco do primeiro ser maior do que o segundo.
      Abraços

      Excluir
  10. Acredito que o pequeno investidor que esteja no momento de acumulo de capital não deva pensar em ações que pagam dividendos como geradoras de renda, mas sim como ativos de riscos menores.

    Qual é a diferença principal entre uma empresa de dividendos e uma empresa de crescimento ? A empresa de crescimento utiliza os lucros para agregar mais valor a empresa, e as empresas de dividendos distribuem os lucros para que o investidor possa usufruir dele da melhor maneira possível, em outras palavras utilizando ele para agregar valor a sua carteira através dos juros compostos.

    Ambas irão agregar valor, a única diferença é que as empresas que distribuem lucros deixam este trabalho para o investidor e não para elas. É lógico que se a empresa for quem irá agregar valor, é de se imaginar que será muito mais rentável do que se o investidor o fizer.

    A questão que deve ser levantada na minha opinião não é se o investidor precisa buscar empresas de crescimento ao invés somente de dividendos, mas sim tentar encontrar aquelas que agregam mais valor em menos tempo com o menor risco se comparado com o pequeno investidor.

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Temos empresas de dividendos e de crescimento que deram belos retornos ao longo do tempo. Mas temos também empresas dos dois tipos que falharam ou que passaram (ou passam) por momentos de dificuldade.
      Na minha opinião, quanto mais tempo o investidor possui, maior deveria ser sua preocupação em identificar empresas de crescimento. Isso não quer dizer que ele deva ter uma carteira formada apenas por elas. Isso não quer dizer que empresas de crescimento com certeza terão retorno maior do que as de dividendos. Isso não quer dizer que eu acho dividendos ruins. Apenas quer dizer que como a intenção do investidor é a reaplicação dos dividendos, então será melhor que ele procure por empresas que fazem melhor este trabalho por ele. Diversificação também é importante. Ele precisa ter empresas de crescimento e dividendos na carteira. Mas é errado pensar em investir em empresas apenas por causa do seu pagamento de dividendos. Quando falamos em empresas, dividendo é apenas um dos diversos aspectos a ser observado.
      Abraços

      Excluir
  11. Concordo com vc, mas considero qualquer tipo de concentração na carteira uma atitude mais arriscada. Tanto concentrar só em ações de dividendos como concentrar só em ações de crescimento. Ainda fico com a diversificação de ter um pouco de cada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Sovina. É isso o que faço.
      Abraços

      Excluir
  12. o título correto do post deveria ser

    "Dividendos, um fim, mas que pode ser um meio"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o significado de "não necessariamente" é exatamente isso: a condição de investir em empresas de dividendos não é obrigatória para atingir o fim. É opcional, não obrigatória.
      Abraços

      Excluir
  13. Tenho mudado minha visão, sabe AdP.

    Aposto em ambas as categorias de empresas (crescimento e dividendos), mas tenho percebido que às vezes ter o dividendos nas mãos nos deixa com portas abertas para aproveitar momentos de oportunidades em outras empresas/ativos, mantendo assim minha reaplicação, mas não necessariamente naquela empresa que pagou os dividendos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada caso é um caso. O investidor precisa ter em mente que o investimento em ações é muito mais do que investir nas empresas com maior Dividend Yield.
      Abraços

      Excluir
    2. Guardião adora uma renda pingando na conta toda mês...rs
      Nota-se o tesão que sente quando olha nos comunicados da bovespa sobre pagamento de FIIs...rs

      Excluir
  14. AdP, mais um ótimo post!

    No primeiro momento, ao ler o post, tive a impressão que você estava recomendando o investidor a não investir em empresas de dividendos, porém ao olhar sua carteira e lendo os comentários, vi que não é exatamente assim que pensa.

    Eu particularmente acho que as 2 empresas tem espaço na carteira, pois as características diferentes servem para balanceá-la. Eu procuro reaplicar proventos nas mesmas empresas, mas não é obrigatório, pois pode ser mais interessante colocar em outra no momento.

