quinta-feira, 4 de outubro de 2012

16 Anos Investindo Na Bolsa. A História De Arnaldo, Uma Crônica Motivacional.

Esta postagem curta, mas o texto do qual ela se refere é grandioso.

Lembro-me da época quando eu não tinha uma estratégia definida. Eu pensava que tinha estratégia, mas não tinha uma de fato. 

Estava então a procura de um estratégia simples, porém funcional. Foi quando me deparei com a crônica de Arnaldo, que narra a história de um investidor que faz religiosamente seus aportes mensais. De uma forma ou de outra, acredito que muitos que já leram esta história se identificaram com as dificuldades de Arnaldo. Este foi o estopim que me motivou a iniciar os estudos. Desde então estou muito satisfeito com minha atual estratégia.

Ao olhar o blog do Portinho, fiquei feliz em saber que a história foi atualizada para o ano de 2011.

Recomendo a leitura desta crônica, que mostra que o comportamento e os aportes disciplinados influenciam fortemente no desempenho da carteira.

Para sua leitura na íntegra, acessa a postagem do Portinho clicando AQUI.

Boa leitura!

59 comentários:

  1. Oi AdP eu li este texto no livro do portinho mas realmente faltava o periodo entre 2009 até 2011.
    O que deu para perceber é que apesar da recuperação, a situação com a vale começa a se deteriorar e se ele colocasse a situação em 2012 ficaria muito pior.
    Eu estou diversificando com o DIVO11.

    Um abraçâo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas na própria história a Vale passou por maus bocados. A intenção é que os frutos que ele está colhendo se deve principalmente a disciplina de Arnaldo.
      Como a Vale é uma empresa gigante, com atuação em diversos países, e além disso é ligada a commodities, é natural que sua performance oscile no decorrer do tempo, como por exemplo de 1996 para cá na crônica de Arnaldo.
      E mesmo considerando a Vale hoje, Arnaldo ainda estaria muito bem com suas mais de 20 mil ações da vale.
      Abraços

      Excluir
  2. Olá AdP!

    Conheci essa história no mercado em 25 episódios, como vc disse é algo simples mas eficaz, acho que serve pra gente aprender que não vale a pena tentar reinventar a roda.

    Estou nessa situação que vc descreveu: querendo uma estratégia simples e funcional.

    Abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reinventar a roda é caro e na maioria das vezes não compensa. O que podemos fazer é pegar algumas rodas que já funcionam e, quem sabe, fazer melhorias.

      Abraços

      Excluir
  3. Eu acho que é fake, e no fim das contas é um all-in, estratégia absolutamente não recomendada. E se fosse MILK ao inves de VALE? Ia virar historinha também?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim fake? As contas ou a história de Arnaldo.
      Arnaldo é apenas um personagem fictício, e isso é falado na crônica.

      Na própria crônica é falado isso de Arnaldo. Que ele cometeu o erro de fazer um all-in. De qualquer forma, se ele tivesse diversificado em empresas boas e lucrativas (Brahma, Petrobrás, BBAS, Gerdau, etc, coisa que milk não é), ele estaria com um bom patrimônio, ou até mais. A utilização de Vale é para simplificar os cálculos e demonstrar que não é preciso aplicar uma estratégia mirabolante ou ter um QI de 180 para se sair bem no mercado.

      Abraços

      Excluir
    2. Olá, eu só li essa versão "nova" agora. Na versão que acaba em 2009, pelo menos a versão que li originalmente, não falava isso no final não, dava a entender que era real mesmo.

      Excluir
  4. Curti a atualização da história, mas ainda prefiro um pouco de diversificação no portfólio, principalmente depois que o valor fica acima de 500k
    beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, na própria crônica Arnaldo estava preocupado em diversificar (colocar uma parte na renda fixa). E no final dela, Portinho diz que não é interessante fazer um all-in, mas entendo que para fins de simplificação de cálculos e de demonstração de método, foi necessário.

      O objetivo da crônica foi mostrar que um assalariado comum consegue juntar um bom patrimônio através de aportes mensais em boas empresas, e não mostrar que fazer all-in é correto.

      Sei muito bem Ostra que você já sabe disso tudo, mas estou esclarecendo para que outras pessoas possam refletir.