    Abraços,

    Blog Economicamente Incorreto
    http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenho nada contra os dividendos. Muito pelo contrário. Meu texto foi direcionado aos investidores que focam seus investimentos baseado apenas no Dividend Yield de uma empresa, como se apenas isso importasse. Infelizmente muitos ainda não perceberam isso e a crítica é normal devido a esta tentativa de quebra desse paradigma altamente difundido.
      Abraços

      Excluir
  15. Adp,

    Analisando a sua carteira, verifica-se que ela é integrada por várias ações defensivas que pagam bons dividendos, o que contraria, de certa forma, o seu argumento de quem é jovem e ainda tem muitos anos de investimento pela frente tem que investir mais em empresas de crescimento do que de dividendos.

    Da sua carteira, atualmente, só EZTC3 e MDIA3 podem ser consideradas empresas de crescimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro, isto é uma tentativa de argumentum ad hominem. Você está tentando invalidar o texto baseado não nele, mas em seu autor, o que não quer dizer nada. Mais informações aqui:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Argumentum_ad_hominem

      Segundo, ser defensivo e de crescimento não são características excludentes. Minha carteira é baseada exatamente neste aspecto. Considero que 30,8% de minha carteira é composta por empresas não voltada a crescimento, e estou considerando neste percentual o BBAS3, que distribui apenas 40% de seus lucros. Os outros 69,2% são compostos por empresas que tem planos expansionistas.
      Abraços

      Excluir
  16. Boa. Apesar de eu nunca ter pensado em viver de dividendos. Sou mais do tipo que especula.

    crude-trader.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Texto interessante, mas gostaria de ressaltar duas coisas:
    1. Ouvi muito o termo dividend yeld como filtro para aplicação de empresas de dividendos, mas acredito que o payout é muito melhor para essa avaliação.
    2. Faltou dizer que dividendo não é "almoço grátis", eles são descontados do preço da ação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1. Payout é melhor pois não tem a ver com cotação e sim com a capacidade da empresa em pagar mais. Quanto maior o payout, melhor pro acionista. Dividendeira verdadeira tem alto payout. Dividend Yeld como o nome diz, tem a ver com cotação.
      2. O desconto é irrelevante para uma ação que não está em tendência de queda e vc querendo operação curta. Agora se está em tendência de alta, o desconto passou desapercebido e você nem percebe...rs
      Dê uma olhada no post no meu blog onde falo sobre isto.

      Abs

      Excluir
  18. Olá AdP,

    O artigo é oportuno e abre os olhos de alguns que consideram receber dividendos como sendo mil maravilhas e que vão fazer o bolo de neve aumentar juntando com aporte.
    Eu penso que dividendos assim como FIIs, são para gerar renda e não para aquele que busca crescimento patrimonial. Já pensou se MDIA3 fosse dividendeira ? Nóis tava fu....
    Ainda bem que não é. Estou com 59% da carteira posicionado em ações de crescimento pois ajustei a carteira para isto. Busco maior crescimento com maior risco. Já tenho FII que é uma diversificação dentro da RV e faz o papel de dividendos, então to tranquilo de estar assim. Vou continuar apostando em turn-arounds, small-caps, micors, buy-and-pray, crescimento pois desejo alavancar mais rapidamente os resultados do que se ficasse empatando grana com ações dividendeiras com pouco potencial de crescimento.

    Obrigado pelo post.

    Lambida do Poney !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Poney,
      Só não sou tão agressivo quanto você. Eu tenho horror a micos e minha capacidade capacidade de identificar turnarounds são bem limitadas. Minha "agressividade" estaria em alocar maior parte em empresas que buscam crescimento.
      Abraços

      Excluir
  19. Assunto interessante e comentários também. Acompanhando, porque empresa que não paga dividendo, tô fora.
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkk...vai entender, cada maluco com sua maluquice ! rs

      Excluir
    2. Lembrando que empresas de crescimento também pagam dividendos .
      Abraços

      Excluir
  20. Caro Adp, tenho uma dúvida sobre a bonificação da Cemig: eu possuía CMIG3 em dezembro. Recebi CMIG4 em janeiro. Vendi CMIG4 e comprei CMIG3 em janeiro. Com a bonificação, meu preço médio de CMIG3 anotado na sua planilha deve ser alterado? Meu preço médio em dezembro estava em torno de 19,50. Faço algum ajuste? Obrigado pela atenção e, mais uma vez, parabéns pelo blog de excelente qualidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo,
      Bonificação em CMIG4 não altera preço médio de CMIG3. Mas sua nova compra de CMIG3 sim.
      Abraços

      Excluir
  21. ADP,

    Vc pretende tirar as blue-chips da sua carteira, e focar em empresas menores com forte potencial de crescimento? Empresas como POMO4, PTBL3, ALPA4, entres outras.



    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este é o meu plano. Aos poucos estou focando em empresas que se preocupam mais em crescer do que pagar dividendos.
      Abraços

      Excluir
  22. Parabéns pelo ótimo posto AP.

    Só um comentário. Eu tenho algumas boas pagadoras de dividendos na minha carteira porque gosto de poder diversificar o investimento no mês a mês sem ter que vender os ativos. Por exemplo eu tenho lá GETI, ela pagou um bom dividendo mas não quero no momento reinvestir nela mas também não pretendo vender, então mantenho ela e invisto o dividendo em outra empresa, sai lá por exemplo BBAS. Nesse caso faz sentido ter algumas boas pagadoras mais "conservadoras" na carteira.

    O seu exemplo ainda foi muito bom falando de ABEV, eu tenho esse papel há um bom tempo, e no longo prazo ela tem sido ótima no crescimento, melhor ainda que os dividendos.

    Um abraço.
    Ricardo

    ResponderExcluir
  23. Olá AdP! Parabéns pelo post! Já considerou a possibilidade de estudo da UGPA3? É uma empresa que tem buscado (e mantido) um bom crescimento. De repente uma simulação de compras periódocas, cairia bem.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca parei para observar a Ultrapar por causa de sua margem de lucros bem pequena. Mas pelo que eu andei lendo, parece que esta margem não deve ser levada muito em consideração. Vai ficar na lista de empresas para simulação de compras periódicas.
      Abraços

      Excluir
  24. Artigos excepcionais. Muito obrigado por compatilhar.

    Nesse tópico, eu cheguei a conclusão que a métrica mais importante é a evolução dos dividendos por ação.
    Uma empresa com dividendos em reais por ação crescentes, de preferencia com crescimento real, faz uma diferença gigantesca depois de alguns anos.

    ResponderExcluir
  25. Ótimo post, cara!

    Também prefiro as empresas de crescimento (eztc, krot, bema, ptbl, bauh4...)
    Dividendos eu penso mais pra frente.

    Valeu!

    (ManoScience)

    ResponderExcluir
  26. Além da Poupança,muito bom esse artigo bom eu gostarias de saber se devo continuar acreditando na CMIG4 , comprei em fevereiro de 2014 e recebi 4 dividendos de R$ 800,00 e reenvesti tudo de novo,comprei quando estava a R$ 13,15 e hoje 03/12/2014 está a R$ 13,28 ótima para fazer mais uma compra, sei que esta mais alta de quando comprei,tenho outras ações que compro e vendo mais a CMIG4 eu uma que não quero me desfazer por que daqui a 10 anos quero viver dos dividendos delas ,então devo acredita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá anônimo,
      Em relação a CMIG, eu prefiro me abster de opiniões. A empresa vem sendo a mesma. Lucrativa, pagadora de dividendos e com a realização de constantes bonificações, mas tem questões políticas envolvidas e isso já sai de minha alçada.
      De minha parte eu manterei minha posição em CMIG3. Mas para mim é fácil, pois ela representa nem 3% de minha carteira.

      Abraços

      Excluir
  27. certo muito obrigado por me responder.

    ResponderExcluir
  28. Alem da poupança o q acha dessa carteira :
    13% CMIG3. 13% BBAS3. 13%ETER3 9% AMBV3
    7% ELET6 10% SNB11. 7% WHRL4 7% SLME3
    7% TAEE1 . 7% PINE4 7% BMT04
    Tenho aportado em media RS 10.000,00 mensais e sempre reenvisto os dividendos , só compro as acoes na data Ex . Me de uma opinião.

    ResponderExcluir
  29. Alem da poupança o q acha dessa carteira :
    13% CMIG3. 13% BBAS3. 13%ETER3 9% AMBV3
    7% ELET6 10% SNB11. 7% WHRL4 7% SLME3
    7% TAEE1 . 7% PINE4 7% BMT04
    Tenho aportado em media RS 10.000,00 mensais e sempre reenvisto os dividendos , só compro as acoes na data Ex . Me de uma opinião.

    ResponderExcluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.