      Abraços

      Excluir
    2. Sim AdP

      por isso citei tb a diversificação, tem gente que le superficalmente e não observa os detalhes, que são importantes, sua complementação ficou ótima.

      e de qq forma... quem sou eu p criticar um all in? :P
      beijão

      Excluir
    3. Você é a Ostra Azul, e isso já é o bastante, kkkkkkk.

      Abraços

      Excluir
  5. Legal a história desse sr. Arnaldo. Mas não sei porque elas só aparecem no final da festa rsrs.. Há 15 anos atrás a Vale não era uma boa empresa, não despertava tanto interesse e ninguém poderia imaginar que ela se transformaria no que é hoje, uma empresa que de comum com o passado só tem o nome. Foi totalmente beneficiada com a explosão de 10% a.a. do crescimento chinês (que acabou) e com o boom no mercado de commodities na década passada (2000-2008 que também acabou). É muito fácil mostrar a eficácia dessa estratégia pegando um dos papéis que mais subiram na bolsa nos últimos anos e década. É mais fácil ganhar na loteria do que acertar a melhor opção de investimento entre todos os ativos negociados na Bovespa. Mesmo passando um filtro básico nos balanços, excluindo os micos, ainda assim sobrariam inúmeras opções de investimento que podem ou não dar certo.

    Abcs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que é mais fácil mesmo acertar na loteria do que escolher uma empresa boa?
      Será que só a Vale se beneficiou com o crescimento chinês?
      Será que só o Arnaldo se deu bem em investir em empresas lucrativas?
      Será que a Vale foi mesmo "a melhor opção de investimento entre todos os ativos negociados na Bovespa"?
      Será que boa parte da rentabilidade de Arnaldo não é proveniente de sua disciplina, e não da capacidade mirabolante dele?
      Será que nesse mesmo período, nenhuma empresa com atuação no mercado interno se beneficiou?
      Será que em 1996 a Vale era um mico? Ou era apenas uma midCap com balanços razoáveis?
      O investidor precisa "acertar a melhor opção de investimento entre todos os ativos negociados na Bovespa" para se dar bem na bolsa?

      Abraços

      Excluir
    2. Eu acho q ele poderia ter pego um banco... rsrsrs

      De qq maneira, se ele tivesse escolhido outros papéis, como Usiminas ou Gerdau o resultado seria muito "pior" (no sentido de números melhores)

      De qq maneira, ao final do texto ele comenta apenas a ideia, q o correto seria DIVERSIFICAR e tudo mais.

      []s!

      Excluir
    3. Conheci essa história no antigo INI. Era uma página sensacional, pena que morreu (falando nisso, alguém sabe porque?).

      Concordo com a crítica de todos os colegas sobre o all-in, mas o aporte em um fundo de investimento que copiava o ibovespa também teria dado ótimos resultados. Pode não ter sido tão bom quanto em vale, mas ainda assim seriam bons resultados.

      Excluir
    4. Sim, dimarcinho
      Banco do Brasil, Bradesco, Itau e unibanco já eram boncos relevantes na época, e deram ótimos retornos a seus acionistas. Não é só porque uma empresa é muito conhecida que quer dizer que ela não dará bons retornos.

      Abraços

      Excluir

  6. AdP meu caro, como sabe, sou novo em investimentos e apesar de estar tentando me inserir na blogosfera, ainda não tenho muito contato direto com outros investidores.
    A minha história se repete quando as pessas falam que não tem muito com quem conversar sobre investimentos na família e na empresa e estou em uma jornada de buscar novos conhecimentos por meio de livros, especialmente aqueles escritos por grandes investidores e livros que os estudam.

    Eu gostaria de aproveitar este post para perguntar a você sobre o que pensa com relação a estratégia. Estou me pautando pelos grandes investidores com base nos livros sobre suas histórias.
    Li o Jeito Peter Lynch... e o Jeito Warren Buffet... achei ambos extraordinários. Estou na metade do livro do guru Ben Graham, o Investidor Inteligente.
    O que tirei de melhor do livro do Peter Lynch foi a questao de poder separar as empresas não somente em setores, como também em segmentos (Ciclico, crescimento rapido, lento, recuperacao, etc) e que isso é mutável para cada empresa. Do livro do Buffet foi o ponto de
    INVESTIMENTO FOCADO, que nada mais é do que investir em valor em poucas (e boas) empresas. No livro fala que não há problema algum em investir em, sei lá, 5 empresas,
    desde que você esteja investindo em boas empresas. Ele diz ainda que é melhor investir em 5 empresas boas do que em 20 só pelo bem da diversificação. Entretanto,
    como consequência, o emocional do investidor tem que ser mais equilibrado, pois as oscilações serão muito maiores, porém o potencial de retorno também é maior. Eu não sei
    se estou empolgado demais, mas comprei um pouco de TD muito contrariado por causa do baixo retorno com relação a empresas de recuperação e crescimento rápido por exemplo.
    Minha ideia é investir apenas nas empresas que atenderem a meus critérios e sei que não existem muitas. Uma coisa muito importante que tanto Peter Lynch quanto Warren Buffet
    fazem é ignorar as cotações. Está perfeitamente claro que cotação é uma "opinião" do Sr. Mercado, que é bipolar e a cada dia vem com um humor diferente. O mercado só
    me interessa pra saber por quanto ele está disposto a vender um papel e só me interessa no dia da compra. No final, a cotação sempre chega no lucro. Só me preocupo mesmo
    em comprar boas empresas e fazer aportes regulares quinzenais e nada mais.

    Pela sua estrategia, vejo que você tem uma visão um pouco diferente da minha, mas gostaria de saber o que pensa dela. Você acha que a questão é que trata-se de uma montanha russa radical e que tudo depende se meu estômago é forte?


    Abracao!

    ResponderExcluir
  7. Desculpa se nao pude revisar direito o texto acima, o bicho ta pegando aqui no serviço e tenho algumas entregas pra fazer, mas acho que deu pra expor meu ponto.


    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá L.
      Acho muito importante que você esteja se empenhando em obter conhecimento sobre o mercado. E aprender com os melhores é sempre bom.

      Eu invisto hoje em 9 empresas, 2 FII's e alguns títulos do TD. Entretanto, de todos os meus investimentos, às vezes dá vontade de me concentrar em apenas 4 empresas que tenho muita confiança.

      Mas tenho em mente que diversificação é uma proteção contra a ignorância. E concentração é para os fortes.

      Eu teria mais disposição para concentrar caso eu conhecesse mais a fundo o funcionamento destas empresas.

      Quando Buffet fala em concentração, para ele é mais fácil. Quando ele estava na faculdade de administração, ele dava um banho nos professores quando o assunto era gerenciar um negócio. O cara realmente entende os enlaces de uma empresa. Buffet diz que não é necessário ser um gênio para ter retornos respeitáveis, mas é necessário ser um gênio para ser Buffet.

      Além disso, ele tem 100% do tempo dele dedicado aos estudos, pesquisas e escolha de ações. Nós não temos este luxo.

      Sem falar que ele compra posições relevantes de empresas, o que permite contato direto com seu presidente e diretores. Nós sardinhas mal sabemos o nome do presidente que cuida de nossa empresa.

      Peter Lynch pesquisava a fundo as empresas. Testava o produto, ia até a sede da empresa e analisava bem os balanços.

      Temos que considerar que, apesar de eles passarem simplicidade em suas estratégias, eles estão em outro nível. Repetir à risca o que eles fazem pode ser algo perigoso.

      Logo, por mais que eu esteja tentado a concentrar meus investimentos, acredito que seja mais prudente diversificar. Mas mesmo assim sou contra a extrema diversificação. Acho que mais de 20 empresas é como não ter a mínima ideia de como mirar com uma arma, necessitando que se atire para todo lado.

      Não tenho como objetivo ser um dos melhores no quesito renda variável. Só quero a independência financeira. Por isso, acho mais importante a disciplina e os aportes do que as tacadas mirabolantes. Para nós que almejamos apenas a independência financeira, é importante que se avance um passo de cada vez. A experiência nos dirá o que fazer conforme o tempo passar.

      Abraços

      Excluir
    2. Esse assunto é muito legal... Vou fazer uma postagem a respeito mais tarde. Preciso diversificar meu blog também rsrsrsrs....

      Abraços!!

      Excluir
  8. Essa história do Arnaldo me transformou em investidor de verdade. Mostro a todos os amigos que estão iniciando.

    ResponderExcluir
  9. ADP,
    adorei a crônica! Apesar de ser longa, ela exemplifica muito bem a trajetória do investidor em RV..
    isso só me estimulou a começar investir em açoes..
    parabéns pela ótima leitura proporcionada!
    abraçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A crônica foi muito bem escrita e exemplifica muito bem o buy & hold.

      Abraços

      Excluir
  10. Olha o banho de agua gelada na histórinha do Arnaldo: rsrsrs lembrei desse post e achei que seria útil para complementar esse do AP.

    http://www.clubedopairico.com.br/colunistas-poder-de-compra-e-o-longo-prazo-%E2%80%93-verdades-reveladas-parte-2/6895

    O que vocês acham desse post do clube do pai rico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito fácil contraargumentar este postagem.
      -Tudo bem que talvez 1500 reais para um engenheiro na ápoca era muito, mas temos que considerar que Arnaldo só investia 20% do salário. Se ele ganhasse apenas 800 reais como engenheiro, era só ele aportar 37,5% do salário. Temos colegas que aportam muito mais que isso.
      -O autor desta falácia de postagem falou que Arnaldo aplicou os bônus de 12 mil e 30 mil. Isso mostra que ele não teve a mínima preocupação de ler o artigo. O artigo fala que ele não aplicou nada deste dinheiro. Ele utilizou para compras pessoais. Mesmo se não existisse esses 12k, não ia mudar em nada nas compras de Arnaldo.

      -Já as contas de compras, valorização e reaplicação de dividendos, que tem muita importância, o autor da postagem nem ousou criticar.

      O autor da postagem tenta desacreditar a história só por causa do salário de Arnaldo, mas ele esqueceu de considerar que Arnaldo poderia ter aportado mais, mesmo recebendo menos dinheiro.

      É uma pena que um suposto professor de finanças diga que se a pessoa ganha pouco, de nada adianta juntar dinheiro e poupá-lo para o longo prazo.

      É importante destacar também que ele é autor do livro "Memórias de Um Operador de Home Broker: Ações e Opções", e provavelmente partidário daquela briguinha boba de Buy & Hold vs análise técnica.

      Abraços

      Excluir
    2. Não quero me identificar, mas...

      o autor diz: " O piso salarial de um Engenheiro na época era de oito salários mínimos em 1996. O equivaleria a R$ 800,00. Para você ter uma ideia como os “R$ 1500,00” dele era um salário alto, neste ano, o salário seria maior que o do Deputado Estadual da época"

      em 94/95, época de estagio eu iniciei recebendo R$ 320,00, em 96 com emprego efetivo ganhava R$ 2500,00 E não tinha cargo de deputado! Um engenheiro próximo tinha salario de R$ 3200,00 E também não era deputado.

      naquela época ninguém seguia piso salarial pois os pisos eram baixo demais, p meu cargo o piso era de 860 por ex.

      Eu sempre me questiono a respeito da veracidade do site Pai Rico, iniciando com as resenhas de livros, muitos não parecem ter sido lidos, sempre tem o link do submarino no final, tenho a impressão de que faz isso apenas para 'ganhar com o clique'

      Ele se diz independente financeiramente, mas o site é cheio de propagandas, indicações de compras de livros e a pouco tempo estava com um projeto estranho de criar 52 sites para ganhar trocados, sinceramente, quem é independente financeiramente não se dá ao trabalho de fazer esse tipo de coisa p de ganhar trocados com sites toscos ou cliques.

      Leio o site praticamente desde o inicio e cada vez mais questiono o que ele escreve, sugiro que façam o mesmo, começando com a questão da tal independencia financeira dele.

      Att

      Excluir
    3. Engraçado, parece que ninguém faz as contas mesmo... nem por lá...

      Um engenheiro hoje ganha tranquilamente R$ 5000, recém formado (pelo menos aqui no RJ, e o Portinho é carioca!)

      Se deflacionarmos 5000 de hj pelo IPCA de 2011 até 1996, o salário seria de R$ 1689, ou seja, bem de acordo com o proposto no estudo.

      O anônimo aí deu um exemplo real também.

      Além disso, o cara realmente não leu direito a história, pois os bônus recebidos não foram utilizados em nenhum momento para comprar ações...

      Tem um link do Portinho lá, parece q ele chegou a escrever alguma coisa refutando, mas não encontrei mais no blog, deve ter apagado...

      []s!

      Excluir
    4. Obrigado pela contribuição, anônimo. Boas informações.

      Abraços

      Excluir
    5. Engenheiro ganhando 3200 em 1996? Só se fosse da NASA. Em 2002, ano que me formei, o salário médio de um engenheiro (mecânico) era R$3000. Eu mesmo comecei ganhando 2k, que já era mais que os 1.2 - 1.5k que os iniciantes costumavam ganhar na época.

      E não adianta apenas deflacionarmos os 5000 de hoje, pq houve aumento real para a categoria nesse período, especialmente a partir de 2006. Não duvido que o salário pudesse ser em torno de R$800.

      Excluir
    6. Não era comum, mas nada impossivel um engenheiro eletrico ganhar isso, os bons engenheiros com conhecimento especifico em determinada area que estava iniciando eram bem remunerados.

      Apenas quis mostrar que p texto é factivel.

      Excluir
    7. Anonimo que questionou, há outros pontos para se conseguir um bom salario em inicio de carreira:
      - boa formação academica
      - competencia e esforço
      - boa empresa multinacional
      - ter um costa de ferro p te ajudar no QI
      A combinaçao disso garantira a qq um bons salarios
      Networking é tudo em uma carreira!

      Excluir
    8. Só para esclarecer ao anônimo, o engenheiro da crônica ganhava 1500 reais, e não 3200 como você disse.
      E acho que devemos considerar principalmente o aporte da pessoa, e não o seu salário. No caso da crônica, o aporte inicial foi de 300 reais, o que é bem plausível.

      Abraços

      Excluir
    9. Foi o q eu quis dizer, se ganhavamos valores desse nivel em 96, claro q o texto é plausivel!
      300 reais era o preço que eu pagava de aluguel na epoca.. Aporte bem consistente p o "arnaldo"

      Claramente o post do pai rico foi para divulgar um livro desmerecendo o trabalho de outro autor.

      Excluir
    10. É incrível como as pessoas só prestam atenção no que não vai trazer nada de bom para elas.
      Quando eu li esse texto não me prendi nenhum pouco a valores e empresas. Gostei mesmo foi dos ensinamentos, como:
      Siga sempre a sua estratégia. Por mais tentador que seja, não ceda.
      Leve um padrão de vida um pouco mais baixo do que vc poderia levar, e invista a diferença.
      É melhor aportar um pouquinho todo mês do que colocar uma bolada de uma vez só"

      Entre outros...

      No livro "The Secret" eles dizem que se vc focar nas coisas ruins elas apareceram cada vez mais na sua vida.

      Abraços
      Ganhando Muito

      Excluir
  11. Olá AdP,

    muitos de nós, "investidores e blogueiros" estamos escrevendo dia-a-dia, nos blogs a nossa trajetória em busca da independência financeira. Muitos irão desistir durante a caminhada e outros irão enfrentar o desafio por anos. Não tenho dúvidas que os mais dedicados, disciplinados e pacientes atingirão o objetivo daqui a uns 15 anos. As carteiras são sempre exibidas, as dúvidas e angústias são registradas e a evolução do conhecimento é evidenciada e o mais importante - compartilhada. Daqui a 15 anos, teremos histórias...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade G65. Muita coisa vai acontecer em 15 anos. O começo é a parte mais difícil, pois os efeitos da estratégia no curto prazo são pouco perceptíveis.

      Abraços

      Excluir
  12. É uma historia exemplar do que podemos nos tornar com paciência e disciplina!
    força na missão!
    Abrass

    ResponderExcluir
  13. Olá AdP!

    Muito obrigado por nos trazer esse artigo, gostei muito da história do Arnaldo, eu não conhecia e até vou comprar o Mercado de Ações em 25 episódios, este conceito me fascinou e estou repensando a questão dos ETF's...

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já estou repensando desde que li "Warren Buffett e a Análise de Balanços".
      Acho que dá para manter os dois na carteira. ETF e ações individuais.

      Abraços

      Excluir
    2. Particularmente acredito que seja uma estratégia mais sensata, mas vai de cada um.

      De qualquer forma, caso venham mesmo a fazer esta mudança, procurem fazer de forma lenta e gradual.

      Abraços

      Excluir
    3. Então AdP,

      Eu ainda não tenho ações, e estou pensando em comprar no fracionário de umas empresas que estou analisando. Mas comprar bem pouquinho mesmo para ir me acostumando. E quero comprar também cotas do ETF Smal11.

      Achei muito bacana a análise de empresas. Gostei de mais do assunto.

      Abrçs

      Excluir
  14. O piso de qqer engenheiro é de 8,5 salários mínimos desde 1966.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é pra 8 horas de trabalho. Pra 6 horas o piso é menor (se eu não me engano é de 6 mínimos)

      Excluir
  15. O movimento dos blogueiros de finanças vai se unir para acabar com a FARRA DO ADSENSE promovida pelo blogueiro pobretão.

    Ele traiu a comunidade ao agir com falsidade. Ele criou um personagem cujo marketing é ser infeliz e está faturando com as pessoas que visitam seu site, acreditam nos seus contos e tentam ajudá-lo de alguma forma.

    Ele está agindo com maldade, está faturando alto com mentiras e se aproveitando as pessoas que pensam serem verdadeiras suas lorotas.

    Se você também ficou indignado com essa enganação, pare de visitar o site do pobretão, tire-o do seu blogroll ou instale o ADBLOCK PLUS para não dar mais dinheiro fácil para esse safado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq essa raiva toda do pobretão? Ele não está roubando, não está matando, e mesmo sendo mentira, se for o caso, é engraçado alguns posts.

      Excluir
    2. Nossa, sempre usei adblock, nem sabia que tinha propaganda no blog dele huahuahua

      Excluir
  16. Ótima história, não tinha lido antes. O interessante é que fiz umas simulações e parece que seria possível mesmo. Porém investir como o Arnaldo vez é um pouco arriscado, ele não sabia nada sobre a Vale, e seguiu conselhos cegamente. O que devemos fazer é buscar métodos reais e confiáveis, e só assim segui-los a risca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Arnaldo se arriscou muito. Primeiro investiu para depois de anos se interessar pela empresa.

      Abraços

      Excluir
  17. Uma coisa a se pensar, é que se ele tive-se diversificado não teria alcançado a rentabilidade anual que conseguiu. Como Warren Buffett diz, diversificação é para quem não sabe o que está fazendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Apesar de haver ações que deram rentabilidades maiores que a Vale, a probabilidade indica que ele diversificaria em algumas empresas que não renderam tanto, pois existiam em maior quantidade.

      Diversificação é para que não sabe o que está fazendo e concentração é indicada para quem sabe. Buffett sabe, mas Arnaldo não. Eu indicaria a diversificação para Arnaldo, mas não a extrema diversificação. Acho que diversificar entre 5 e 16 empresas está de bom tamanho.

      Abraços

      Excluir
  18. Valeu pelo post, AdP.
    Estou começando a investir e ler esse tipo de história gera uma ótima motivação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse na postagem, esta história me motivou profundamente. Antes dela eu tinha um dinheirinho guardado, mas investia de forma errada. Espero que esta história tenha te ajudado da mesma forma que me ajudou.

      Abraços

      Excluir
  19. AdP, esse é meu primeiro comentário, e devo agradecer a Ostra por ter me encaminhado aqui através dos favoritos dela :D

    Ainda soum um mero utilizador de simuldores de investimentos, mas gostaria de saber se a estratégia de aportes mensais (buy & hold), ainda que aplicada nos termos da cronica, é algo que pode servir para um inicio nas RVs?

    o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Explicando melhor o "nos termos da cronica", eu quero dizer de viver de dividendos. Basear a carteira com aportes mensais apenas em uma (ou mais) empresa(s) para viver de dividendos.

      Excluir
    2. Sim, Fábio. Eu faço compras mensais e estou muito tranquilo.
      Mas ao contrário da crônica, eu diversifico meus investimentos entre algumas ações e entre renda fixa através do Tesouro Direto. Também, ao contrário de Arnaldo que seguia os conselhos do seu avô, eu realizei a compra de diversos livros, fiz algumas simulações e quando me senti preparado, comecei com pouco dinheiro nas ações. Desde entao estou investindo mês e mês e aprendendo com o tempo.
      Acredite, esta estratégia de compras mensais é real. Eu já conheci pessoas que fizeram isso.

      Abraços

      Excluir
    3. Valew =D

      Já li alguns livros sobre investimentos, mas o buy & hold e dividendos ainda é algo novo para mim.

      Já tenho 1 ano de testes em simuladores (algumas coisas boas, outras ruins, claro).

      Vou dar uma pesquisada melhor e provavelmente até criarei um blog para tratar da minha jornada.

      Excluir

Anônimos, contribuem e deixem um nome para que seja possível outras pessoas fazerem referências, estabelecendo melhor a troca de ideias. Educação é sempre bem vista.
Mensagens de trolls serão moderadas.